terça-feira, 28 de novembro de 2017

Fusca 1967: Um flagra de muitas coincidências

Mostrar Fuscas aqui no blog sempre é muito prazeroso, mas com certeza escrever posts que tragam histórias como o de hoje é simplesmente sensacional. Além de ter adorado esse carrinho que vocês veem nas fotos, as situações que envolvem o(s) flagra(s) realmente mostram o quanto a admiração por um carro antigo pode proporcionar. E é claro, eu não poderia deixar de compartilhar isso com vocês. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem, visto que já apareceram os primeiros vídeos voltados aos carros antigos. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
O método para se contar a história que integra o post de hoje será algo muito próximo ao modo que escrevo os posts de eventos, onde eventualmente escrevo algo entre as imagens. Hoje, excepcionalmente, dividirei as imagens em duas partes e logo logo vocês estarão entendendo o porque.
As fotos que vocês estão vendo ao final do post foram tiradas por mim hoje por volta das 19h. Eu estava voltando para casa após mais um dia como qualquer outro quando algo me chamou bastante a atenção. Ao passar por uma das ruas do meu bairro, observei um Fusca dos anos 60 muito simpático e passei por ele devagar, observando seus detalhes. A grande realidade é que a boa visão desse carrinho foi, realmente, a primeira vista. Quem acessa o blog há mais tempo sabe que eu sou um grande admirador dos Fuscas dos anos 60 e que são meus modelos prediletos. Pois bem, passei pelo Fusca mas, em um primeiro momento, confesso que não saquei o celular para tirar fotos, decisão que foi mudada metros depois de passar pelo carro. Voltei, e tirei as fotos que vocês veem ao final do post.
Trata-se de um maravilhoso Fusca 1967 na cor azul real (recentemente abordada em um post por aqui) com muitas marcas que evidenciam que este besouro está na maior parcela dos Fuscas que rodam atualmente: Carros de uso diário, com uma proposta usual. Como vocês observam, a pintura já tem uma certa idade e a tapeçaria foi refeita numa cor clara (essa prática é muito comum em Fuscas mais antigos), mas ainda conta com vários detalhes originais o que mostra o cuidado de seu proprietário. Um fato que me chamou bastante a atenção nesse carro (coisa típica de alguém observador...) é que as placas cinzas ainda são do modelo antigo, evidenciando ser o primeiro emplacamento de três letras, no entanto, a placa dianteira já era bem mais recente que a traseira. Como a placa foi fixada na parte inferior do parachoque dianteiro (aliás, o traseiro me parece novo) , ela pode ter sido avariada ou até perdida durante esses anos.
Muitas vezes o prestígio de um Fusca não está num padrão que nos é imposto, mas sim na simplicidade que ele nos mostra. Eu particularmente adorei esse carro e teria sem pensar muito. Coincidentemente, esse carro foi fotografado na mesma rua onde flagrei um Fusca Rat verde caribe há alguns meses e a metros de um Fusca 1966 azul atlântico muito acessado, exemplar que segue o estilo do carro de hoje.
Veja:





Depois dessas fotos, cheguei em casa, fiz algumas coisas e, quando estava em vias de começar a editá-las para escrever esse post que vocês leem, meu pai chegou aqui e eu perguntei a ele se tinha visto o simpático Fusquinha na rua de trás. Ele ainda teve a coragem de me dizer que não, entrando em seguida no Whatsapp e me mandando as fotos que vocês veem abaixo. Essa é uma grande prova de que a paixão por carros antigos pode unir e muito as pessoas, ainda que a admiração venha de uma parte só. Fica aqui o meu agradecimento ao meu pai por mais uma vez e, ainda que de noite, ele foi bem mais detalhista nas fotos.










10 comentários:

  1. Olá galera!!! Tudo bem? Pois é o fato que ocorreu hoje realmente é diferenciado, porque as vezes apenas um.de nós vislumbra essas belezuras por aí, é muito raro que ambos façamos a foto do tesouro, e não besouro, rsrsrs, concomitantemente como hoje ocorreu. Quis surpreendê-lo, mas ele foi mais rápido, certamente por ser mais jovem, mais ágil, e tudo mais que o torna o melhor Filho do Mundo!!! Luto para ser o Melhor Pai do Mundo, porque ele já pensa que sou, só tento manter... Mas galera, como ele sempre pede, vamos dar aquele "joinha" e venha fazer parte deste maravilhoso mundo do antigo automobilismo...Abraços para vocês, e beijos para meu Filhão...Obs. minhas fotos ficaram melhores não ficaram? Kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que ficaram! Muito obrigado pelo prestígio de sempre!

      Excluir
  2. E tem gente que diz que hoje em dia, Fusca não pode ser carro de uso diário, se bem que, pelo menos aqui em São Paulo é pouco comum ver Fuscas sendo usados diariamente no trânsito, mas vez ou outra sempre vejo um rodando e as vezes até alguns placa preta que o dono esporadicamente leva para "esticar as pernas" do bicho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui vira e mexe eu vejo um Fuscas bem interessantes rodando na rua.

      Excluir
    2. Por essa e outras razões que é bom morar no interior...

      Excluir
    3. Eu mesmo tô fazendo um esforço para buscar um. Vai que...

      Excluir
  3. Respostas
    1. O projeto é meio doido, mas não impossível...hehehe

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!