sexta-feira, 31 de março de 2017

Conhecendo em detalhes o Volkswagen SP2

Muita gente que acessa o blog regularmente deve estar se perguntando o porque de os posts estarem entrando, na maioria dos últimos dias, de forma atrasada aqui no blog. Pois bem, o meu tempo nos últimos dias anda bastante curto e até para escrever posts está complicado. Mas saibam, mesmo que um pouco mais tarde, sempre busco escrever algo aqui para vocês. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também existe um botão para que você se inscreva em meu canal do Youtube, onde aparecerão algumas novidades em um futuro muito próximo. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo e com admiração pelo fantástico universo que envolve todos os Volkswagen refrigerados a ar, produzidos em uma época de ouro da história da montadora alemã.
Pois bem, eu poderia começar o post de hoje falando novamente a versatilidade da plataforma do Fusca, como já fiz em diversas outras ocasiões. Mas nessa noite de sexta feira quero fazer um pouco diferente e abordar um ponto em especial desse projeto que tanto me encanta por sua diversidade: O conjunto mecânico. Todo mundo que gosta dos Volkswagen refrigerados a ar sabe que a concepção do projeto do motor do Fusca é antiga, lá dos anos 30. Com o passar das décadas, muitas pequenas mudanças fizeram desse motor uma máquina capaz de equipar diversos modelos. No clássico a ser tratado no post de hoje, é clara a criatividade (ainda que tenha vindo de uma abordagem relativamente simplista para a categoria do automóvel) que a engenharia da Volkswagen teve ao trazer esse carrinho tão simpático ao nosso mercado em 1972.
O vídeo que vocês veem ao final do post vem lá do canal do Bellote, que todo mundo já conhece faz bastante tempo e por diversas vezes eu já citei a minha admiração. Nele, vocês podem ver um belíssimo SP2 1973 branco com apenas 33.000 km originais percorridos por uma única dona em detalhes. O carro além de totalmente original ainda conta com um estado de conservação acima da média. Para quem não conhece a mecânica que esse carrinho genuinamente brasileiro conta, eu falo de maneira bem breve: O motor é boxer, como o do Fusca, mas com 1700cc de cilindrada, uma dupla carburação Solex com bases de 34mm e outras vantagens cabíveis ao motor boxer em configuração plana, como nas Variant por exemplo. Além disso, este foi um dos primeiros VW a ar a contar com o famoso câmbio 8x31, usado posteriormente nos Fuscas 1600.
Veja:


quinta-feira, 30 de março de 2017

Putz, bateu!

Nem sempre é possível nós trazermos notícias totalmente boas por aqui, mas acredito que o post de hoje vale apenas como um registro do que aconteceu. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir ficam a aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também há um botão a sua direita para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde vem muitas novidades por aí num futuro muito breve. Clicando nesses botões e dando essa forcinha você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo fantástico universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Quando eu vi essa manchete no Facebook logo me peguei pensando se eu realmente estava lendo algo desse tipo em pleno 2017. Muitas vezes o acaso proporciona alguns momentos que não nos parecem reais, mas eles simplesmente ocorrem e, após uma prova disso, conseguimos acreditar.
Se nós voltássemos ao século passado, lá para os anos 70 ou 80 principalmente, a cena a ser mostrada hoje seria absurdamente comum: Uma batida de trânsito entre dois Volkswagen. Isso ainda existe nos dias de hoje, mas geralmente com um Gol, Fox, Polo, Up ou qualquer outro modelo. Nas décadas passadas, muitos Fuscas, Brasílias, Kombis e outros modelos refrigerados a ar acabaram sofrendo alguns impactos pelas ruas de nosso Brasil. Muito provavelmente você pode ver uma possibilidade muito pequena de dois clássicos se chocarem nos dias de hoje, mas saiba: Ela existe.
A notícia que vocês veem ao final do post veio lá do Portal G1, mas eu a princípio tinha lido uma notícia do fato publicada no Jornal Cruzeiro do Sul, aqui de Sorocaba. Na manhã dessa quarta feira (mais conhecida como "ontem")  uma pessoa que conduzia uma Brasília perdeu o controle da direção do veículo, foi parar no sentido contrário da avenina que circulava e pasmem: Bateu de frente com um Fusca. A região da batida realmente é um pouco complicada, pois além do alto movimento, as duas faixas são ligeiramente estreitas e eu mesmo já tomei algumas fechadas ali por várias vezes.
Com certeza esses dois carros com poucos trabalhos de funilaria conseguem voltar as ruas, mas realmente é uma pena que esse tipo de coisa aconteça com qualquer pessoa e qualquer carro.
Felizmente ninguém se feriu gravemente e o socorro chegou rápido. Por uma infeliz coincidência, outros acidentes ocorreram na mesma data e um ônibus incendiou.
Veja:


Acidente entre dois carros complica o trânsito na Avenida Dom Aguirre


Veículo invadiu a pista sentido Centro e bateu de frente em outro carro. Trânsito ficou lento na manhã desta quarta-feira (29), em Sorocaba (SP).


Carro foi parar na pista contrária no sentido Centro da avenida Dom Aguirre, em Sorocaba (Foto: Ronaldo Ruiz/TEM VOCÊ)

Um acidente entre dois carros na avenida Dom Aguirre, em Sorocaba (SP),
complicou o trânsito na manhã desta quarta-feira (29). A batida frontal
aconteceu por volta das 8h50 na pista sentido Centro, na altura da ponte
Francisco Delloso. A pista foi liberada e o trânsito normalizado às 10h15, segundo a Urbes.
De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, um carro invadiu a pista
contrária e bateu de frente em outro veículo. Ninguém ficou ferido gravemente
e quando o resgate chegou ao local, ainda segundo os bombeiros,
os motoristas já estavam fora dos veículos.
O atendimento foi prestado por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de
 Urgência (Samu) que seguia para outra ocorrência e de deparou com o acidente.
 Apenas um dos motoristas teve ferimentos na cabeça e foi levado ao Pronto-Socorro
de um hospital particular. Segundo informações da Urbes, que gerencia o trânsito
na cidade, o congestionamento na marginal do rio Sorocaba chegou até a base
dos bombeiros, no bairro Santa Rosália.
Fonte: Clique aqui!

