quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Uma história "de fibra" (literalmente)

Há algum tempo eu já tinha essa foto guardada aqui no meu computador para escrever um post a respeito de um tema que raramente eu toco no assunto por aqui mas que não só me interessa muito mas como também desperta toda a minha admiração pelo que foi a indústria automobilística genuinamente nacional. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Ainda que o blog não tenha nenhum fim político (e nunca terá), alguns fatos da nossa história são indiscutíveis quando falamos de grandes injustiças. A imagem que gera o tema do post de hoje mostra exatamente o tempo de ouro de uma história que poderia ter um fim (ou melhor, uma continuidade) muito mais interessante caso não houvesse tanta falta de incentivo, incompreensão, ganância e injustiça para quem muito poderia somar (mais do que as grandiosidades feitas em seu tempo de atuação) em nossa história do automóvel.
A foto que vocês veem ao final do post, como disse lá no início, está salva no meu computador faz tempo. Nela, é mostrada de uma forma panorâmica a linha de produção circular do Gurgel BR 800, ideia do próprio Amaral Gurgel, um dos maiores gênios da história do automóvel nacional. Amaral Gurgel foi um cara visionário e muito injustiçado em sua trajetória, diria eu até que foi um verdadeiro gênio por tudo o que fez. Seus carrinhos de fibra, em sua grande maioria, rodam até hoje dada a sua simplicidade e acerto na combinação de peças (que eram de tudo quanto é carro que era vendido na época). Na foto em questão, aparece a produção do BR 800, um carrinho que recebeu um motor boxer que, a grosso modo, era praticamente "meio motor 1600 de Fusca".
Veja:



segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Revisando o motor de arranque do Fusca e derivados

Para que se curta ao máximo um carro clássico algumas etapas são obrigatórias de modo que a diversão seja plena, o primeiro deles sem dúvida é pegar a chave e dar a partida. No entanto, nem sempre essa é uma tarefa fácil se o componente responsável por girar o motor, que é o motor de arranque, não funciona direito. Para que você, dono de um carro clássico, não passe por esse dissabor em hipótese alguma, o post de hoje irá lhe ensinar por meio de cinco vídeos como você pode revisar em casa o motor de arranque do seu Fusquinha ou derivado de modo que a partida fique muito mais fácil. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Há algum tempo atrás eu escrevi dois posts aqui no blog com a mesma pegada que já ajudaram bastante gente. Um deles era sobre a revisão do dínamo do Fusca, e outro mostrando como poderia ser feita a revisão em um alternador. Hoje a ideia é mostrar mais uma manutenção em um componente elétrico, simples, barato de se revisar com um acionamento totalmente mecânico, mostrando uma verdadeira obra prima da engenharia.
Os vídeos que vocês veem ao final do post vem lá do canal do Tonella. Falar do canal do Tonella é realmente "chover no molhado", visto a alta qualidade do trabalho dele que vem de muitos aos ajudando todos aqueles que querem revisar seus VW em casa. Nessa série de vídeos, o Tonella mostra toda a revisão do motor de arranque de seu Fusca vermelho com a troca das escovas, porta-escovas, limpeza das peças além da montagem e desmontagem completa do conjunto. Esses motores de arranque mais antigos (como o do Fusca e de outros carros da mesma época) são bem bacanas de se revisar dada a simplicidade do conjunto. Eu já desmontei e montei alguns na faculdade (acreditem, depois do serviço eles funcionaram) e sem dúvidas os antigos são os mais simples. Logicamente hoje nós temos motores de arranque com mais torque e velocidade, mas o do Fusca bem revisado em nada perde. Um dos maiores "pulos de gato" de toda essa série de vídeos foi a dica que o Tonella deu da utilização do termoretrátil nas malhas das escovas. Essa é a melhor maneira de se evitar um curto naquela região do motor de arranque.
A aula dispensa quaisquer outros comentários.
Veja:










domingo, 17 de setembro de 2017

Encontro de antigos no Pátio Cianê, Sorocaba - Setembro de 2017

Não, você não está lendo o post de ontem, é o post de domingo! Pois bem, pela primeira vez aqui no blog eu tive o prazer de poder cobrir dois eventos de carros antigos no mesmo final de semana e ainda postá-los na íntegra. Desta vez, o encontro é o clássico evento mensal que o ocorre no Pátio Cianê, já de lei daqui do blog. Como de costume, belos carros, grandes amigos e um clima sensacional. Diria eu até que foi uma das melhores edições que já rolaram. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Como disse no primeiro parágrafo, essa é a primeira vez que eu iria a dois eventos num mesmo final de semana. Ainda que em ambos os dias eu já havia separado um espacinho na minha agenda, eu tinha um compromisso hoje de manhã e só chegaria no Cianê um pouco mais tarde. Em virtude do tempo excelente (ainda que muito calor), consegui chegar em um horário onde todos os amigos ainda estavam com seus carros e, consequentemente, consegui tirar proveitosas fotos. Aliás, coincidentemente, o evento de ontem e o de hoje tiveram exatamente o mesmo número de fotos tiradas, contando aquelas desfocadas e descartadas.
O evento no Pátio Cianê já se tornou tradicional para os antigomobilistas da região. Ele já existe há algum tempo e é organizado com maestria pelo Opala Clube de Sorocaba, um Clube que conta com membros muito gente boa e que sempre prestigiam o blog, além de promover a diversidade do antigomobilismo em seus eventos. Hoje a minha passagem foi bastante rápida e eu acabei não vendo ninguém da organização, no entanto, encontrei vários outros amigos e carros que, até então, eu nunca tinha visto em outros encontros locais.
Apreciem sem moderação.
Veja:




Opala do Anderson e Caravan do Fabiano, ambos do Opala Clube de Sorocaba.








Hoje havia até uma Mercedes S123 300TD no evento. Tenho a impressão de já ter visto esse exemplar no Portal Mercedes Brasil. O carro está muito íntegro!



















Quem acessa o blog há mais tempo deve se recordar desse Fusca 1959. Ele estava na inauguração da Oficina Star Boxer, ocasião que postei há alguns meses atrás. Um Rat de muita personalidade.






Fusca do Caco, também nosso velho conhecido.



















Fusca do Roberval, também nosso velho conhecido.




Fusca 1973 do Ailton, um Fusquinha que conhecemos desde seu proprietário anterior.














A galera do Omega, assim como os Opaleiros, é sempre muito assídua.




Fusca do projeto "De Miliduke" por aí que foi de Sorocaba a Natal.









Este carro é, sem dúvidas, o mais antigo que já tive o prazer de fotografar se tratando de Volkswagen. Trata-se de um legítimo Split Window 1953 com muitas características originais ainda preservadas.







Dupla da década de 50: Split 1953 e Fusca 1959.


















Depois dessa centena (na verdade foram 112 as selecionadas) de fotos, peguei o carro e voltei para casa com a sensação de que passei um final de semana sensacional ao lado de amigos muito bacanas que só são encontrados em eventos interessantes como esses que estive. Fica aqui o meu agradecimento a todos os organizadores e amigos que tornam esse divertimento possível.
Mais uma vez, muito obrigado!