terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Propaganda do escapamento Kadron

Só de ler o título desse post eu sou capaz de ouvir o ronco único que esse escapamento gera. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que tem post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Clicando neles você está dando uma grande força e prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele possa crescer sempre.
Quando eu encontrei essa propaganda no Google, não pensei duas vezes em postá-la. Esse tipo de propaganda transforma esse blog, em alguns instantes, numa incrível máquina do tempo capaz de nos fazer viver um pedacinho dos anos 60, 70 e 80 em pleno 2017.
Há algum tempo atrás eu escrevi um post que tratava do escapamento do Puma, mostrando a sua aplicação e os diferentes roncos que ele pode ter de acordo com as ponteiras, abafadores e outros detalhes. O post de hoje é praticamente um complemento à aquele, porém numa "visão nostálgica", eu diria.
Quando alguém pretende melhorar o desempenho de um VW a ar, uma das primeiras peças (até pelo fato de ser um investimento relativamente baixo) que as pessoas procuram melhorar ou trocar é o escapamento. Se tratando da mecânica VW a ar, existe uma enorme gama de opções para fazer seu Fusquinha roncar alto e andar melhor. Nos anos 60, 70 e 80 isso não era muito diferente: Muitas fábricas produziam diversos escapamentos dimensionados para o Fusca. Uma delas era a Kadron, que produzia esse escapamento com ronco único.
A propaganda que aparece ao final do post, como disse antes, é do escapamento Kadron, que tinha a saída lateral. Com certeza este é um produto que foi sonho de consumo de muitos e ainda desperta o interesse de todos que buscam um escapamento mais livre.
Veja:


segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Uma Brasilia Dacon espetacular!

Hoje realmente é um dia de você proteger o teclado para não babar após ver esse carro que é um show de requinte e harmonia. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, e clicando neles você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para o crescimento da página.
Quando eu encontrei esse vídeo no Youtube, eu queria postá-lo para naquele instante aqui no blog, mas como haviam outros posts na frente, somente hoje é que eu estou disponibilizando essa joia para vocês verem. 
Há algum tempo atrás, eu tive a oportunidade de postar aqui para vocês uma Brasília Puma que, como o próprio nome diz, era uma Brasília customizada pela Puma que tinha uma identidade muito forte e era cheia de acessórios que a tornavam única. Neste mês, eu postei uma Brasília LS quatro portas monocromática que era linda de ver. Desta vez, eu quero trazer para vocês uma configuração diferenciada da Brasília que possivelmente é tão rara quanto uma Brasília Puma: A Brasília Dacon.
Quem acessa o blog há mais tempo sabe que eu tenho uma grande admiração pela Dacon. Nesses cinco anos de página, eu tive o privilégio de flagrar um Dacon Nick, raro modelo montado pela Dacon estacionado em uma rua do centro de São Paulo. Para quem não sabe, a Dacon era uma concessionária VW que ficava na Av. Faria Lima, em São Paulo. Além de vender e fazer manutenção em veículos VW nos anos 70 e 80 (e acredito que parte dos anos 90 também), ela personalizava diversos modelos. O mais conhecido é o Passat Dacon, um Passat diferenciado e customizado pela concessionária.
Dentre as pérolas preparadas pela Dacon, havia um VW a ar que aparece hoje nesse post: A Brasília. A Brasília Dacon era preta, com rodas de Porsche e com inúmeros acessórios que a tornam parecida (mas não igual) com o estilo Germann Look que temos hoje. Algo que eu acho muito bonito nesse carro (além do interior em couro) é a bolha nos faróis, algo que era muito comum nos primeiros Pumas.
O vídeo que aparece ao final do post vem lá do canal do Bellote no Youtube. Como eu já disse outras vezes, eu tenho uma grande admiração pelo trabalho dele principalmente por ele nos permitir passear por clássicos que mantém vivo o antigomobilismo brasileiro.
Veja:


