terça-feira, 1 de agosto de 2017

Sempre cabe mais um!

Existem imagens que desde a primeira vez que nos é dada a oportunidade de vê-las, nos marcam e ficam presentes em nossas lembranças. A que aparecerá no post de hoje é uma delas. Muitas vezes não é só o retrato que nos chama a atenção, mas sim as imagens que nos vem a mente em virtude daquilo que aparece na foto. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Quem acessa o blog há mais tempo provavelmente já leu vários posts que tem o mesmo estilo deste de hoje: Uma foto antiga aliada a uma descrição simples do que se passa nela e alguns detalhes a respeito da época em que foi tirada ou daquilo que aparece entre as características principais. Muitas vezes eu acabo compartilhando com vocês algumas lembranças que vem em virtude da minha visualização da foto e isso geralmente traz bons comentários e adiciona algumas peculiaridades ao contexto do post. Pois bem, hoje eu tenho uma lembrança relacionada a imagem que aparece no final do post que não tem uma ligação muito grande, mas com certeza aguça algumas lembranças de infância.
A foto que aparece ao final do post eu vi no Instagram esses dias atrás. Confesso a vocês que eu salvei tão rapidamente que cometi a grande falha de não ver qual foi a conta que postou. Nela, vocês veem um simpático Fusca da década de 60 lotado de pessoas por todos os espaços possíveis. Analisando a imagem, lembro-me daquelas brincadeiras dos antigos programas de auditório que passavam na TV que tentavam colocar o máximo de pessoas dentro de um Fusquinha. O número de pessoas geralmente era impressionante. Ao ver essa imagem, essa foi a primeira lembrança que veio a mente.
Nesta foto, creio eu que ainda dê para entrar gente pelo ragtop...rsrsrs
Veja:


6 comentários:

  1. Mas normalmente nas décadas de 70 e 80 o que se fazia nos Fuscas era mais ou menos isso, me lembro até hoje de uma vez quando eu era moleque, enfiarmos 9 pessoas dentro do Fusca da minha mãe para irmos a uma pizzaria, foi gente até no chiqueirinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas histórias eram muito comuns no passado e totalmente incomuns nos dias atuais...

      Excluir
    2. Se bem que tem gente que vai sair de balada e enfia 7 dentro de um Celta.

      Excluir
    3. E geralmente esse povo entra tão travado que depois mal consegue sair...kkkkk

      Excluir
    4. E sai surdo com o "fanque" que normalmente emana de dentro desses carros. rsrsrsrsrsrsrs

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!