quinta-feira, 27 de abril de 2017

Uma Kombi cheia de detalhes

O conteúdo do post de hoje realmente está fino. Talvez nesses mais de 600 posts publicados eu nunca mostrei um clássico dos anos 50 tão íntegro e cheio de detalhes originais como esse. Vídeos como o de hoje também nos mostram que lá no exterior existe um grande universo VW a ar que pode ir além de nossas expectativas.  Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Eu sempre costumo dizer aqui que algo muito sadio presente no antigomobilismo é o vasto campo para diálogo entre amantes dessa arte. Carros antigos nos permitem papos muito bacanas e em algumas ocasiões é até possível conversar sobre um carro clássico com alguém que não os conheça bem ou que entenda de mecânica. Um exemplo disso são os diálogos que tenho com o meu pai sobre automóveis. Ele, particularmente, não tem os automóveis como uma paixão, mas os admira bastante. Todas as vezes que ele me fala de suas lembranças de carros na infância e adolescência, as Kombis são citadas nas frases dele. Hora que um parente teve uma, ou um conhecido, um vizinho e assim por diante. Um ponto interessante é que, todas as vezes que ele pontua essas Kombis, eu imagino corujinhas do final dos anos 50 (um pouco mais novas que o modelo a ser mostrado hoje) ou as tradicionais dos anos 60.
O vídeo que vocês veem ao final do post eu encontrei sem querer no Youtube e, após assisti-lo, logo vim escrever esse post para compartilhar essa joia com vocês. Nele, vocês veem uma Kombi Barndoor 1953 muito original, conservando a mecânica original 1200cc com a partida a manivela funcionando 100%. Além disso, vê-se também o funcionamento das "bananinhas" de seta e outros componentes presentes em Kombis dessa época. Algo bem bacana nesse vídeo é que dá para notar quantas mudanças a velha senhora teve durante suas décadas de produção.
Veja:


3 comentários:

  1. Ela tem barulho de refrigerado a ar novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, só a marcha lenta que estava bem "lenta" perto de um refrigerado a ar injetado. Esse ronco é muito bonito!

      Excluir
    2. Sem dúvida, mesmo sendo um 1.100 ou um 1.200 do qual eu não tenho experiências lá muito boas.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!