domingo, 29 de janeiro de 2017

Um clássico no meio da chuva

É por isso que é gostoso de se morar no interior. Quase todos os dias a gente se depara com uma cena parecida com essa. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Clicando neles, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que seja facilitado o crescimento da página.
Pois bem, hoje é dia 29 de janeiro de 2017. Há três dias atrás, eu tirei as fotos que aparecem ao final do post. Ainda que numa correria danada e debaixo de chuva, fiz questão de tirá-las visto que achei o carrinho bastante interessante.
Quando eu disse no primeiro parágrafo desse post que é muito bom viver em um lugar que sempre se vê um carro antigo circulando, acreditem, não é exagero. Eu me lembro que quando eu era criança e morava no centro de São Paulo, eu ainda via muitos carros ligeiramente antigos e até alguns VW a ar nas ruas. O que eu mais via, na verdade, eram as Kombis fazendo entregas nos lugares, seguidas pelos Fusquinhas, que eu também via rodando com uma certa frequência. Depois de alguns anos, quando mudei-me para o interior (Agora em 2017 completam 12 anos que eu saí de São Paulo) é que comecei a ver muitos carros antigos nas ruas, principalmente os Fuscas. Quando eu me mudei para Sorocaba, onde vivo há 4 anos, também notei uma grande presença de Fuscas nas ruas. O flagra de hoje é uma prova viva disso.
As fotos que aparecem ao final do post, como disse, foram tiradas por mim nessa última quinta feira. Eu estava indo almoçar e correndo contra a chuva, mas quando vi esse Fusca resolvi tirar duas rápidas fotos. Trata-se de um Fusca 1974 (confirmei o ano pelo Sinesp) 1300, o modelo de entrada na época, apelidado de "canelinha seca" por muitos. A cor, um marco na história dos VW a ar no Brasil, o Azul Caiçara, muito próximo ao Azul Niágara, cor que também marcou significativamente o catálogo da VW. Há alguns meses atrás eu postei um Fusca muito parecido com esse inclusive placa preta, contribuição do meu amigo Haron.
O curioso é que passei no mesmo local onde tirei essas fotos uma hora depois mais ou menos e o Fusca já tinha saído de lá. Fiz bem de parar na chuva e flagrar o clássico.
Veja:




sábado, 28 de janeiro de 2017

Detalhes dos coletores de entrada simples para carburação dupla nos VW a ar

Hoje o blog está ganhando um post recheado de várias informações que podem ser cruciais no momento da instalação de uma dupla carburação em um VW a ar. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis.
Quando eu digo aqui que adoro falar sobre VW a ar e que é sempre muito gratificante postar algum conteúdo aqui no blog, é por causa de materiais como esse, de materiais que fazem a diferença e que enriquecem o conteúdo daqui. Há algum tempo atrás, eu escrevi alguns posts que tratavam de dupla carburação, como o do Puma Kit, da dupla carburação aplicada no motor 1500 (o vídeo citado no conteúdo de hoje), das duplas Weber 40 e EPC 34 da EMPI dentre outros posts que tratavam de carburação simples, como do carburador 31PICT da Solex, as Weber centrais e até mesmo o carburador de venturi variável. Hoje o post também trata de carburação, mas não de um carburador propriamente dito, mas sim de uma peça fundamental para a operação de uma carburação legal: Os coletores de admissão.
No momento em que uma pessoa está disposta e com a pretensão de instalar uma dupla carburação em um VW a ar, é necessário que ela saiba tudo que vai ser necessário, como os dois carburadores, as peças de acionamento (como as varetas, por exemplo), os filtros de ar, os coletores e diversos outros pequenos detalhes. Quando a ideia é instalar a dupla em um motor que tenha cabeçotes de entrada simples, como originalmente são os motores 1300 e 1500, é necessária a instalação de coletores diferenciados, utilizados no Fusca à álcool, que tinha dupla carburação também.
Com o passar dos anos, esses coletores se tornaram escassos dada a procura por eles para a instalação de dupla. Por esse motivo, vê-se alguns pares a venda na internet por pequenas fortunas. Além dos coletores antigos, existem outras duas alternativas de instalação, como os coletores vendidos pela EMPI (que também não são muito baratos, geralmente) e alguns coletores nacionais que se vê a venda.
O vídeo que aparece ao final do post fala exatamente deles, destes coletores mais baratos e nacionais. Este vídeo vem do canal de um recém amigo que tenho no universo VW a ar mas que já admirava mesmo sem nenhum tipo de contato, o Filipe Arce, que eu já recomendo fortemente que vocês se inscrevam em seu canal. Durante os minutos de vídeo, o Filipe mostra esses coletores recém comprados para a instalação de uma dupla em seu Fusca, mostrando os prós e contras do produto. Algo que me chamou a atenção nesse vídeo foi a observação muito válida que ele fez com relação ao tamanho do ressalto que encaixa nos cabeçotes, tornando quase que obrigatória uma usinagem para que este se adeque totalmente à uma cabeçote de motor a gasolina.
Veja:


sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Uma solução pequena entre as "barcas"