quarta-feira, 29 de março de 2017

Dupla carburação Solex 40 no motor 1500

Hoje é mais um dia de você ver um motor muito feroz com uma solução bastante interessante de performance. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos, fáceis e descomplicados. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você se inscreva no meu canal do Youtube, onde aparecerão muitas novidades em um futuro muito breve. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com uma grande admiração pelo vasto universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
A grande verdade é que eu já conhecia esses dois vídeos que postarei para vocês hoje. No entanto, eu os vi há alguns meses no grupo "Somos todos Rastrelo" do Facebook mas acabei não salvando o link para que eu pudesse postar. No entanto, hoje em um breve pesquisada no Youtube felizmente encontrei essas duas maravilhas para que vocês possam admirar.
Muitas vezes os colecionadores de carros clássicos ou até mesmo os proprietários de carros antigos que rodam pouco encontram alguns problemas nos seus veículos como a irregularidade do funcionamento do motor. Na grande maioria desses casos, o principal causador desse comportamento é o carburador (ou os carburadores) que, por não operar sempre, acaba juntando sujeira nas passagens de ar e/ou combustível causando instabilidade na marcha lenta, por exemplo. Por esse motivo, além de rodar com o carro sempre que se pode é interessante sempre manter a regulagem ideal do conjunto.
Como vocês já sabem, eu sempre fui um grande admirador da dupla carburação. Esse sistema montado em um motor boxer se bem regulado sempre trará a melhor relação entre consumo e desempenho, e a explicação para isso é muito simples: Com os carburadores montados em posição estratégica (como na dupla), os cilindros sempre são alimentados por igual e de maneira bem conveniente.
Se você pretende montar uma dupla no seu VW a ar, não vá pensando que é só montar os carburadores e dar partida para que seu carro funcione bem. Além da equalização, o acerto na giclagem faz-se mais que necessário para que seu clássico assuste os carros desse século. Além das Weber 40 e da tradicional dupla Solex 32 (que saiu de fábrica nos Fuscas e outros VW), também há uma solução muito legal para esses motores que tanto gostamos: As Solex 40. Esses carburadores que serviram e continuam servindo muitos Opalas, ficam uma verdadeira maravilha trabalhando em dupla em um motor VW a ar. Uma prova disso são as Pumas, que em diversas épocas e modelos contaram com essa configuração de fábrica. Três carros que nós já conhecemos aqui no blog e eu sei que andam muito contam com essa dupla: O Fusca 1973 do Pedrinho, a Variant do Fernando, do canal #FuscaFilmador e o Gol BX do Paulo Fernando, que ainda conta com duas borboletas de 44mm.
Se eu falar dessa carburação para vocês somente da aplicação em motores 1600 ou de maior cilindrada, você pode até pensar que motores menores não teriam condições de receber tais carburadores. Pois bem, os vídeos de hoje provam o contrário mostrando um belíssimo motor 1500 com os cabeçotes originais de entradas simples roncando lindamente com essa dupla. Os coletores de admissão são os mesmos utilizados por algumas Pumas (fabricados pela Kadron) que tinham esses cabeçotes. O Carlos, que postou esse vídeo no Youtube, deixou a giclagem de presente para quem quiser fazer o mesmo ou ter um ponto de referência para começar: Giclê principal 150, de lenta 47,5, injetor 60 e venturi 30 (ele até pode parecer grande, mas é para suprir a eventual limitação que se pode ter em um cabeçote de entrada simples).
Eu particularmente não gosto de marcha lenta abaixo de 750, 800 rpm, mas esse carro nos 500 rpm ficou com um ronco bem legal.
Veja:





terça-feira, 28 de março de 2017

Propaganda do MP Lafer

Hoje é dia de um post rapidinho, pois está sendo escrito totalmente as pressas e eu ainda tenho um trabalho da faculdade para fazer me esperando. No entanto, passo rapidamente aqui para escrever mais um post ao estilo "Máquina do tempo". Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que acontece aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também a sua direita há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde vem muitas novidades em um futuro muito breve. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo e que tem admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Sem dúvidas é sempre muito prazeroso poder falar sobre um Fusca aqui no blog. No entanto, algo que eu gosto muito de frisar por aqui é a versatilidade do projeto desenvolvido por Ferdinand Porsche. Uma plataforma que foi desenvolvida para um carro pequeno e de passeio conseguiu ser a vertente de inúmeros outros veículos de diversas categorias, inclusive de utilitários como a Kombi. Além de todos os modelos fabricados pela Volkswagen, inúmeros outros veículos usaram a plataforma do Fusca, como o Puma, os Buggys e o MP Lafer, modelo a ser mostrado aqui hoje.
A propaganda que vocês vêem ao final do post foi encontrada por mim há alguns dias no Google. Nela, são citadas inúmeras características do MP Lafer, carro totalmente nacional inspirado no clássico inglês MG. Aqui no blog existem outros posts sobre o carro. Dê uma olhada que eles trazem informações bem bacanas.
Veja:



segunda-feira, 27 de março de 2017

Um belíssimo exemplar dos anos 60

Realmente não tem jeito: Os meus Fuscas preferidos com certeza foram produzidos nos anos 60 e no início da década de 70. O exemplar que eu quero trazer para vocês hoje com certeza é um ótimo parâmetro para quem busca ver um Fusca verdadeiramente original. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que acontece aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também a sua direita há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde vem muitas novidades em um futuro muito breve. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo e que tem admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Muitas vezes quando nós vemos um conteúdo que trata de um tema que gostamos, as imagens ou o áudio daquilo que se viu fica em nossa memória fotográfica e, quando menos esperamos, resgatamos a lembrança e nos vimos na curiosidade de buscar ver aquilo de novo. Pois bem, o post de hoje foi mais ou menos assim. Eu me lembrei desse vídeo que aparece ao final do post e tratei de procurá-lo para compartilhar toda essa beleza com vocês nessa segunda feira. Diria eu até que estamos começando a semana com o pé direito nessa página com esse belo Fusquinha.
O vídeo que vocês veem ao final do post foi postado pelo canal do Ethison no Youtube. Nele, vocês podem ver um maravilhoso Fusca 1964 na cor verde amazonas e ainda com o simpático e comportado motor 1200. Quem acessa o blog há mais tempo sabe que eu adoro os Fuscas dos anos 60, principalmente destes que tem a motorização de 36 cv. A maneira comportada, o maior número de peças cromadas e esse ar de clássico me encanta nesses modelos e o exemplar em questão conta com um alto nível de originalidade. Muito provavelmente essa joia nunca foi restaurada e carrega essas bonitas marcas do tempo por esse motivo. A única coisa que eu notei nesse carro que foi trocada foi o par de piscas dianteiros, mas esse é um detalhe muito pequeno perto da grandiosidade que um carro como esse tem e que expressa por meio de sua integridade.
Toda vez que assisto a esse vídeo, fico encantado.
Veja:


domingo, 26 de março de 2017

É hora do banho!

