sábado, 30 de setembro de 2017

Fusca 1972: Quando nem a doença impede o flagra

O post de hoje até poderia dispensar quaisquer descrições após esse título um tanto inusitado que coloquei, mas a grande verdade é que o título reflete perfeitamente a ocasião que gerou a contribuição que vocês verão aqui no blog. Essa é mais uma daquelas que vemos e logo lembramos que ainda existem muitos Fusquinhas com várias características originais rodando por aí. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Ontem mesmo eu disse aqui no post do Fusca Série Prata que eu curto muito escrever posts que mostrem os carros das pessoas. Daquela ocasião, apareceu mais um carro a ser mostrado aqui e que vocês conhecerão nos próximos dias, mas uma das coisas que mais me chamou a atenção foi a coincidência que me gerou o privilégio de postar dois flagras seguidos.
As fotos que vocês veem ao final do post me foram enviadas ontem a noite pelo meu amigo Guilherme. O Guilherme, para quem não se lembra, é o proprietário de um simpático Fusca 1968 que eu postei aqui há algum tempo e também tem em casa um Fusca 1980 que teve uma restauração feita com maestria dentro da própria garagem. Desta vez, o Guilherme nos traz um material diferente em relação aos anteriores, mas bem bacana também. Ontem o Guilherme infelizmente não estava muito legal de saúde e, por esse motivo, foi ao Hospital Samaritano aqui de Sorocaba. Ao chegar lá, ele se deparou com esse Fusca 1972 verde Guarujá no estacionamento, além dele ter pressa, o momento não era tão propício para ele fotografar, mas mesmo assim me mandou gentilmente essas fotos.
Pelo que se vê nas fotos, este Fusquinha é um representante da maioria dos Fuscas que rodam no Brasil: Carros de uso diário e com muitas marcas do tempo. Como vocês podem notar, ele já recebeu um par de retrovisores que foi muito comum nos anos 80 e ainda tem o lendário adesivo do licenciamento de 1997 no parabrisa. Além disso, o exemplar é de uma época que me agrada muito e que foi o ápice das vendas do Fusca: Os anos 70.
Quero agradecer mais uma vez ao Guilherme que, literalmente, fez um esforço para mandar as fotos e enriquecer o conteúdo do blog!
Veja:






sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Fusca 1980 Série Prata: Não se vê um todo dia

Com certeza o post de hoje vai justificar a minha ausência de ontem, visto que o conteúdo não é tão comum e com certeza vai chamar a atenção de todos que leiam o seu título. Realmente não é todo dia que eu consigo fotografar um Fusca desses e hoje eu consegui essa "proeza" no meio de um novo hábito que estou adquirindo. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Quem acessa o blog há mais tempo sabe o quanto eu curto fazer posts como esses, que mostrem os carros das pessoas. Nos últimos meses esse tipo de post tem sido relativamente frequente pelos flagras que tenho feito em meu cotidiano, geralmente rodeadas de muita correria como a de todo brasileiro.
Pois bem, as fotos que vocês veem ao final do post foram tiradas hoje pela manhã, mais ou menos umas 8 horas. De umas semanas para cá, eu tenho feito caminhadas dia sim dia não com meu pai pelas ciclovias e parques próximos. Como hoje era dia de caminhar, nós dois saímos cedo para dar algumas voltas no Parque Kasato Maru, aqui em Sorocaba. Ao dar a primeira volta, um carro que estava estacionado no perímetro do parque me chamou a atenção. Tratava-se de um Fusca "Fafá", prata, com as lanternas em apenas duas cores (setas vermelhas) e vidros verdes. Ao vê-lo, logo desconfiei que aquele besouro não era um Fusca "comum". Ao chegar perto, constatei: Tratava-se de um relativamente raro exemplar da Série Prata ano 1980, série especial do Fusca no incio da década de 80 que contava com vários acabamentos interessantes. Esse carro está muito original e ainda conserva os (belíssimos) vidros verdes com o adesivo da Blindex ainda de fábrica. Eu ainda tentei procurar o dono, mas sem sucesso. Se ele ler o post, pode se identificar. O carro tem placas do ano e está emplacado em uma cidade do interior de SP, aparentemente com o primeiro par de placas cinzas.
Quando já estava voltando para casa, vi o Fusquinha andando mas logicamente não consegui pará-lo. Aliás, vi por duas vezes, visto que o seu dono mudou a rota e passou por duas vezes pela avenida que dá acesso ao parque.
Realmente é um exemplar que não se vê todo dia e vale o registro.
Veja:







quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O anda e pára de antigamente