Com certeza essa foto revela como eram a maioria das soluções nas relações peso x potência nos carros dos anos 50, 60, 70 e até mesmo dos anos 80. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog visto que sempre há um post novo todo dia. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita e, clicando neles, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis. É uma grande força que você dá para a página.
Muitas vezes as pessoas que curtem mecânica e automóveis acabam tendo uma concepção errônea de muitos projetos de carros que aparecerem como lançamentos. Boa parte dessas pessoas simplesmente se apega a números e não observa o contexto do projeto, buscando entender a proposta que o carrinho foi criado. Pois bem, a foto que aparece ao final desse post mostra, de maneira discreta que um carro de motor "pequeno", pode ser sim um belo brinquedo.
Na ocasião em que fui ao Salão do Automóvel de São Paulo no ano passado, eu fiz questão de mostrar ao máximo todas as novas tecnologias que eu encontrava espalhadas pelo evento. Haviam câmbios cheios de tecnologia, carros híbridos e até mesmo motores bem pequenos que eram capazes de empurrar muito bem carros grandes e pesados. Para muita gente essa lógica de motores pequenos e carros grandes não pode bater (e realmente pode nos parecer um tanto inusitada num primeiro momento), mas na prática isso é bem possível nos dias de hoje.
Quando o nosso querido, simpático e durável Fusquinha foi lançado por aqui, lá nos anos 50, a solução adotada para atingir uma relação peso x potência satisfatória era praticamente novidade por aqui. Enquanto boa parte dos automóveis no Brasil e no mundo eram muito grandes, pesados e com motores enormes (a maioria partia de 6 cilindros) com um grande deslocamento, o Fusca e outros modelos que apareceram mais ou menos na mesma época (como os DKW, por exemplo), traziam uma proposta diferenciada: Motores pequenos, câmbios um pouco mais curtos e carros leves, a fim de desenvolver um melhor desempenho.
A foto que aparece ao final do post eu encontrei há alguns dias na internet. Nela, aparece um Karmann Ghia, esportivo VW a ar que também seguia a mesma teoria: Motor pequeno (os primeiros modelos eram 1200cc com apenas 36cv) porém muito leve, o que trazia números de potência bem interessantes para a época junto de diversos carros grandes nas ruas (que eu os carinhosamente chamei de "barcas" no título desse post), o que era muito comum de ser visto.
Veja:


quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Um encontro de VW a ar fantástico

Com certeza se eu fosse a um evento desse fotografar os carros, faltaria espaço no cartão de memória da câmera. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Clicando neles com certeza você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis.
Hoje já é dia 26 de janeiro. Por mais incrível que isso possa parecer, nós ainda estamos falando sobre o dia nacional do Fusca, mesmo passados 6 dias dessa data tão especial. Desta vez, trago um vídeo para vocês que foi uma indicação maravilhosa.
Por muitas vezes aqui eu disse que a cada dia eu tenho trocado mais a TV pelo Youtube. Pois é, hoje é uma exceção. O Youtube geralmente nos oferece vídeos com muito conteúdo sobre o que quisermos na hora que quisermos, o que geralmente não é assim na TV. Porém, muitas vezes entre programas comuns pode aparecer algo que efetivamente nos chama a atenção, como o post de hoje.
No dia 23, pela manhã, o meu pai (sim, ele de novo contribuindo para o blog) me disse que viu uma reportagem muito bacana sobre o Dia Nacional do Fusca veiculada no "Café com Jornal", telejornal veiculado todos os dias de manhã na Band. Curioso por ver a matéria, lá fui eu entrar no site e procurar a matéria. Confesso, fiquei bem surpreso, gostei tanto que estou postando aqui.
A matéria mostra um evento fantástico com muitos Fuscas nesse Dia Nacional. Uma boa parte dos participantes é integrante do Fusca Clube do Brasil, trazendo belíssimos carros juntamente com os demais expositores. No vídeo, são mostrados Fuscas dos mais diversos estilos e também uma Kombi montada com extremo bom gosto.
Como a matéria é hospedada no site da Band, você pode conferi-la no link abaixo.
Clique aqui para assistir a matéria.