O domingo geralmente é o único dia da semana que a grande maioria das pessoas tem para lavar o carro. Pois bem, nesse domingo em que eu não lavei o Sentra e ele se encontra cheio de poeira, trago uma imagem que pode se encaixar com a realidade de muita gente e, acima de tudo, com o passado de muitos dos amigos seguidores. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir o blog estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com uma grande admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Como eu disse lá no início, a imagem de hoje consegue conciliar a memória de muita gente e também nos faz lembrar de um momento muito importante da história de nossa indústria automobilística. Se alguém me perguntar se eu tenho lembranças de lavagens de carro quando criança, eu sem dúvidas responderia que sim. Lembro-me que quando eu era bem pequeno, morava no centro de São Paulo e em quase todos os finais de semana eu descia do prédio com meu pai e nós lavávamos o carro em um estacionamento do prédio vizinho. Essa é uma memória muito viva que tenho na mente e com certeza muitos de vocês podem se lembrar de algo parecido.
Essa imagem que vocês veem ao final do post foi salva por mim hoje pela manhã, tanto que a compartilhei no meu Facebook pessoal. Nela, vocês veem um dos inúmeros Fusquinhas que serviram a antiga Telesp nos anos 80 sendo lavado por um funcionário. Algo interessante é que a maioria (se não a totalidade) desses carros era movida a álcool, combustível que era uma grande novidade no país na época.
Com certeza é uma imagem mais do que nostálgica e que mostra como as coisas funcionavam no passado.
Veja:


sábado, 25 de março de 2017

Enquanto isso em Washington...

O post de hoje traz um conteúdo que vem diretamente dos Estados Unidos da América com um carro bastante diferenciado. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um novo post todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também a sua direita também há um botão para que você se inscreva em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito próximo. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com uma grande admiração pelo universo dos Volskwagen refrigerados a ar.
Quando nós gostamos de algo, é muito comum que nós busquemos o conhecimento e/ou o entretenimento naquilo que temos afinidade. É por isso que você, pelo menos alguma vez na vida, já se pegou fazendo alguma pesquisa sobre aquilo que você curte em um momento vago na internet. Pois bem, hoje eu estava pesquisando (ou melhor, babando) em um site que eu gosto muito de frequentar e acabei encontrando esse clássico que vocês verão ao final do post.
Após algumas horas estudando quase que ininterruptamente nesse sábado, achei justo que eu deveria me distrair um pouco na internet. Pensando nisso, eu resolvi entrar no site TheSamba.com, um portal voltado aos VW a ar lá nos EUA. Nesse site, você encontra belos clássicos a venda e também muitas informações sobre o mundo Aircooled. Eis que nessa minha visita eu vi esse carro como destaque e é claro, tratei logo de trazer as fotos para cá.
O clássico que você vê ao final do post é um Fusca 1966 que circula por Washington. Como vocês podem notar, o carro segue mais ou menos a ideia dos RatLook que temos no Brasil, onde se vê um carro íntegro de mecânica e elétrica e uma estética "envelhecida" com acessórios geralmente únicos. Nesse carro vê-se um banco traseiro que só se sobrou a estrutura, um quadro encurtado de suspensão e inúmeros outros detalhes. O motor não tem uma receita forte, mas sim um comportado 1300 que leva tranquilamente esse carro a todo lugar.
Esse carro está a venda lá por 6000 dólares. O link do anúncio é este aqui e pela curiosidade resolvi postá-lo hoje.
Muitos detalhes do besouro casam com os nossos Fuscas, mas outros detalhes o tornam bem interessante, como o volante preto e o velocímetro em milhas conjugado aos botões do painel brancos. Aliás, essa combinação é exatamente inversa a utilizada nos Fuscas 1300 em 1971, como já citei em um outro post no passado.
Além das fotos, ainda há um belo vídeo do carro rodando por belas paisagens americanas.
Veja:















sexta-feira, 24 de março de 2017

A realização de um ideal em uma restauração de um Fusca

Esse é mais um post escrito totalmente as pressas em virtude da minha falta de tempo, mas não tenham dúvidas de que esse conteúdo é muito especial por se tratar de um sentimento que vai muito além de peças metálicas, de borracha, plástico ou a harmonia delas formando um carro. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias (nem que seja atrasado como esse, mas a gente sempre dá um jeitinho). Os botões de curtir e seguir o blog estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também há um botão a sua direita que permite que você se inscreva em meu canal do Youtube, onde vem muitas novidades por aí em um futuro muito breve. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui voltado para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo e com uma grande admiração pelo universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Muitas pessoas geralmente dizem que o dinheiro é solução para tudo nessa vida. No entanto, diria eu que o dinheiro é a solução para muitas coisas, mas não para todas. Ele pode ser um meio para alcançar um objetivo, mas não tem dentre seus números a capacidade de comprar sonhos. O post de hoje mostra um sonho realizado que eu não vi, mas ouvi de perto essa noite e faço questão de compartilhar com vocês, amigos seguidores.
Quando eu digo que carros antigos são excelentes meios de se fazer amigos, eu não estou exagerando. A história de hoje chegou ao meu conhecimento nessa noite em virtude de uma amizade que solidificou-se nos trajetos da vida. Há mais ou menos um ano eu me mudei de residência e, em virtude da nova localização, tive um leve aumento na distância de meu deslocamento diário. Desta feita, toda vez que eu estava voltando da faculdade, acabava pegando mais um ônibus para ficar mais próximo de casa. Como num passe de mágica, em poucas semanas eu me vi conversando praticamente todos os dias com o motorista desse último ônibus que eu encarava todos os dias. O motorista era muito gentil e nós acabávamos conversando sobre tudo, até que um dia os Fuscas surgiram em nosso papo e eu comentei da existência desse blog para ele.
Como se não bastasse, o motorista que até então eu não sabia que se chamava Luciano me contou que tinha dois Fuscas: Um 1980 (que você conhecerá hoje) e um 1968 que ele teve a oportunidade de comprar e que já estava na família há anos. Sem conhecê-lo, certa vez eu fotografei o carro dele num encontro do Pátio Cianê.
Desde aquele dia, nossas conversas não tinham outra pauta a não ser Volkswagen a ar e mecânica. Até que nessa noite ele me disse que a restauração de seu Fusca 1980 (feita totalmente em casa) estava no Youtube. Aproveitei o ensejo e mandei ver, faço questão de postá-la aqui.
Esse carro foi comprado pelo Luciano há alguns anos e, como vocês podem ver no início do vídeo, estava com muitas pendências a serem feitas. Com muita paciência, determinação, boa vontade e consideração pelos Fuscas, eles restauraram o carro e trouxeram ao Fusca um novo visual. Eu não conheço esse Fusca pessoalmente, mas o trabalho foi feito de forma simples, racional e cuidadosa. Um dos detalhes que mais gostei foi o volante, casou muito bem com o interior do carro.
Quero agradecer ao Luciano e ao Guilherme, seu filho que também segue esse pequeno blog pela parceria de hoje e sempre. O post do 1968 que em breve vocês verão promete.
Veja:



quinta-feira, 23 de março de 2017

Uma vista para o mar

Nesse blog nós já vimos fotos de cidades, estradas, orlas de praia mas ver um clássico molhar os pneus em uma água de oceano com certeza é a primeira vez entre os mais de 600 posts já publicados por aqui. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que acontece aqui no blog visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também há um botão a sua direita para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde vem muita novidade por aí em um futuro muito breve. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo e tem uma grande admiração pelo universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Hoje pela manhã eu estava procurando um arquivo aqui nas pastas do computador e acabei me deparando com essa foto salva aqui. Quem segue o blog há mais tempo (principalmente através do Facebook) deve se lembrar que essa foto foi ícone de um post há algum tempo, mas em virtude dela ser tão bonita e retratar um passado que não conta mais com a possibilidade de se tornar presente, achei justo que ela fosse o conteúdo de um post por aqui.
Nos anos 60, 70 e 80, era muito comum ver pessoas que moravam em grandes cidades ou em locais um pouco mais distantes do litoral pegarem seus Fuscas, Brasílias, Variant e outros VW a ar e se dirigirem até o litoral para se curtir uma praia no final de semana. É claro, os proprietários de clássicos de outras marcas também eram presentes em grande escala, mas a maioria dos carros que desciam eram Volkswagen. Uma alternativa ao Fusca para quem queria simplicidade agregada à um pouco mais de espaço era a Variant, um carro que tinha, juntamente com alguns outros modelos, a fantástica solução do motor plano.
Na foto que aparece ao final do post, vê-se uma Variant com os pneus na água do mar e uma família proprietária do clássico que contava com um mergulhador como integrante. Naquela época, com certeza essa Variant frente alta era uma das melhores alternativas para levar toda essa galera ao mais profundo (literalmente) divertimento.
Veja:


quarta-feira, 22 de março de 2017

Ajuste dos trincos da porta do Fusca e lubrificação da máquina de vidros

Com certeza esse é mais um post que pode servir para você naquele momento que as portas do seu VW a ar não fecham direito ou até mesmo se a máquina de vidro do seu clássico não sobe ou desce os vidros como você gostaria. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos, fáceis e descomplicados. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também a sua direita há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde vem muitas novidades em um futuro muito próximo. Clicando nesses botões, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e permite que mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com aquela admiração especial por todos os Volkswagen refrigerados a ar.
Durante toda a nossa vida, nós sempre encaramos diferentes desafios que geralmente são condizentes às fases que temos de passar durante toda a nossa jornada. Quando somos crianças, tudo parece muito simples e as fases do jogo da vida são sempre encaradas como um grande divertimento (como eu disse em um post de poucos dias atrás), já quando a adolescência e a idade adulta chegam, nós notamos que precisaremos esticar um pouco as pernas para escalar as pedras que nos foram atribuídas no meio de nossa estrada. No entanto, depois de tantos anos, batalhas e uma grande diversidade de fases que tivemos, podemos ter algum tipo de dificuldade em encarar os desafios se não tivermos o devido cuidado que já se faz necessário (pela idade) ao enfrentá-los. Pois bem, no mundo das máquinas e de tudo aquilo que não tem vida (ainda que os Fuscas sejam altamente temperamentais) isso também é presente e está explícito em algo totalmente aceitável na vida de um carro: O desgaste de peças. Conforme o tempo vai passando, as peças de um veículo vão tendo um desgaste que pode chegar ao ponto de fazer com que um determinado componente fique impossibilitado de cumprir a sua função. Por esse motivo, é sempre necessária uma manutenção rigorosa em qualquer veículo, mas sem dúvida deve ser dada uma atenção especial a todos os carrinhos que contam com um pouco mais de idade.
A imagem e os vídeos de hoje relatam um problema muito comum nos Fuscas em virtude de sua idade: As portas nem sempre estão alinhadas, não fecham direito ou pior: Resolvem abrir do nada quando se faz uma curva ou se passa por alguma irregularidade na rua. Esse problema geralmente se resolve fazendo o alinhamento do batente da porta ou até mesmo fazendo a troca desse componente que é bem barato e fácil de encontrar, como vocês verão em um dos vídeos.
Outro problema muito comum é que, depois de algumas décadas, as máquinas de vidro de seu VW a ar não trabalhem com toda aquela eficiência que se espera. Para que esse problema seja resolvido (ou amenizado) geralmente é necessária uma lubrificação no conjunto para que ele atue de forma mais suave.
A imagem que você vê ao final do post foi retirada do manual do Fusca 1965, o mesmo que eu já utilizei em outros posts de manutenção. Nela, vocês veem como é feito o alinhamento do batente da porta do Fusca e também como pode ser feita a lubrificação na máquina de vidro. Seguido disso, vão três vídeos do Tonella (que dispensa quaisquer outras apresentações e comentários quanto a fantástica qualidade de seu trabalho) que mostram, respectivamente, o alinhamento das portas e a montagem e desmontagem completa das portas do Fusca para essa e outras manutenções em todo aquele conjunto.
Veja:









terça-feira, 21 de março de 2017

Uma lembrança de um passado não muito distante

Hoje eu fiquei muito contente após encontrar essas fotos e de ter a oportunidade de postá-las aqui novamente. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos, práticos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também há um botão a direita para que vocês possam se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em breve. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com aquela afinidade pelo fantástico universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Para que nós possamos viver bem hoje em dia e usando tudo do bom e do melhor, sempre precisamos pagar um custo por isso. Para se ter um serviço de qualidade, sempre há aquela continha no final do mês em sua caixa de correio para que você pague por tudo aquilo que lhe foi fornecido. No entanto, muitos prazeres da vida não estão ligados ao dinheiro, pois não há nenhum tipo de moeda que é capaz de comprar a nossa felicidade. Além do conhecimento, as lembranças nunca tem preço e é exatamente por causa de uma delas que esse post é escrito hoje.
Se eu simplesmente descrevesse as fotos que aparecem ao final do post, talvez vocês não entenderiam o porque de eu estar curtindo tanto escrever esse breve post. Há mais ou menos 5 ou 6 anos atrás (não sei a data exatamente), meu pai vivia viajando todas as semanas para trabalhar. Nessa época, saibam, ele já contribuía muito para o antigo blog que eu tinha trazendo fotos ou alguma informação interessante sobre o universo VW a ar. Certa vez, ele comentou comigo que em seu trajeto semanal, ele sempre via um Fusca laranja estacionado em um sítio e sabia que eu adoraria postar aquele carro um dia. Pois bem, dias depois eu estava viajando com ele e, ao passar pela entrada do simpático sítio que fica a beira de uma estrada vicinal na cidade de Campina do Monte Alegre/SP lá estava o Fusca que ele tanto falava. Naquela ocasião, eu parei o carro e chamei alguém perguntando se eu poderia postar o carro. Quando me apresentei e falei do blog e tudo mais, o Sr. João, proprietário do Fusca e o típico agricultor responsável por colocar a comida na mesa de tanta gente ficou super feliz e já foi chamando toda a família para acompanhar o momento que eu tirava as fotos.
Quando eu conversava com o Sr. João perguntando algumas coisas do carro, lembro-me bem de uma frase muito curiosa de uma filha dele que, mesmo após tanto tempo, ainda é viva na minha memória: "Olha aí Pai, nós vamos ficar famosos com a foto do Fusquinha na internet".
Para mim naquele momento não importava mais o número de acessos que o post chegaria ou algo do gênero, o sorriso da moça já era mais do que suficiente. Hoje pela manhã eu encontrei essas fotos no meu HD externo e tive de escrever esse post novamente com o mesmo entusiasmo como se fosse da primeira vez.
O Fusca é 1975 com motor 1500, o último ano em que o Fuscão, carro que foi sinônimo de potência na linha Volskwagen nos anos 70 foi produzido. Um clássico usual que, com certeza, mesmo após tantos anos da minha última visita, deve estar servindo muito bem seu dono para as atividades diárias e até pequenas viagens. Disse meu pai, meses depois a esse flagra, que viu esse Fusca rodando na Rodovia Raposo Tavares com toda a disposição possível.
Essas fotos me trouxeram muitas lembranças, inclusive do Térios que tínhamos em casa que aparece parado em frente ao sítio.
Veja:






segunda-feira, 20 de março de 2017

Um teste drive no exterior

Eu sempre gostei desse tipo de vídeo e por acaso eu me deparei com esse compartilhado no Facebook "dando sopa" para aparecer aqui. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Além desses dois botões, também há um botão para se inscrever no meu canal do Youtube, onde aparecerão muitas novidades em breve. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com aquele "carinho especial" pelos Volkswagen refrigerados a ar.
Como eu disse lá no início do post, quando eu me deparei com esse vídeo, rapidamente eu me identifiquei com a maneira com que ele foi filmado e principalmente pelo conteúdo simples mas muito interessante que ele apresenta. Assistindo a conteúdos como esse, nós conseguimos enxergar o contraste que existe entre os besouros presentes no exterior em relação aos fabricados aqui no Brasil.
O Fusca é um dos carros que, sem dúvida, mais fizeram sucesso no mundo. Apareceu em muitos filmes, foi um veículo militar, foi produzido aos milhões em vários países no mundo e, como cada país conta com um tipo de consumidor diferente, o carrinho que tem um projeto super durável, simples e barato teve de sofrer várias alterações para os respectivos países em que foi comercializado. Para alguns, o custo era o principal fator, então em países como o Brasil o besouro foi produzido em busca de um custo menor. Em virtude disso, temos carros mais simples e com menos acessórios do que os besouros americanos e a maioria dos europeus.
O vídeo que aparece ao final do post mostra um teste drive que é feito em um Beetle 1978 conversível na Bélgica. Ele, ainda que rápido, mostra os inúmeros acessórios presentes nesses besouros lá de fora. Sem dúvida é muito bacana.
E o desempenho do carrinho na estrada é o suficiente para quem quer curtir o passeio.
Veja:



domingo, 19 de março de 2017

É hora da decolagem!