Como vocês sabem, aqui no blog eu sempre escrevo os posts durante a noite, geralmente após um longo dia onde o que mais peguei entre as horas foi o trânsito. Para quem acha que os congestionamentos são algo contemporâneo, a foto do post de hoje lhe provará o contrário da forma mais colorida que uma foto preto e branco pode proporcionar. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Todo mundo sabe que os congestionamentos são um verdadeiro problema das cidades grandes. Querendo ou não, nós sempre pegamos um pouco de trânsito em nosso trajeto diário, fazendo que saiamos de casa mais cedo ou cheguemos mais tarde. Eu quando estou de carro procuro ficar tranquilo nessas situações e até aumento um pouco o volume do rádio para dar uma distraída e me esquecer do quanto isso está me atrapalhando. O conteúdo do post de hoje mostra um local que eu já andei muito na vida que já tinha congestionamentos quando muitos daqui nem sonhavam em nascer.
A foto que aparece ao final do post está salva no meu computador faz tempo e confesso, nem imagino de onde salvei. Nela, tem-se uma vista do "Minhocão", tradicional elevado de São Paulo que marcou muitos dos finais de semana da minha infância. Na época (creio eu que até hoje seja assim), o viaduto era interditado aos finais de semana para a galera caminhar e pedalar. A imagem de hoje é um registro , provavelmente, do início da década de 70.
Veja:



terça-feira, 26 de setembro de 2017

Esquema de limpeza do carburador 28 PCI (Fusca, Karmann Ghia e Kombi 1200)

O conteúdo do post de hoje é um utilitário que acaba sendo restrito a amigos que tenham Volkswagen a ar de 1966 "para baixo" e que ainda usem o simpático e modesto motor 1200 de 36 cavalos. No entanto, muitos conceitos que ali são mostrados podem ser aplicados em qualquer carburador no esquema de sua limpeza. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Em outras ocasiões aqui no blog eu já disse o quanto admiro os VW 1200. Ainda que eles não tenham toda a potência do mundo, esse motorzinho sempre me chamou a atenção pelas diferenças que eles tem assim como ser o motor que "emplacou" os Volkswagen no Brasil. Ainda que este tenha sido aposentado em 1966 aqui em nosso país, muitos Fuscas, Kombis e Karmann Ghia ainda contam com esse motor que guarda algumas peculiaridades em relação aos "irmãos mais novos", como a carburação original.
A imagem que vocês veem ao final do post vem do manual do Fusca 1965 que tenho digitalizado aqui em meu computador. Nele, é mostrado todo um diagrama de desmontagem e limpeza do carburador Solex 28 PCI, que equipava todos os motores 1200. Ele tem algumas diferenças em relação ao 30 PIC e 30 PICS, mas também conserva algumas semelhanças. De posse dessa imagem, você pode fazer uma limpeza bem detalhada em seu carburador. Logicamente pode haver a necessidade de se trocar algum componente ou até mesmo se deparar com alguma sujeira ou corrosão que dê trabalho para sair, mas a grande realidade é que se o carburador for bem mantido e se a gasolina for de boa qualidade, essas limpezas são muito tranquilas. O canal do Tonella também traz alguns vídeos sobre esse carburador que podem facilitar o entendimento.
Veja:


segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Uma voltinha de Kombi Clipper

O bacana de assistir vídeos como o que integra o post de hoje é que sempre se tem a impressão de estar, de fato, dentro do carro dando uma voltinha junto com seu proprietário. Isso pode ser ainda mais interessante a partir do momento que se trata de um carro antigo, principalmente se for um modelo que nos agrade tanto, como a Kombi. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Há algum tempo atrás eu escrevi um post aqui que seguia praticamente a mesma linha deste. Naquela ocasião, o carro era um simpático Fusca 1966 que, como vocês sabem, é um exemplar da época que eu mais curto dos Fusquinhas. No entanto, não há a necessidade de ser (exclusivamente) um Fusquinha em um vídeo desses para que este seja gostoso de se assistir. O carro da vez é um dos modelos mais simpáticos já fabricados no Brasil e o exemplar mostrado no decorrer dos quase 10 minutos de vídeo também está bem interessante.
O vídeo que aparece ao final do post vem lá do canal do Sandro Leite no Youtube. Neste vídeo, o Sandro e seu filho vão avaliar umas Kombi Clipper 1997 juntamente com o proprietário do carro. Nessa ocasião, eles dão uma voltinha com o carro pelas ruas de Petrópolis mostrando os pontos positivos e negativos do exemplar.
As observações que tenho são: O dono do carro realmente tem algum parentesco com o Salsicha como dito no vídeo, a mão inglesa não é comum de se ver (aqui em Sorocaba temos um ponto assim, onde até já fotografei um Fusca) e, de fato, a raspada na guia foi engraçada.
Veja:


domingo, 24 de setembro de 2017

VW Squareback 1966: Um belíssimo exemplar!

A diversidade do antigomobilismo nacional é algo que sempre deve ser lembrado e celebrado entre os antigomobilistas. Porém, é impossível não deixar de apreciar os clássicos que são comuns no exterior e totalmente incomuns no Brasil. O carro do post de hoje está exatamente nessa situação: Diferente, com algumas melhorias em relação aos nossos modelos e muito raro por aqui. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Independente da idade que ele tiver, é sempre muito interessante se deparar com um carro raro ou que se tornou raro. Nos últimos eventos que tenho ido, felizmente tenho encontrado alguns carros mais incomuns de serem vistos no universo dos VW a ar, como um Split 1953 que vocês puderam conhecer. O modelo a ser mostrado hoje ainda é uma das poucas linhas VW a ar no mundo que eu ainda não tive a oportunidade de fotografar. De qualquer maneira, fica aqui um registro desse modelo que sempre me chamou bastante a atenção.
As fotos que vocês veem ao final do post vem lá do site TheSamba.com, lugar que todo apaixonado por Volkswagen a ar já deve ter passado pelo menos uma vez na vida. Este site estrangeiro é voltado somente para VW e, além de ter um fórum com bastante informação bacana, conta com uma área de classificados digna de deixar qualquer um babando. Nestas fotos, mostro a vocês uma bela VW Squareback 1966. Este carro, de uma maneira bastante simples, é uma "Variant alemã", visto que a nossa Variant, o TL e o VW 1600 foram inspirados na linha Type 3, que o Squareback integra. O exemplar em questão é original sem restauro e conta com muitos detalhes que nos chama a atenção por diferir da linha que temos aqui no Brasil. 
Pelo que se lê no anúncio, esse carro teve seu motor retificado e ganhou uma nova caixa de marchas que, aparentemente, é manual (existem Squareback automáticas). O carro está desde zero na família do proprietário e ele pede 12000 dólares. Perto de muitos carros daqui, até que o preço não é tão alto...
Confira o anúncio e a origem das fotos neste link.
Veja:










sábado, 23 de setembro de 2017

Propaganda: VW Diagnose

Todas as pessoas que tem (ou que já tiveram) um carro zero quilômetro sabem como ninguém como é seguir um cronograma de revisões imposto pela montadora de modo que a garantia do veículo seja mantida. Geralmente essas revisões não são baratas e a mão de obra é pequena. O post de hoje vai mostrar que esse sistema de pós-venda que existe aqui no Brasil e em outros cantos do mundo apenas mudou em algumas coisas, mas mantém a sua essência há décadas. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Coincidentemente o fato de eu estar falando sobre esse tema aqui no blog "bateu" com um dos compromissos que tive essa semana. Em uma das manhãs passadas eu levei o Sentra em uma concessionária Nissan para que fosse feito um diagnóstico. Quando dessa visita, fiquei pensando em como poderia ser uma situação igual há algumas décadas e, por esse motivo, trago a propaganda que responde a minha pergunta.
A priopaganda que vocês veem ao final do post foi vista por mim lá no Instagram Matheus Garage Collection. Quando a vi, logo tratei de salvá-la para que a postasse em um momento oportuno. Nela, é mostrado o sistema VW Diagnose, o programa de diagnóstico e revisões da Volkswagen nos anos 70. Naquela época, era feito um diagnóstico completo do carro assim como sua revisão, além do proprietário poder optar por fazer um serviço ou outro. Isso nunca época onde os mecânicos precisavam se esforçar para saber o defeito haja vista que não existia o facilitado scanner e nem a eletrônica embarcada nos carros.
Veja:


sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Um Fusca Itamar de tirar o chapéu