Quero agradecer, mas uma vez, meu pai pela contribuição e indicação!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

É hora da baliza!

Está aí mais um momento mais do que nostálgico e que boa parte das pessoas já passaram. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos, fáceis e explicados. Clicando neles você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis.
A nossa vida é feita de dias, noites, semanas, meses, anos, décadas e porque não até de um século. Dentro desses dias, noites, semanas e tudo mais, existem os momentos. A foto que eu trago no post de hoje é o retrato de um momento que é muito importante na vida de qualquer pessoa que goste de automóveis.
Os momentos que compõem a nossa vida podem ser dos mais distintos: Podem ser aqueles que a gente não se lembra, como os primeiros passos que foram descritos apenas por nossos pais, ou aqueles que estão vivos em nossa mente, como os primeiros anos da escola, quando se aprende a andar de bicicleta, a formatura da escola, a primeira namorada e muitas vezes uma conquista que se faz possível a partir dos 18 anos: A carteira de habilitação.
Quando a pessoa tem a oportunidade de se habilitar, sempre vem aquela sensação de liberdade em virtude de poder guiar livremente um veículo por aí. Mas como nem tudo são flores, existe todo um processo para que se possa sair dirigindo para todos os cantos.
No momento que é possível tirar a carteira, a pessoa se dirige a auto escola e faz o curso teórico, o curso prático, provas e finalmente o exame final, aquele que vai lhe permitir ou não a permissão para dirigir. Se nós começarmos a observar, nós veremos inúmeras pessoas tendo aulas práticas nas ruas andando nos Celta, Gol, Palio, Up, March, Uno e diversos outros modelos. Pois bem, antigamente não era assim. Meu pai mesmo, que é habilitado há mais de 30 anos, aprendeu a dirigir no Fusca. Eu infelizmente não tive essa oportunidade, aliás, dirigi somente um Fusca na vida que vocês conhecerão num futuro breve.
A foto que aparece ao final do post eu vi no Facebook há alguns dias, porém, pelo celular. Depois de um tempo procurando no Google, eu a encontrei e achei interessante postá-la aqui. Nela, aparece uma cena de baliza feita em aula de auto escola (ou exame prático, não sei exatamente) há muitos anos atrás, com um Fusquinha dos anos 70 de protagonista.
Veja:


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

O Encontro Garagem das Carangas visto do alto - DNF 2017

Hoje é dia de mostrar mais uma bela contribuição que esse blog recebeu poucas horas após a publicação do encontro. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rolas aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui, rápidos e fáceis, não se "acanhe" (rsrsrs) em clicar neles! Dando essa forcinha você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis.
Muitas vezes nós ouvimos ou lemos algumas frases que nos colocam realmente para pensar. Quando um famoso ou uma pessoa reconhecida pelo que faz começa a ter expressividade na internet, é sempre divulgado o número de seguidores que esta pessoa tem, ou seja, pessoas que acompanham e prestigiam tudo aquilo que aquela pessoa faz na internet. A cada dia que se passa, eu tenho percebido que este blog não tem seguidores (seja aqui no Google, no Facebook ou Instagram), mas sim amigos que entram aqui todos os dias para acompanhar o que há de novo. O post de hoje é mais umas prova disso.
Na ocasião do último encontro no Pátio Cianê que fui (a edição deste mês), eu recebi uma contribuição especial do Giba: Algumas imagens aéreas que ele fez com seu drone de todo o evento. Aquelas renderam muitos acessos e uma delas foi até o banner do link compartilhado no Facebook. Naquele dia, eu perguntei ao Giba, dono de vários carros que já apareceram por aqui, se ele poderia me ceder as imagens e ele não exitou em permitir. 
Como vocês sabem, no último sábado, o dia 21 de janeiro, eu tive a oportunidade de ir a um encontro fantástico, o Garagem das Carangas em edição especial pelo dia Nacional do Fusca, celebrado no dia 20 de janeiro. Naquele post, eu comentei que tinha visto o carro do Giba e ele de longe operando o drone enquanto eu chegava. Pois bem, ao enviar o link do post para ele, rapidamente chegaram no meu Whatsapp essas belíssimas imagens aéreas de um dos eventos mais bacanas do ano no antigomobilismo Sorocabano.
As duas primeiras imagens são da saída da carreata (que infelizmente não consegui acompanhar por todo o percurso) e a última em um ponto já próximo do encontro.
Veja:




Quero agradecer ao Giba pela contribuição!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Conhecendo a bomba de combustível do Fusca com reparo

Hoje é dia de mostrar um tipo de peça que raramente se vê em algum Fusca atualmente, principalmente em carros usuais. Se você já está me dando a honra da visita, não se esqueça de deixar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todo dia. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, muito rápidos e fáceis. Clicando neles você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis.
Toda vez que eu começo a escrever um post que trate de mecânica ou de manutenção automotiva, eu sempre tento achar alguma maneira de criar um paralelo com o que havia antigamente relacionado ao assunto do post com o que temos na manutenção/mecânica automotiva nos dias de hoje. O assunto de hoje é tão interessante que não é tão difícil de intentar fazer esse paralelo, dada tanta informação que o vídeo de hoje traz assim como a internet pode auxiliar nas pesquisas.
Se nós chegássemos à uma oficina nos anos 60, 70, 80 e até mesmo nos anos 90 com um carro antigo e falássemos ao mecânico que o carro está falhando muito provavelmente ele iria sugerir um serviço que era muito comum e mais do que frequente nas oficinas: Uma limpeza de carburador. No entanto, nem sempre somente a limpeza do carburador era capaz de resolver todos os problemas, era necessária uma revisão na bomba de combustível, que antigamente era mecânica em 99% dos carros (isso só para não dizer que era em todos). Naquela época, boa parte das bombas mecânicas ofereciam a possibilidade de reparo, ou seja, se podia desmontar a bomba, trocar vários componentes internos de modo que esta voltasse a funcionar novamente. Muitas vezes as bombas apresentavam problemas por um diafragma furado, ou uma junta que apresentasse algum tipo de vazamento de combustível.
Com o passar dos anos, a indústria de autopeças acabou achando uma alternativa com menor custo para as bombas de combustível mecânicas: Fabricar bombas blindadas, ou seja, se der um defeito, se troca. Nesse período de transição, muitos carros tiveram as suas bombas trocadas, tornando raras às autopeças que tem reparos a disposição para manter um modelo mais antigo. Se a gente der uma passadinha no Mercado Livre, já de volta a 2017, nós veremos que ainda é possível achar reparos a venda, mas não nas bancadas de lojas como nas décadas passadas.
Com a chegada da injeção eletrônica (algo que eu acho simplesmente fantástico e que já está cedendo parte de seu espaço a injeção direta), todas as bombas de combustível que saíam em carros zero se tornaram elétricas e com reguladores de pressão, de modo que esta seja constante e acompanhe o "ritmo" da injeção eletrônica, que é muito mais precisa.
Um exemplo de um Fusca que ainda utiliza uma bomba dessas com reparo é o Fusca 1967 do Carlos, que foi tema do post de número 400 por aqui, além do Fusca do Leandro, autor do vídeo de hoje.
O vídeo que aparece ao final do post veio lá do canal do Leandro Coelho. Quem acessa o blog há mais tempo sabe que eu sou um grande admirador do trabalho e do Fusca 1979 que ele tem. Neste vídeo, ele mostra dois modelos de bomba de combustível com reparo, suas particularidades e também como pode ser feita uma revisão rápida.
Veja:



domingo, 22 de janeiro de 2017

Propaganda da dupla carburação Puma Kit e outros acessórios

Esse é mais um post mais do que nostálgico que torna esse blog uma máquina do tempo toda vez que este é visualizado. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão bem fáceis aqui a sua direita. Clicando neles, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis.
Quando eu digo que um post como o de hoje é mais do que nostálgico, é pelo fato de dificilmente você ver uma propaganda nesse estilo em uma revista automobilística nos dias de hoje. Como na época em que essa propaganda era vinculada a internet ainda não existia, o papel era uma das melhores formas de informar as pessoas.
Há algum tempo atrás eu escrevi um post mostrando uma propaganda antiga do Puma Kit. Para quem não sabe, Puma Kit era um "pacote" de peças vendido pela Puma (que fabricava os maravilhosos carrinhos em fibra) para proprietários de outros VW a ar, a fim de melhorar a performance ou a estética. Naquela época, um produto que atingiu um grande sucesso de vendas foi a dupla carburação, vendida para várias configurações de motor, desde 1300 até 1600. Além disso, diversos outros acessórios como volantes, manoplas de câmbio e outras coisas mais eram comercializadas pela Puma. No outro post, eu detalhei um pouco mais o kit de dupla e até falei como você pode montar um kit desses nos dias de hoje.
A propaganda que aparece ao final do post, como disse, é do Puma Kit veiculada na tradicional (e existente até hoje) revista Auto Esporte. Nela, aparece a propaganda de uma loja que comercializava esses tipos de produtos com condições especiais para que as pessoas pudessem equipar seus Fuscas e derivados.
Veja:


sábado, 21 de janeiro de 2017

Encontro Garagem das Carangas - Dia Nacional do Fusca 2017

Talvez nesses cinco anos de existência do blog este seja um dos posts mais completos, se não o mais completo. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que tem posts novos todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Clicando neles você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para o crescimento da página.
Como vocês sabem e muito provavelmente já viram, há uma semana atrás eu tive a oportunidade de registrar e postar aqui o primeiro evento do ano, o Encontro de Antigos do Pátio Cianê, aqui em Sorocaba. Naquela ocasião, eu escrevi o post, a galera acessou e eu houve, mais uma vez, aquela interação mais do que saudável nos comentários. Durante a semana, eu recebi um convite do Silvio Caranguinha (Além do Caco, que vocês já conhecem os belíssimos Fuscas que ele possui) para comparecer à um evento no dia de hoje, o Garagem das Carangas em uma edição especial em virtude do Dia Nacional do Fusca, celebrado ontem. Sabendo disso, organizei-me para ir até o local nessa manhã mas não esperava um dia tão interessante como este sábado foi.
Ao acordar pela manhã, eu abri a janela e vi um clima um tanto nublado e fechado. Acreditei eu que diante dessas condições climáticas muitos amigos donos de clássicos não estariam dispostos a levarem seus carros. Felizmente eu me enganei. Ao tirar o Sentra da garagem para ir ao evento, eu ouvi um grande número de buzinas sendo acionadas e até sirenes. Ao olhar no retrovisor, já estacionado na rua, vejo uma carreatada formada apenas por VW a ar rumo ao local do evento. Confesso eu que nem sabia da carreata, mas dei uma aceleradinha para acompanhar.
Chegando ao local do evento (na verdade antes eu errei o local pois passei a carreata no objetivo de achar alguma vaga para estacionar), meu pai e eu fomos muito bem recebidos e pudemos tirar fotos de belos carros. Por incrível que pareça, eu não vi quase nenhum amigo dos outros encontros por lá, ainda que eu tenha visto os carros estacionados. Durante o evento, eu tive uma surpresa que vocês verão nas fotos.
Desta vez, além de mim eu tinha um outro fotógrafo que é o autor de diversas imagens que aparecem abaixo: Meu pai. As fotos vão na ordem do evento, mesclando entre fotos minhas e dele.
Veja:

Este foi o momento que comecei a fotografar a carreata que passava por uma das vias mais importantes de Sorocaba: A Av. Dom Aguirre.









Daí surgiu a ideia de meu pai (que aparece de camisa amarela) e eu pararmos em um ponto do trajeto para fotografarmos todos os carros.




Fusca do Caco, que já apareceu aqui semana passada.






Se você leu o post do último encontro e alguns outros de antes, com certeza vocês conhecem esse Fusca que aparece nas fotos. Há mais detalhes dele nas próximas fotos.


















Fusca verde do Roberval, também nosso velho conhecido.













