sexta-feira, 2 de junho de 2017

Fusca 1968 do Antônio: Um clássico de família

Nesses pouco mais de cinco anos de blog eu já tive a oportunidade de postar alguns carros de histórico exemplar e que passaram pelas mãos de poucos donos. No entanto, é sempre muito gratificante publicar clássicos que tenham as sua histórias explícitas. Todas as vezes que eu tenho oportunidade de postar algo assim, é como se fosse a primeira vez. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Quem acessa o blog há mais tempo deve se recordar que muitos Fuscas de único, segundo ou até mesmo terceiro dono sem restauro já passaram por aqui. A maioria deles são exemplares dos anos 60, estes que vocês sabem que são os meus favoritos. O exemplar de hoje adentra a esta estatística de Fuscas sem restauro muito íntegros e de procedência que já apareceram aqui. Além disso, esse carro vem por intermédio de alguém muito especial.
As fotos que vocês veem ao final do post foram enviadas por uma das pessoas, ou melhor, pela pessoa que mais contribui com o blog desde o seu início e que mais me incentiva para que eu toque esta página a diante: Meu pai. Desta vez, ele me apareceu com fotos de um simpático Fusca 1968 bege nilo, como vocês podem notar. Esse belo Fusca 1968 pertence ao Sr. Antonio e a maneira que o proprietário desse Fusca e meu pai se conheceram foi bastante inusitada: Enquanto meu pai trabalhava na tarde de ontem, toca a campainha do escritório. Ele, ao atendê-la, vê que um amigo nosso em comum (O Marcelo, pai do Joãozinho que já apareceu em belíssimas fotos dentro do Fusquinha 1979 de seu avô há alguns meses por aqui) está chamando-o para ver o Fusca de um cliente seu. Meu pai foi prontamente já com o celular na mão para tirar as fotos que vocês verão agora.
A história desse carrinho é bem bacana. Este carro foi tirado zero pelo avô do Sr. Antônio, quem adorava o clássico e o curtia bastante. Com o passar dos anos, este carro foi passado para seu tio Carlos e, há quatro anos, está com o Antônio. Como vocês podem notar, é um carro bastante original que nunca sofreu uma restauração completa. Nele, também são presentes alguns acessórios muito comuns dos anos 60 e 70, como os faróis do tipo 'Tremendão" e o simpático porta-treco de bambu abaixo do painel. O carro dispensa quaisquer apresentações e nos mostra, com maestria, como é um Fusca legítimo dos anos 60.
Quero agradecer ao meu pai mais uma vez pela parceria de hoje e sempre!
Veja:








6 comentários:

  1. Show de bola, aqui perto de casa rodava um igualzinho a esse, mas sem o porta treco de bambu e com um toca-fitas de cartucho da época embaixo do painel, eu pagava um pau para aquele Fusca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro esses Fuscas dos anos 60. Vira e mexe aqui perto eu vejo algum bem inteiro.

      Excluir
    2. Aqui no meu bairro ainda tem gente que mantém seus Fuscas até hoje.

      Excluir
    3. Isso é bem gostoso. Aqui na minha rua tinham 3, um inclusive que está parado há algum tempo. Agora são dois e tem um que "bate ponto" todos os dias estacionado desde cedo aqui.

      Excluir
    4. E perto da casa das minhas tias, eu conheço uma rua onde tem 3 Fuscas que os donos ainda os tem como carro principal da família, um deles está até com a pintura estilo rat Volks, ou seja, há mais de 40 anos que o carro não recebe uma repintura, ainda está com a pintura original de fábrica queimada pela ação do tempo.

      Excluir
    5. Eu gosto bastante desses Fuscas com a pintura original, ainda que bem queimadas. Eles deixam a sua história fortemente evidenciada...

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!