quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Qual é o limite para um motor Volkswagen a ar?

Depois de muitas coisas que ando vendo pela internet recentemente, creio eu que o limite para essa máquina de felicidade produzida durante décadas pela Volkswagen seja o céu, visto que a sua versatilidade não é presente somente nos projetos de fábrica. Há algum tempo atrás, eu li em um grupo que nenhuma adaptação é impossível, basta se ter dinheiro e boa vontade para que ela seja executada. Pois bem, o post de hoje prova isso com fotos. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Por diversas vezes aqui no blog eu já falei o quão versátil a plataforma e conjunto mecânico do Fusca foram para a Volkswagen em todo o tempo que ela os utilizou. Com o mesmo motor, suspensão e diversas outras peças, a montadora alemã conseguiu desenvolver carros das mais diversas categorias que funcionavam muito bem em virtude da durabilidade de todo o conjunto. Pois bem, hoje é dia de mostrar que os motores VW a ar não ficaram somente nos carros que saíram de fábrica ou em projetos de veículos independentes (como os buggys ou gaiolas de trilha, por exemplo), mas alguns carros atuais acabaram receberam esse motor de uma maneira um tanto inusitada.
As duas fotos que vocês veem ao final do post estão correndo as redes sociais com muita força nos últimos dias e eu as compartilhei em meu Instagram (@jordankanduxo) ontem. Nelas, vê-se um Golf da década de 90 lá do exterior que recebeu o conjunto mecânico completo do Fusca, com direito até a usar o tanque de gasolina na dianteira. Pelo que vi, esse carro fez parte de um projeto na Europa que rendeu muitos elogios pelo capricho na adaptação. O bacana é que o motorzinho ainda ganhou duas Weber 40 para melhorar o desempenho. Vocês sabem que eu sou bastante conservador com relação a adaptações mas, ainda que eu não fizesse algo do gênero em hipótese alguma, este serviço foi muito bem executado.
Aliás, eu gosto muito dos Golf da década de 90, esses carros marcaram época. Com relação a montagem do motor na traseira, outra alternativa seria a utilização do motor VW a ar na configuração de "motor plano" como nas Variant, por exemplo. A vantagem é que se ganharia espaço. Mas como ali a ideia também é mostrar a adaptação, tá valendo.
Veja:



3 comentários:

  1. Essa é a vingança sobre todos aqueles que instalam motor AP nos Fuscas. :D :D :D :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Principalmente para aqueles que ainda inventam de colocar o motor na frente, arrancando tanque, suspensão e outras coisas mais...hehehehehe

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!