segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Um carro de trabalho com aparência clássica

Depois de passar um dia sem poder publicar em virtude de uma correria que simbolizou o meu domingo, cá estou eu escrevendo um post super atrasado para deixar-lhes atualizados em relação ao que pude produzir para o blog nessa manhã de segunda feira que, como em todas as outras, foi bastante corrida também. Mas como a vida de um antigomobilista sempre permite que alguns pequenos instantes de seu dia sejam dedicados a admiração de carros clássicos, cá estou eu mostrando mais um registro para vocês. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Pois bem, hoje é segunda feira, dia 7 de agosto de 2017. Nesta manhã, eu tive a oportunidade de fotografar um carro que, assim como o Fusca 1970 que estrelou o post anterior, vive aqui perto de casa mas eu nunca tive tempo de parar e tirar breves fotos. No início desta segunda feira, eu tinha um compromisso marcado logo para o primeiro horário: Levar o Sentra para a oficina. Voltando a pé para casa, deparei-me novamente com esse clássico estacionado na minha rua e, como tinha um pouquinho de tempo, tirei as fotos que aparecem ao final do post.
As fotos que vocês veem ao final do post, como disse, foram tiradas hoje. Nelas, aparece uma Variant 1972 que sempre fica parada aqui por perto. Nesses últimos dias eu não estava mais vendo esse carro por aqui, mas hoje dei sorte. Como dá para se notar, esse é um carro utilizado para o trabalho, e vive com algumas ferramentas dentro dele. Creio eu que pertença a algum profissional autônomo ou algo do gênero. O que me chamou a atenção nesse carro é que, mesmo que o foco não seja a originalidade ou o ápice do brilho em sua estética, ele tem vários detalhes originais e alguns adquiridos com o tempo tendo como parâmetro aquilo que saía de fábrica. Ainda que não dê para ver (eu tentei fotografar, mas os vidros do carro não ajudavam), esse carro tem uma tapeçaria feita inteira na cor marrom, muito parecida com o "marrom café" da mesma época. Além disso, o painel ainda conserva o revestimento que imita jacarandá e o volante original. Por outro lado, o carro tem as rodas de Brasília, que foram muito utilizadas em Fuscas e derivados nas décadas de 70 e 80, principalmente.
Veja:





4 comentários:

  1. Para um carro de trabalho até que está inteira, só a cambagem que está positiva demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também achei. Não sei como o próprio peso do motor não "assentou" as rodas.

      Excluir
    2. Ele deve ter feito assim para carregar peso na traseira da Variant, ai com o peso a cambagem fica certa.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!