Fuscão 1500 do Léo, que nós já conhecemos aqui também. Este foi um clássico montado com extremo bom gosto.




























































A primeira surpresa que eu tive hoje e que conto a todos vocês com todo o prazer foi essa. Ao chegar no evento, meu pai intermediou (de uma hora para outra, enquanto eu fotografava os primeiros carros) uma entrevista para mim sem eu saber. Nessa ocasião, eu tive o grande prazer de ser entrevistado pelo programa TVR Auto, da emissora TVR daqui de Sorocaba, o canal 23 da NET. Na próxima semana, a reportagem do evento com a minha entrevista entrará no ar e claro: Ela estará aqui para vocês assistirem. Quero agradecer mais uma vez à TVR por toda a receptividade que me deram durante a gravação. Com certeza esse é mais um grande passo para o crescimento do blog.

Entrada do evento com as bancas.







Aí está mais um Fusca que já nos é velho conhecido aqui no blog.







Eu como um admirador assumido de todos os Fuscas da década de 60, confesso que fiquei por alguns minutos olhando bastante esse clássico que está muito íntegro e original.






Fusca do Caco novamente.






Sim, muito provavelmente você conhece esse Fusca. Na semana passada, eu disse que tinha 90% de certeza que o simpático Fusca 1962 que fotografei no Pátio Cianê tinha sido o clássico que viajou até Natal/RN no projeto "De Miliduke por aí" e eu estava certo. Hoje eu tive o prazer de conhecer todos os envolvidos no projeto assim como o Fusca com mais detalhes, inclusive algo que eu nunca tinha visto pessoalmente que é um motor 1200 com dupla carburação montado com muito capricho.



Fuscão 1500 do Léo novamente.








Este evento também me proporcionou a oportunidade de fotografar alguns veículos nunca mostrados (em flagras ou encontros) no blog, como esse Fusca Itamar Série Ouro, um dos últimos 1500 Fuscas fabricados no Brasil.













Fusca 1965 do David, que já apareceu em diversos encontros.























Está aí mais um Fusca que eu gostei muito pelo alto nível de originalidade e diversas marcas do tempo. Fiquei pensando aqui quantos anos esse adesivo desta oficina não deve ter.





Fusca do Roberval novamente.











Fusca 1973 do Giba, que também já nos é velho conhecido. Infelizmente hoje eu só o vi operando o drone de longe.


As Pumas também marcaram presença nesse evento tão especial.








Este Fusca 1963 preto que vocês veem nas fotos pertence ao Valdir. Este Fusca é um dos diversos carros antigos que ele tem. Este clássico foi apelidado de "Aranha", visto ele ser o único Rat da coleção. Este clássico teve a sua estética alterada para lembrar o modelo Split dos anos 50. O clássico, que está com ele há 4 anos e que ele comprou e o mantém para curtir o passeio é dotado de muita personalidade, veneno (conta com um motor 1600 e um câmbio 8x31) e chama muita atenção por onde passa.






Meu pai que tirou essa foto em virtude do nome dele...hehehe











Camiseta do evento Garagem das Carangas, vestida no Sílvio, um dos organizadores do evento.

Nesta ocasião, eu tive o prazer de conhecer o Sílvio, um dos responsáveis pelo evento. Na foto, estão Sílvio e o Sílvio Caranguinha, respectivamente. Numa conversa muito legal com ele, eu obtive muitas informações muito bacanas de se compartilhar. Este evento nasceu de 6 amigos que se reuniam por causa de seus carros, e o evento cresceu até a dimensão que está hoje. Este evento ocorre de sábado a cada 15 dias no estacionamento de frente ao Fórum Cível de Sorocaba (próximo ao Paço Municipal). Eu pretendo voltar mais vezes e fotografar os clássicos que aparecem por lá também. Este é mais um evento que prega a diversidade no antigomobilismo, o que é mais do que saudável.
Os meus agradecimentos de hoje são para muita gente, então me perdoem se eu esquecer o nome de alguém. Quero agradecer ao Caco, que me convidou para o evento, ao Sílvio e ao Sílvio Caranguinha por toda a receptividade, à toda a equipe do TVR Auto que cedeu espaço para que eu pudesse divulgar o blog no meio televisivo, aos proprietários dos clássicos que prestigiaram o evento e que permitiram que estes fossem fotografados por mim e claro, a você por estar prestigiando o post de hoje. Se você é novo aqui, seja bem vindo e volte sempre.
Muito obrigado a todos!