Ultimamente os amigos seguidores devem estar pensando que resolvi postar "dia sim, dia não", mas a realidade é que o últimos dias tem sido tão corridos que até para esse blog que tanto gosto de atualizar tem faltado tempo. Compensando a minha ausência, trago hoje para vocês um vídeo breve que mostra um carro que está a cada dia mais raro, ainda mais nas condições do exemplar de hoje. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
O fato de uma pessoa ter um carro clássico geralmente cria um grande elo entre homem e máquina, visto que todos os carros produzidos antigamente traziam um grande simplicidade que cativa a todos que admiram a história do automóvel. Por esse motivo é que muitas pessoas dificilmente vendem seus clássicos. Algumas delas até anunciam, mas depois pensam um pouco e acabam desistindo da empreitada, como o caso do post de hoje.
O vídeo que vocês veem ao final do post vem lá do canal da Well's Garage no Youtube. Quem vive navegando pelos vídeos de carros antigos já deve ter se deparado com os carros que eles vendem. No vídeo de hoje, é mostrado um belíssimo (e bastante original) Fusca Itamar 1995/1996 na cor Bege Urano, que lembra bastante o cinza. É um carro muito original e com quilometragem baixa. Eu já postei outros Itamar pouco rodados aqui, e esses carros nesse estado sempre chamam a nossa atenção. Felizmente o proprietário desistiu da venda.
Veja:




quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Uma história "de fibra" (literalmente)

Há algum tempo eu já tinha essa foto guardada aqui no meu computador para escrever um post a respeito de um tema que raramente eu toco no assunto por aqui mas que não só me interessa muito mas como também desperta toda a minha admiração pelo que foi a indústria automobilística genuinamente nacional. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Ainda que o blog não tenha nenhum fim político (e nunca terá), alguns fatos da nossa história são indiscutíveis quando falamos de grandes injustiças. A imagem que gera o tema do post de hoje mostra exatamente o tempo de ouro de uma história que poderia ter um fim (ou melhor, uma continuidade) muito mais interessante caso não houvesse tanta falta de incentivo, incompreensão, ganância e injustiça para quem muito poderia somar (mais do que as grandiosidades feitas em seu tempo de atuação) em nossa história do automóvel.
A foto que vocês veem ao final do post, como disse lá no início, está salva no meu computador faz tempo. Nela, é mostrada de uma forma panorâmica a linha de produção circular do Gurgel BR 800, ideia do próprio Amaral Gurgel, um dos maiores gênios da história do automóvel nacional. Amaral Gurgel foi um cara visionário e muito injustiçado em sua trajetória, diria eu até que foi um verdadeiro gênio por tudo o que fez. Seus carrinhos de fibra, em sua grande maioria, rodam até hoje dada a sua simplicidade e acerto na combinação de peças (que eram de tudo quanto é carro que era vendido na época). Na foto em questão, aparece a produção do BR 800, um carrinho que recebeu um motor boxer que, a grosso modo, era praticamente "meio motor 1600 de Fusca".
Veja:



segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Revisando o motor de arranque do Fusca e derivados

Para que se curta ao máximo um carro clássico algumas etapas são obrigatórias de modo que a diversão seja plena, o primeiro deles sem dúvida é pegar a chave e dar a partida. No entanto, nem sempre essa é uma tarefa fácil se o componente responsável por girar o motor, que é o motor de arranque, não funciona direito. Para que você, dono de um carro clássico, não passe por esse dissabor em hipótese alguma, o post de hoje irá lhe ensinar por meio de cinco vídeos como você pode revisar em casa o motor de arranque do seu Fusquinha ou derivado de modo que a partida fique muito mais fácil. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Há algum tempo atrás eu escrevi dois posts aqui no blog com a mesma pegada que já ajudaram bastante gente. Um deles era sobre a revisão do dínamo do Fusca, e outro mostrando como poderia ser feita a revisão em um alternador. Hoje a ideia é mostrar mais uma manutenção em um componente elétrico, simples, barato de se revisar com um acionamento totalmente mecânico, mostrando uma verdadeira obra prima da engenharia.
Os vídeos que vocês veem ao final do post vem lá do canal do Tonella. Falar do canal do Tonella é realmente "chover no molhado", visto a alta qualidade do trabalho dele que vem de muitos aos ajudando todos aqueles que querem revisar seus VW em casa. Nessa série de vídeos, o Tonella mostra toda a revisão do motor de arranque de seu Fusca vermelho com a troca das escovas, porta-escovas, limpeza das peças além da montagem e desmontagem completa do conjunto. Esses motores de arranque mais antigos (como o do Fusca e de outros carros da mesma época) são bem bacanas de se revisar dada a simplicidade do conjunto. Eu já desmontei e montei alguns na faculdade (acreditem, depois do serviço eles funcionaram) e sem dúvidas os antigos são os mais simples. Logicamente hoje nós temos motores de arranque com mais torque e velocidade, mas o do Fusca bem revisado em nada perde. Um dos maiores "pulos de gato" de toda essa série de vídeos foi a dica que o Tonella deu da utilização do termoretrátil nas malhas das escovas. Essa é a melhor maneira de se evitar um curto naquela região do motor de arranque.
A aula dispensa quaisquer outros comentários.
Veja:










domingo, 17 de setembro de 2017

Encontro de antigos no Pátio Cianê, Sorocaba - Setembro de 2017

Não, você não está lendo o post de ontem, é o post de domingo! Pois bem, pela primeira vez aqui no blog eu tive o prazer de poder cobrir dois eventos de carros antigos no mesmo final de semana e ainda postá-los na íntegra. Desta vez, o encontro é o clássico evento mensal que o ocorre no Pátio Cianê, já de lei daqui do blog. Como de costume, belos carros, grandes amigos e um clima sensacional. Diria eu até que foi uma das melhores edições que já rolaram. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Como disse no primeiro parágrafo, essa é a primeira vez que eu iria a dois eventos num mesmo final de semana. Ainda que em ambos os dias eu já havia separado um espacinho na minha agenda, eu tinha um compromisso hoje de manhã e só chegaria no Cianê um pouco mais tarde. Em virtude do tempo excelente (ainda que muito calor), consegui chegar em um horário onde todos os amigos ainda estavam com seus carros e, consequentemente, consegui tirar proveitosas fotos. Aliás, coincidentemente, o evento de ontem e o de hoje tiveram exatamente o mesmo número de fotos tiradas, contando aquelas desfocadas e descartadas.
O evento no Pátio Cianê já se tornou tradicional para os antigomobilistas da região. Ele já existe há algum tempo e é organizado com maestria pelo Opala Clube de Sorocaba, um Clube que conta com membros muito gente boa e que sempre prestigiam o blog, além de promover a diversidade do antigomobilismo em seus eventos. Hoje a minha passagem foi bastante rápida e eu acabei não vendo ninguém da organização, no entanto, encontrei vários outros amigos e carros que, até então, eu nunca tinha visto em outros encontros locais.
Apreciem sem moderação.
Veja:




Opala do Anderson e Caravan do Fabiano, ambos do Opala Clube de Sorocaba.








Hoje havia até uma Mercedes S123 300TD no evento. Tenho a impressão de já ter visto esse exemplar no Portal Mercedes Brasil. O carro está muito íntegro!



















Quem acessa o blog há mais tempo deve se recordar desse Fusca 1959. Ele estava na inauguração da Oficina Star Boxer, ocasião que postei há alguns meses atrás. Um Rat de muita personalidade.






Fusca do Caco, também nosso velho conhecido.



















Fusca do Roberval, também nosso velho conhecido.




Fusca 1973 do Ailton, um Fusquinha que conhecemos desde seu proprietário anterior.














A galera do Omega, assim como os Opaleiros, é sempre muito assídua.




Fusca do projeto "De Miliduke" por aí que foi de Sorocaba a Natal.









Este carro é, sem dúvidas, o mais antigo que já tive o prazer de fotografar se tratando de Volkswagen. Trata-se de um legítimo Split Window 1953 com muitas características originais ainda preservadas.







Dupla da década de 50: Split 1953 e Fusca 1959.


















Depois dessa centena (na verdade foram 112 as selecionadas) de fotos, peguei o carro e voltei para casa com a sensação de que passei um final de semana sensacional ao lado de amigos muito bacanas que só são encontrados em eventos interessantes como esses que estive. Fica aqui o meu agradecimento a todos os organizadores e amigos que tornam esse divertimento possível.
Mais uma vez, muito obrigado!