Além das imagens, hoje eu tenho duas questões para informar aos amigos seguidores que tanto tem me prestigiado nesse blog. A imagem de hoje é mais uma prova viva de que o Fusca foi, com toda a sua simplicidade, uma paixão mundial que deixou um grande legado a todos os amigos que mantém vivo o espírito VW a ar. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog, é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também há um botão para você se inscrever no meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão. Clicando nesses botões, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo e especialmente pelo vasto universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
A primeira situação que eu preciso falar para vocês não é tão bacana, mas é super importante compartilhar com vocês. Como vocês sabem, hoje é o terceiro domingo do mês e, como de costume, eu sempre vou ao encontro do Pátio Cianê mostrar todos os clássicos que abrilhantam um evento que de fato representa a cultura antigomobilista. No entanto, nesta manhã eu tive um compromisso (não tinha como remarcar ou faltar nele) e não foi possível ir para admirar todos os carros. Mas, se Deus quiser em abril eu estarei lá de novo e mostrarei todos os carros que puder, juntamente com todas as histórias que os integram.
A segunda questão é muito feliz e eu só estou escrevendo-a agora porque vocês não só me permitiram como me presentearam a ocasião. Nessa sexta feira, o blog atingiu os 170.000 acessos, e eu não poderia deixar de trazer aqui o meu muito obrigado a todos vocês que seguem o blog de alguma forma, contribuem para o seu crescimento e sempre deixam a sua honrosa visita a uma simples página que busca, ainda que de maneira simples e modesta, trazer todo o tipo de conteúdo que possa abranger o universo AirCooled. Conto e contarei com vocês sempre para que essa página continue decolando!! Muito obrigado!
Essas imagens que vocês veem ao final do post eu encontrei no meu HD externo, na página onde eu salvava os conteúdos do antigo endereço que eu tinha. Nelas, aparece uma cena muito bacana, que é de uma sequência de Fuscas embarcando em um avião. Muito provavelmente essas joias estavam sendo exportadas e esse registro ainda foi feito em seu país de origem.
Veja:



sábado, 18 de março de 2017

Veja como é feito o ajuste da cambagem do Fusca

Esse post além de trazer um belo Fusca em seus pouco mais de quinze minutos, também é algo de utilidade pública para todos aqueles que tem um Fusca ou derivado e andam pelas ruas desse nosso Brasil. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um novo post todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos, práticos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a direita também há um botão para que vocês, meus amigos seguidores, se inscrevam no meu canal do Youtube. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo e especialmente por todo o universo que engloba os Volkswagen refrigerados a ar.
Quando eu vi este vídeo que aparece ao final do post na minha lista de sugeridos no Youtube, fiz questão de assisti-lo e antes mesmo de poder, ainda que de maneira humilde, prestigiar o canal, já tinha a certeza de que o postaria. Com certeza o conteúdo de hoje pode ajudar você que, por uma infelicidade, passou por algum buraco um pouco mais fundo a bordo de seu VW a ar e notou anormalidades na dirigibilidade.
Nos dias de hoje, é muito comum buscarmos o procedimento de alinhamento em nossos veículos todas as vezes que notamos o carro "puxar para algum lado". No entanto, dentro do procedimento de alinhamento existem várias práticas que são necessárias para que toda a geometria da suspensão seja a mais precisa possível. Uma delas é a cambagem, serviço que muitos auto centers adoram cobrar a parte de maneira errônea, diga-se de passagem.
O vídeo que aparece ao final do post vem lá do canal do Leandro Coelho. Por diversas vezes aqui eu já disse que admiro muito o trabalho dele no Youtube, visto que ele tem uma didática muito boa conciliada a simplicidade que ele sempre tem quando vai gravar. De quebra, ele ainda tem carros maravilhosos como esse Fusca que você já teve a oportunidade de ver por duas vezes aqui no blog. Nesse vídeo, o Leandro mostra o ajuste da cambagem dianteira em seu Fusca com o acerto na quantidade de arruelas montadas na fixação da manga de eixo.
Veja:


sexta-feira, 17 de março de 2017

Uma solução antiga para se instalar um filtro de óleo em motores VW a ar

Com certeza esse assunto que integra o post de hoje é muito válido e não será possível falar de todas as possibilidades e detalhes dele em apenas uma publicação. Com o passar dos dias, pretendo escrever mais um post de abordagem parecida para falar das aplicações mais recentes que também tem uma solução muito prática. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos, práticos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todos nós temos hoje em dia. Além disso, também há o meu canal no Youtube, que você também pode se inscrever por um botão que também está aqui a sua direita. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui que é para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com uma certa "queda" pelos Volkswagen refrigerados a ar.
A ideia para escrever o post de hoje veio de uns dias atrás quando eu me deparei com essa propaganda que aparece ao final do post e, em virtude de vê-la quando estava no celular, não consegui salvá-la. Posteriormente, uma das primeiras coisas que tentei fazer foi localizar essa propaganda, mas não a encontrei. Desta feita, eu fiz uma pesquisa no Google e, juntamente com a propaganda, achei as fotos que aparecem em seguida e que podem ser alguns parâmetros para quem quiser fazer algo parecido.
Quando nós paramos para analisar o funcionamento do motor e todos os "setores" que atuam para que ele ande "redondinho", uma das coisas mais importantes a se observar é o sistema de lubrificação. Um motor limpo, bem lubrificado e com um lubrificante de qualidade com certeza terá um desgaste menor e um ronco muito mais uniforme do que um que, por exemplo, posterga as trocas de óleo. No entanto, o bom funcionamento do sistema de lubrificação não é dependente somente de uma bomba de óleo 100% operante, um lubrificante bom ou até mesmo o projeto de todo o "circuito do óleo", mas também da maneira com que este lubrificante é filtrado para que o motor sempre esteja limpo. Como nós sabemos, o componente no motor do Fusca que é responsável por filtrar o óleo lubrificante é a popular "peneirinha" montada juntamente a tampa do cárter e com ligação direta ao pescador da bomba de óleo.
Com o passar dos anos, esse sistema da peneirinha pôde provar a sua eficiência em virtude da durabilidade dos Fusquinhas. A própria fábrica recomendava (sabiamente) a limpeza da peneirinha quando da troca de óleo. Mas, em contramão em relação a solução adotada pela VW no motor boxer, muitos motores da mesma época tinham uma solução mais prática que era o uso do filtro de óleo propriamente dito que, cá para nós, é mais eficiente. Desta feita, muita gente que montou ou monta motores VW a ar busca a instalação de filtros de óleo em seus projetos. Depois de muitos anos (não sei exatamente quando isso foi implantado), a VW começou a usar em alguns motores no exterior um filtro de óleo com uma bomba que permitia a instalação do filtro. Um exemplo dessa aplicação são os Fuscas mexicanos Ultima Edicion, os últimos fabricados no mundo.
Hoje em dia é muito fácil se fazer uma instalação dessas, visto que existe uma grande variedade de bombas de óleo e outras peças que permitem esse upgrade. Mas antigamente não era bem assim. Visto que essa melhoria é bastante interessante e muitas pessoas poderiam buscar fazê-la, a Fram, tradicional fabricante de filtros automotivos desenvolveu um kit de filtro de óleo para os motores 1200. Para a época, essa solução era simples, mas muito funcional.
Nessas alturas do campeonato, você pode estar se perguntando o porque de utilizar um filtro de óleo em um motor desses. Pois bem, a aplicação de um filtro de óleo nesses motores é muito válida por permitir uma melhor filtragem do lubrificante e logo, uma maior durabilidade ao motor. Vale ressaltar (ainda que a propaganda não fale nada sobre) que é sempre recomendado utilizar uma bomba de óleo de maior vazão (com engrenagens maiores) em uma aplicação dessas. No motor 1200 isso é praticamente impossível pelo fato da bomba de óleo ser diferente em relação aos motores mais recentes.
Ao final do post você verá a propaganda da FRAM e após ela fotos de vários motores com essa aplicação ou alguma muito próxima, inclusive em motores com a carcaça "mais moderna". No próximo post sobre, eu falarei dessa melhoria e de como ela é feita nos dias de hoje.
Veja:












quinta-feira, 16 de março de 2017

Quando tudo é uma grande brincadeira

Esse é mais uma post escrito totalmente as pressas em virtude da falta de tempo que vem me acompanhando nas últimas semanas. Mas é claro: Eu sempre busco fazer "das tripas o coração" nesses momentos para ter algum conteúdo por aqui para vocês, meus amigos seguidores. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um novo post todos os dias. Os botões de curtir e seguir ficam aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem nos dias de hoje. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonadas pelo fantástico mundo do antigomobilismo e com aquele foco especial nos Volkswagen refrigerados a ar.
A forma de viver do ser humano é sempre muito interessante quando começamos a observar a maneira com que ela funciona. Se pararmos para pensar no passado, virão a tona inúmeras lembranças que, agregadas em uma ordem lógica, tornam você a pessoa que é hoje em dia. Se olharmos para o presente, sempre veremos o que está em nosso redor e, na medida do possível, buscamos sempre observar tudo aquilo que está próximo. O presente geralmente é o resultado do passado, e o futuro será o resultado do então presente. O futuro nos guarda sonhos, objetivos, perspectivas, metas...Mas com certeza aquilo que nós buscamos para o que ainda está por vir teve como um dos principais responsáveis todo o passado que se viveu. Por isso, busque sempre manter vivas todas as lembranças que te fazem bem e que mantém a sua integridade como pessoa. Se muitas páginas passadas de seu livro da vida não foram escritas como deveriam, trate de tentar corrigir isso para que o capítulo final possa ser o momento em que qualquer leitor aprecie da melhor maneira a obra que você escreveu.
A foto que você vê ao final do post foi salva por mim esses dias. Sinceramente falando eu nem me recordo que dia foi e nem onde foi. No entanto, eu a achei muito interessante pois deve retratar o passado de muita gente que está prestigiando o post de hoje. Nela aparece uma criança deitada sob o capô dianteiro de um Fusca dos anos 60, mostrando mais uma vez que este foi, sem dúvidas, um dos carros mais populares de todos os tempos.
Veja:



quarta-feira, 15 de março de 2017

Um Itamar montado no capricho!

Sem dúvidas esses vídeos que mostram detalhes de carros rapidamente são bem interessantes pela maneira com que são editados. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo e especialmente por todos os Volkswagen a ar.
Por algumas vezes aqui eu disse a vocês que, a cada dia mais, estou trocando a TV pelo Youtube. E isso está acontecendo por um motivo muito simples: Com o passar dos anos, apareceram vários Youtubers com muita qualidade nos conteúdos que produzem e, além disso, nós conseguimos assistir sobre qualquer assunto por lá. Diria eu até que hoje em dia o Youtube é uma excelente alternativa para quem não gosta de ler desde que seja usado de maneira correta e os canais sejam bem escolhidos. O vídeo que aparece ao final do post mesmo estava como sugerido para mim hoje e é claro, ele veio a calhar com tudo o que é postado aqui no blog.
O vídeo que aparece ao final do post vem lá do canal da CSN Arrancadas do Youtube. Nele, aparece um belíssimo Fusca Itamar montado com diversos acessórios que atendiam o desejo de seu dono. Uma das coisas que eu mais gostei nesse carro foi a receita utilizada: O carro foi montado em uma configuração original (que já tem um desempenho bem interessante) mas com inúmeros acessórios que melhoram a estética para quem quer fugir um pouco de algo totalmente original e, nem por isso, perder o ar clássico.
O carro em si dispensa comentários, vou deixar para que vocês, amigos seguidores, possam tecer os comentários sobre o clássico.
Veja:


terça-feira, 14 de março de 2017

O combustível por um prego

Esse é, sem dúvidas, um dos posts em que a criatividade mais foi usada em toda a história desse blog. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo e em especial pelos Volkswagen refrigerados a ar.
Quando eu vi essa foto que aparece ao final do post, a primeira coisa que pensei era quão interessante poderia ser um post com ela pois, independente da simplicidade que ela nos passa, a imagem também retrata, ainda que no meio automotivo e/ou da mecânica, uma grande realidade que pode acontecer na vida de todos.
Durante a nossa vida, nós sempre estamos encarando desafios, dificuldades, recebendo glórias e, de uma forma ou de outra, nos deparando com algo diferente a cada passo que damos. Nessa nossa jornada, com certeza já apareceram problemas que, em virtude da circunstância, nós fomos obrigados a resolver com o que tínhamos de forma acessível. Pois bem, o post de hoje mostra um problema que aconteceu com um carro e seu proprietário, utilizando a melhor ferramenta do mundo chamada cérebro conseguiu contorná-lo de maneira simples ainda que numa situação provisória.
A foto que aparece ao final desse post foi postada pelo Heitor Coelho lá no grupo do Facebook "STR - Somos todos Rastrelo". Esse grupo é voltado para todos aqueles que conciliam a humildade, simplicidade, honestidade e coerência com a manutenção automotiva. Nela, o Heitor relata um problema que ele teve com o seu Fusca e a maneira bem interessante que ele a contornou provisoriamente. Há poucos dias atrás o Heitor se deparou com o marcador de combustível de seu Fusca inoperante por um motivo simples: O ponteiro havia quebrado. Sendo assim, ele teve de encontrar uma solução provisória até comprar um novo marcador. Desta feita, ele sabiamente pegou um prego e o montou de modo que substituísse o ponteiro. Com poucos centavos ele conseguiu manter o carro rodando no tempo necessário para que chegue o novo instrumento.
Isso é que eu chamo de inteligência. Criatividade é tudo nessa vida.
Quero agradecer, desde já, o Heitor por ter me autorizado a postar essa imagem!
Veja:


segunda-feira, 13 de março de 2017

Alguns dos porquês de os Fuscas serem tão populares

No dia do aniversário da minha mãe, uma propaganda que muito provavelmente tem a idade dela. Mais uma vez apresento para vocês um post que mostra alguns dos motivos pelos quais os Volkswagen refrigerados a ar foram e continuam sendo tão populares aqui no Brasil. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Clicando neles e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas conheçam todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, como eu, são apaixonados pelo mundo do antigomobilismo e pelos Volkswagen refrigerados a ar.
Hoje é dia 13 de março de 2017. Nessa data, minha mãe completa mais uma primavera e, após tantos anos, ainda continua cuidando de mim como se eu fosse o pequeno garoto que ela viu crescer. Minha mãe nasceu no finalzinho da década de 60, coincidentemente em algum momento próximo a quando essa propaganda que aparece ao final do post foi veiculada. O que me chamou a atenção nela é toda a verdade expressada na escrita e aquilo que mais encanta é que toda aquela afirmação feita pelo marketing da Volkswagen ainda faz-se verdade após tantas décadas.
A propaganda que vocês veem ao final do post foi encontrada por mim no Google ontem e, dada toda a sua criatividade, tratei logo de postá-la aqui. Nela, aparece um belo Fusca do final dos anos 60 com toda uma descrição de como era o perfil de quem comprava um Volkswagen. Para a surpresa de todos os leitores, a VW afirmava que qualquer pessoa poderia ter um Fusca desde que tivesse bom senso e optasse pela economia, simplicidade e preço de revenda. Cá para nós, a Volkswagen estava corretíssima em sua colocação. A maior prova disso é o elevadíssimo número de Fuscas e derivados que ainda temos nas ruas após tantos anos.
A propaganda em si dispensa muitos comentários.
Veja:



domingo, 12 de março de 2017

Variant 1972 - Roberto Quintanilha: Um exemplo de originalidade

Quando eu disse há alguns dias que apareceriam algumas Variant aqui no blog nessa semana, nem eu imaginava que seriam tantas e que todos os exemplares fossem tão interessantes. Portanto, para fechar a semana com chave de ouro, vai mais uma Variant que com certeza vocês irão adorar. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas conheçam todo o conteúdo que é postado aqui para pessoas que, assim como eu, são apaixonadas pelo fantástico mundo do antigomobilismo com foco nos Volskwagen refrigerados a ar.
Durante esses cinco anos de página e pouco mais de 600 posts, já apareceram carros de todas as épocas e de todos os estilos. Já mostrei um Fusca dos anos 50 que roda diariamente até hoje, carros com baixíssimas quilometragens, carros zero quilômetro e muitos outros exemplares que puderam abrilhantar o blog. No entanto, eu sempre disse que existem alguns VW a ar que raramente aparecem, e um deles é a Variant. Essa semana, particularmente, correu de maneira muito diferente nesse aspecto. Coincidentemente, consegui mostrar duas Variant muito bacanas, como a 1974 azul rebaixada que vocês viram e a 1972 recém adquirida pelo meu amigo Fernando do canal #FuscaFilmador. Se vocês observarem esses dois modelos, verão que o primeiro recebeu modificações de suspensão e outros acessórios, já a última tem um bom veneno no motor e uma identidade muito forte. Para fechar a semana e essa sequência simplesmente fantástica de Variant, hoje é dia de mostrar um exemplar que abre mão das modificações para mostrar sua beleza vinda da fábrica recheada com a maior virtude que um carro antigo pode ter: A simplicidade.
Essa Variant 1972 maravilhosa que vocês veem ao final do post pertence ao meu amigo Roberto Quintanilha. Não, se você já segue o blog esse nome não é estranho. Há algum tempo atrás, o Roberto me permitiu escrever dois posts sobre a Brasília que ele possuía e, posteriormente, fotos do início do projeto do Fusca que ele tinha acabado de adquirir. Como se não bastasse, nessa semana o Roberto me contatou e me mostrou a mais nova aquisição da casa: Essa Variant.
A história desse carro é bem interessante e é até bem comum quando falamos de carros antigos bem originais. Esse carro, segundo o Quintanilha, pertenceu a um sanfoneiro que, depois de muita música e satisfações com o carro, o vendeu para uma senhora que a possuiu até o final de sua vida. Posteriormente, esse carro foi vendido a mais uma pessoa até que o Roberto pôde comprar essa joia. Esse clássico ainda conserva 70.000 km originais e diversos detalhes interessantes, como a pintura original amarelo colonial, cor característica da década de 70, bancos originais e inúmeras peças em estado de novas. Para a sonorização, o clássico Motoradio 3 faixas para que os passeios tenham um áudio mais do que nostálgico. O motor segue a receita mais acertada possível, 1600 com dupla carburação.
O próximo carro do Roberto que deve aparecer por aqui é um Fuscão 1500. Com certeza estaremos no aguardo.
Este carro está muito bonito e é, sem dúvidas, uma das Variant mais bonitas que já postei.
Veja:





Quero agradecer o Roberto por ter enviado as fotos!
E assim fecha-se mais uma semana no blog com um exemplar que dispensa comentários.
Quer ver seu carro aqui no blog? Me mande um e-mail.