sábado, 12 de agosto de 2017

Fusca 1966 do Sr. Reinaldo: Uma herança de família

Um dia antes do dia dos pais cá estou eu trazendo a vocês uma contribuição do ser que merece todas as minhas homenagens todos os dias, mas com ênfase no dia de amanhã. Muitas vezes eu fico com vontade de fotografar algum Fusca em especial mas me falta tempo e/ou oportunidade, mas a grande realidade é que o carro a ser mostrado nessa noite de sábado é um resgate de uma antiga lembrança que tenho que coincidiu com a boa vontade do meu pai de fotografar. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar. 
O antigomobilismo é um universo muito bom de ser explorado. Se nós pararmos para analisar o perfil de todos aqueles que são adeptos a essa grande família, observaremos que todos tem alguns hábitos em comum. Um deles é o olhar observador aos carros antigos que fazem parte de seu cotidiano ou que estão perto de onde eles frequentam. Por esse motivo, é muito comum se ver um carro clássico e pensar "eu sempre vejo esse carro andando (ou estacionado) em tal lugar" e geralmente descrever o perfil do dono. O carro a ser mostrado hoje já passou por mim em uma ocasião e desde então eu tentava encontrá-lo para escrever um post sobre.
A história que eu tenho na mente a respeito desse carro é bem curiosa e deve ter mais ou menos dois anos: Em uma ocasião, fui buscar uma pizza com meus pais em um local que, até então, nos era desconhecido. Naquela ocasião, entrou uma pessoa junto conosco para também fazer um pedido. Ela foi atendida na frente, saiu com a pizza na mão e entrou em um carro do outro lado da rua que não podia passar despercebido: Um Fusca dos anos 60, cujo condutor era um senhor. Lembro-me até que mostrei o carro ao meu pai e o clássico teve dada a partida em seu motor (que "assobiava" em virtude das ponteiras finas) e foi embora. Desde aquele dia, eu nunca mais vi aquele Fusca dos anos 60 com rodas de Brasília. Para a minha surpresa, meu pai resolveu me enviar algumas fotos ontem no Whatsapp e ao "bater o olho", não tive dúvidas de que postaria aqui no blog.
As fotos que aparecem ao final do post foram tiradas pelo cara que mais contribuiu desde sempre para que este blog fique sempre de pé: Meu pai. Quem acessa o blog há mais tempo sabe que ele sempre está tirando fotos dos Fuscas que vê na rua e me manda para que eu possa enriquecer o conteúdo que aqui já existe. Nelas, aparece o simpático Fusca 1966 segunda série do Sr. Reinaldo, que é nada mais nada menos que o Fusquinha que vi em frente a pizzaria naquela noite. Depois do meu pai me contar toda a conversa que teve com o proprietário do besouro, pude ter a certeza que além de todo o encanto que um Fusquinha dos anos 60 pode proporcionar, o maior ponto positivo do carrinho é sua história. Este carro foi tirado zero quilômetro pela mãe do Sr. Reinaldo. Depois que ela, infelizmente, veio a faltar, esta foi o bem deixado por ela que ficou com ele. O Sr. Reinaldo cuida com muito carinho deste carro e está fazendo pequenos ajustes, coisa muito comum em qualquer Fusca. As peças que ainda não estão instaladas (como os frisos laterais, por exemplo) estão guardadas. Com o passar dos anos, este Fusca também foi um dos exemplares que receberam acessórios ou que seguiram tendências de época, como a colocação das rodas de Brasília, encostos de cabeça nos bancos e um volante menor. O motor 1200 em algum momento da vida do carro foi substituído por um 1500. Na ocasião do flagra, o Sr. Reinaldo estava indo a uma escola (onde estudei, inclusive) ali próxima para seu filho Arnaldo que com certeza lerá esse post. Com certeza este carro é uma joia guardada com muito carinho por uma família que cresceu ao redor de um carro clássico.
Quero agradecer, mais uma vez, ao meu pai pelo flagra!
Veja:






6 comentários:

  1. Pois é meu Filhão... Agradeço as suas sempre dóceis palavras...Sempre me emociona...Te amo cara!!! Mas de fato o Sr Reinaldo me foi muito simpático, conversamos e me permitiu fazer as fotos...Outro fato, apenas se me permite, ele estava se dirigindo à Etec Rubens de Farias e Souza, para ver como o Filhão dele terá de fazer para poder fazer dois cursos lá... Então, apenas esse comentário, de que não esperava o filho...No mais tudo muito real, em especial o seu tesouro, que é esse Fusca lindo de viver!!! Forte abraço a você e a todos os pais!!! Deus nos abençoe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, amém, amém!
      Grato pela correção, de fato foi um equívoco de minha parte!

      Excluir
  2. Seu Kanduxão mais uma vez representando aqui no blog, mandou bem.

    Mas enfim... quanto ao Fusca, se fosse meu, eu só colocaria os frisos laterais de volta pois pra mim, de resto, ele está perfeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu curto muito as rodas fechadas, mas essas rodas combinaram muito bem com ele.

      Excluir
    2. Eu acho até que essas rodas deram um toque esportivo no Fusca.

      Excluir
    3. Sim, esse raciocínio segue a mesma linha daquela galera que usava rodas aro 13 nos Fuscas antigamente.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!