domingo, 23 de abril de 2017

A segurança na decolagem e nos pousos do passado

Antes de mais nada eu preciso me desculpar diante de todos os amigos seguidores por minha ausência. Nesse último feriado fiz uma breve viagem e lá no interior sempre é difícil de postar pela falta de tempo e conexão que oscila. Por pura falta de tempo não tive como deixar posts programados, mas "segue o jogo" e estou continuando com os posts como sempre. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Toda vez que eu publico alguma propaganda de algum derivado do Fusca, sempre faço questão de enfatizar a versatilidade do projeto de Ferdinand Porsche pelo fato de uma mesma plataforma de conjunto mecânico terem conseguido se adequar a veículos das mais diversas características e necessidades. No entanto, algo que é bem bacana de se dizer é o incrível número de funções que o Fusca, veículo "doador" de toda a engenharia que deu certo teve durante todos esses anos. Existe uma propaganda da VW do Brasil nos anos 60 que fala exatamente sobre isso. Mas, no post de hoje, quero mostrar a vocês uma outra função (bastante incomum no Brasil se tratando de Fuscas) que o besouro cumpriu no exterior.
A foto que vocês veem ao final do post foi salva por mim esses dias atrás. Eu a vi no Facebook e não pensei duas vezes em postá-la. Nela, há um Fusca dos anos 50 trabalhando no serviço aéreo. Aliás, essa imagem é bem bacana e, sinceramente, eu nunca tinha visto.
Veja:


quinta-feira, 20 de abril de 2017

Um ponto azul no meio da metrópole

Posts como o de hoje é que mostram que muitos clássicos ainda rodam firmemente dentro das grandes cidades e das regiões metropolitanas. São carros como este que será mostrado hoje é que, mesmo depois de muitas décadas, nós tenhamos um trânsito um pouco mais colorido. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
No post de ontem que tratava sobre rádios de época eu atingi os 650 posts já publicados. Se nós pararmos para ler tudo o que já foi postado aqui, tem-se um conteúdo muito vasto e que abrange vários tópicos do universo do antigomobilismo. Mas, como vocês sabem, um dos tipos de posts que eu mais curto escrever são esses dos flagras por inúmeros motivos, mas um deles é exatamente pela interrogação que nos é colocada na mente para saber a história de um carro clássico que, mesmo após tantos anos, segue servindo seus donos nas mais diversas necessidades.
As fotos que você vê ao final do post foram tiradas ontem por alguém que vocês não só conhecem mas sabem que é um dos maiores colaboradores do blog: Meu pai. Nessa quarta feira, meus pais fizeram uma rápida viagem até a Capital Paulista e o relato daquele dia por parte de meu pai para mim era de que ele havia visto muitos Fuscas circulando por lá. O que eu não esperava é que ele conseguiu fotografar um deles para mim. Quando meus pais já estavam no ônibus voltando para casa, ele logo viu esse maravilhoso Fusca 1982 (aparentemente azul laguna, principalmente se a cor for a original) circulando pela Marginal Tietê e, logo em seguida, pelo início da Rodovia Castello Branco até a cidade de Jandira. Nesse meio tempo, meu pai logo pegou o telefone e tirou essas fotos. Esse carro me parece um clássico muito íntegro e, pelo que indicam as placas, deve estar com o mesmo dono há alguns bons anos.
Fotos como a de hoje é que mostram que ainda existem muitos carros antigos rodando nas grandes cidades, simplesmente basta que tenhamos sorte para ver alguns deles em dias que estes "saíram da toca".
Quero agradecer novamente ao meu pai pela parceria de sempre!
Veja:






quarta-feira, 19 de abril de 2017

Dando um toque de modernidade em rádios antigos

Muito provavelmente esse post pode interessar a todos os amigos que tem todos aqueles rádios de época maravilhosos em seus carros clássicos e desejam um pedacinho do século atual na sonorização de seus antigos. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Todo mundo que me conhece sabe que a palavra música não está por um motivo qualquer no título desse blog. Música é um dos maiores combustíveis para que eu conduza a minha vida de bom humor, é algo que permite que eu possa fazer algo que gosto muito que é cantar e tocar e claro, é uma arte que permite uma interação incrível e que nos propicia uma grande diversidade, assim como no antigomobilismo. Por esse motivo, a música faz parte de meu cotidiano e eu sempre estou ouvindo alguma coisa, seja em casa, no carro ou em qualquer lugar.
Se alguém aqui me perguntasse quais foram os primórdios do mundo musical eu com certeza não saberia responder, mas mesmo sem ter essa informação que pesquisarei assim que terminar de escrever esse post eu sei que todos aqueles que conviveram com os nossos carros antigos quando eram novos já tinham essa paixão que eu e a grande maioria das pessoas tem pela música. Por esse motivo, era muito comum a procura por rádios automotivos que, lá no início, só sintonizam rádios AM, depois AM/FM até chegarem nos poderosos toca-fitas, objetos de desejo nas décadas passadas no meio automotivo.
Algo que eu com certeza farei questão de manter no meu futuro Fusquinha é um rádio de época. Para mim, aquele acessório carrega consigo uma grande nostalgia, mostrando como era a sonorização no passado. 
No entanto, como tudo na vida, esses rádios clássicos contam com uma limitação diante dos dias atuais: Todos eles contam com uma qualidade de som muito inferior à atual e não tem nenhuma função auxiliar como os rádios modernos. Se você é um pouco "purista" como eu e não quer trocar o seu rádio antigo e também gostaria de um toque de modernidade, esse post vai para você.
O vídeo que aparece ao final do post vem lá do canal do Cairo Augusto, no Youtube. Nele, você verá como é feita uma adaptação em rádios antigos para que se possa ter uma entrada auxiliar e, com esse recurso, ouvir músicas que estejam em um celular, por exemplo. O bacana é que a intervenção no aparelho eletronicamente falando é pequena e relativamente simples para quem tem um pequeno conhecimento em eletrônica. Eu conhecia um vídeo muito bacana sobre isso também, mas infelizmente não o encontrei para juntar ao post.
A ideia é muito bacana.
Veja:


terça-feira, 18 de abril de 2017

Um encontro de amigos no Sul do país!

Incrivelmente esse post veio totalmente a calhar para compensar a vocês esse tempo todo que eu não estou conseguindo ir ao eventos por pura falta de tempo. Ainda que as fotos de hoje não tenham sido tiradas por mim, são realmente como se fossem por tão especiais que são. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Toda a galera que acessa o blog há mais tempo sabe que uma dos estilos de post que eu mais curto escrever são aqueles que relatam os eventos. Estar em eventos onde as pessoas estão unidas num mesmo propósito que você é sempre muito saudável, visto que todo mundo ali fala a mesma língua e, por esse maravilhoso motivo, incríveis palavras fluem formando diálogos super produtivos e divertidos. No post de hoje você verá alguns flashs provenientes de um evento que conta exatamente com as boas características que citei.
As fotos que vocês veem hoje ao final do post integram uma contribuição especial que gentilmente me foi cedida pelo meu amigo Gelson. O Gelson, como vocês sabem, é um grande amigo antigomobilista que sempre que pode está gravando vídeos sobre VW a ar para ajudar as pessoas e difundir as suas bacanas ideias. Desta vez, o Gelson não está trazendo a sua contribuição através de um vídeo como habitualmente, mas sim com algumas fotos bem legais de um encontro que aconteceu em Concórdia e que o amigo teve a oportunidade de participar.
Fica aqui novamente a minha recomendação para que todos os amigos se inscrevam no canal do Gelson, o link do seu canal está no link de parceiros, aqui a sua direita.
Veja:





segunda-feira, 17 de abril de 2017

O Fusca do Filipe Arce no foco de outras câmeras

Eu escrevo o post de hoje com muito prestígio e um grande sentimento de honra, visto que foi um prazer ter postado esse carro no passado e esse mesmo clássico ter sido visto por milhares de antigomobilistas por um meio de comunicação tão bacana como vocês poderão ver. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Uma das coisas que eu mais gosto de postar aqui no blog, como vocês já sabem, são os carros dos seguidores. Mostrar clássicos de pessoas que prestigiam o blog todos os dias é sempre uma honra e o sentimento de gratidão é muito grande todas as vezes que sou agradecido pelo proprietário por um simples post. Por esse motivo, é que eu sempre irei postar clássicos de todas as idades, estilos e estados, de modo que esse blog continue arrancando sorrisos e levantando a bandeira da diversidade no antigomobilismo.
O maravilhoso Fusca que vocês vem ao final desse post já é conhecido de todos aqueles que acessam o blog sempre. Este clássico é o Fusca 1971 do meu amigo e parceiro do blog Filipe Arce, Youtuber de mão cheia e gente boníssima. Além disso, o Filipe é um cara que a cada dia se mostra mais forte diante das dificuldades a que infelizmente foi submetido. Bom, ele já sabe que toda a nação antigomobilista manda todos os dias a ele as mais positivas energias. Há algumas semanas atrás, ele teve o privilégio de levar o seu Fusquinha para ter os cuidados do Tonella, também Youtuber conceituado na manutenção automotiva e em conceitos de eletrônica. Nessa visita, o Fusca teve uma manutenção nos freios (inclusive a troca do cano mestre, manutenção que não é tão comum e deveria ser feita em todos os Fuscas em virtude da idade) e uma regulagem completa no esperto motor 1300.
Eu não poderia deixar de postar essa série aqui visto que tem tanta gente boa envolvida num único propósito.
Veja:







domingo, 16 de abril de 2017

Conhecendo a Weber 40 em detalhes

Todas as vezes que nós iremos executar um procedimento, algo primordial é saber um pouco da teoria que o circunda para que o resultado prático sempre seja o melhor possível. No post de hoje, você verá como é montada uma Weber 40 assim como alguns parâmetros de regulagem que podem ser bem úteis para quem quer instalar ou fazer uma limpeza em um carburador maravilhoso como esse. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Quando alguém pretende melhorar o desempenho de um carro antigo geralmente surge em sua cabeça inúmeras ideias de aplicações de peças que possam atender o seu objetivo. A grande realidade é que a junção do juízo para não gastar demais com o raciocínio no acerto podem lhe trazer um grande prazer ao dirigir. No entanto, muitas vezes nós não encontramos na internet informações centralizadas e objetivas sobre um determinado tipo de componente. O post de hoje pode te ajudar bastante se a sua ideia de performance gira em torno da instalação de uma maravilhosa Weber 40.
A Weber 40 com certeza está entre os carburadores mais cobiçados hoje em dia. O carburador que foi utilizado por vários carros importados e largamente aplicado nos carros de pista no passado ganhou também a admiração dos brasileiros por sua versatilidade. Eu mesmo já vi inúmeras Webers montadas em Fuscas (tanto em configuração simples como dupla), Opalas, carros com motor AP, Alfa Romeo e em inúmeros motores trazendo uma tocada muito bacana se bem acertada. Certa vez eu cheguei até a ver uma Weber 40 rodando no álcool, o que achei bem diferente. Como esse carburador é um projeto e um produto de procedência 100% estrangeira, dificilmente será possível de se achar um manual em português que trate dessas obras de arte. Todo mundo sabe da existência de um manual em inglês que trata sobre, mas algo totalmente traduzido infelizmente não é comum. Desta feita, hoje eu trago para vocês algumas imagens que são, na realidade, diagramas que mostram como todas as peças são montadas e, além disso, todos os códigos para que você possa procurar componentes internos desse carburador em sites estrangeiros, como giclês, venturis, canetas e outros detalhes.
Aqui no blog já existe um post que trata sobre a Weber central em motores a ar com todo o procedimento de instalação, e para os próximos dias estou preparando um post que fala da dupla.
Veja:






sexta-feira, 14 de abril de 2017

Um Fuscoelho da Páscoa?

A realidade é que o quanto mais eu vivo nesse mundo, mas as coisas me surpreendem e eu tenho (a cada vez mais) a certeza de que não verei tudo nessa vida. Mesmo assim, nós podemos ficar surpresos, vislumbrados, alegres, tristes ou com qualquer expressão ao vermos coisas, no mínimo, peculiares como a de hoje. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Pois bem, hoje eu estou escrevendo o post que entrará, ainda que atrasado, em uma data muito especial: A Sexta feira Santa. Essa data que é celebrada de forma diferente em relação aos outros dias por muita gente (inclusive por mim) com certeza movimenta muitos mercados, pessoas, dizeres e pensamentos. Mas, além de toda a manifestação religiosa que circunda essa data, também há todo o lado comercial da Páscoa, onde as pessoas geralmente presenteiam umas às outras com ovos de chocolate. Ainda que este presente esteja sendo um dos principais alvos das explorações por parte dos fabricantes, ainda existe toda essa tradição com o chocolate.
Em virtude da data, eu resolvi buscar algo que conseguisse traçar um paralelo entre todo esse clima de Páscoa ao nosso universo antigomobilista e fiquei pasmo com o que encontrei: Trata-se de um Fusca carinhosamente chamado de "Coelho Móvel" que eu encontrei em um artigo que está nesse link, onde toda a história desse Fusca americano é contada. Na época que o artigo foi publicado, ele inclusive estava a venda.
Recomendo a todos a leitura do artigo pela curiosidade.
Veja:




quinta-feira, 13 de abril de 2017

Instalando mangas de eixo deslocadas na suspensão de pivôs do Fusca

Para quem curte carros um pouquinho mais baixos que a altura original, com certeza esse post pode ajudar na montagem de seu projeto. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
No post de ontem eu disse aqui que uma das coisas mais bacanas que existem no mundo do antigomobilismo é a diversidade. No mesmo modelo de carro, seja ele produzido na mesma época ou não, nós conseguimos ver exemplares montados nos mais diversos estilos satisfazendo tudo quanto é tipo de dono que um clássico pode ter. O Fusca, em especial, é um carrinho que permite isso em virtude da versatilidade de sua plataforma, permitindo que montemos carros de acordo com o nosso gosto.
Uma das modificações que muita gente procura não só no universo dos antigos mas em vários carros é o rebaixamento. Eu particularmente não curto tanto, gosto bastante de carros originais, mas um Fusca levemente rebaixado fica harmonioso ao meu ver. Para que a distância entre o chão e a carroceria num Fusca diminua existem inúmeros métodos, e hoje falaremos um pouquinho do mais simples e que, pelo menos na minha opinião, é o mais sensato de ser feito.
O modo a ser dito hoje é do rebaixamento por meio da troca das mangas de eixo. Esse procedimento não requer nenhuma alteração no quadro da suspensão ou no feixe de molas dianteiro, o que o torna mais simples e que menos influi na questão estrutural do carro, o que geralmente é o mais crítico. As mangas rebaixadas (também conhecidas como mangas deslocadas) são projetadas para que o carro geralmente perca algo como 6cm de altura. Isso se deve pelo fato da ponta de eixo ter um deslocamento "para cima" no desenho da manga em relação a peça original. Dessa maneira, tem-se a suspensão montada como se fosse original, mas perdendo um pouco da altura sem alterar o curso original da suspensão dianteira, fazendo com que não se perca o conforto.
Para casos que o deslocamento na altura dessas mangas não seja o desejado, isso ainda pode ser compensado (tanto para cima como para baixo) com amortecedores com regulagem de altura, como veremos na abordagem de hoje.
O vídeo que vocês veem ao final desse post vem lá do canal do Tonella. Por inúmeras vezes eu já disse aqui que admiro e muito o trabalho dele, em virtude de ser um profissional humilde, didático e que se mostra muito capacitado todas as vezes que desempenha um serviço. Nele, ele mostra a instalação de mangas deslocadas e amortecedores reguláveis no "Fusca Espetacular", um belíssimo besouro que já passou algumas vezes por suas mãos e que foi montado com muito capricho.
Nessa abordagem, a instalação das mangas (que hoje em dia são componentes fabricados por muita gente, então você pode escolher a manga de sua preferência) é feita numa suspensão de pivôs, ou seja, a suspensão dos Fusquinhas mais modernos. Daqui uns dias tratei um post da instalação de mangas nessa configuração para a suspensão de embuchamento. O vídeo de hoje dispensa quaisquer legendas e é super didático.
Veja:


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Um acessório bastante peculiar

Uma das coisas que é relativa entre um ser humano e outro é o gosto. Jamais nós encontraremos duas pessoas nesse mundo que pensem 100% iguais, talvez seja esse um dos motivos pelos quais a diversidade é algo tão forte no mundo do antigomobilismo. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
O mundo dos automóveis é, sem dúvidas, um grande universo que está em constante mudança. Hora um carro conta com algumas características e, pouco tempo depois, pode parecer até outro projeto. Ainda que na atualidade os carros pareçam a cada dia mais iguais e com cores mais neutras, o nosso mundo dos automóveis já contou com projetos absurdamente distintos e com pequenos parágrafos no livro que conta a sua história um tanto peculiares, inclusive como diz o título desse post.
Se nós voltarmos algumas décadas atrás, nós veremos que a nossa indústria e algumas empresas fabricaram ou modificaram muitos carros para que ficassem parecidos com modelos que, por exemplo, não fossem tão acessíveis. Acima da abordagem de hoje existe um exemplo bastante clássico quanto a isso: O "Monza Benz", que eram Monzas modificados para parecerem Mercedes W201 190E. Aproveitando o gancho dessas modificações que eram feitas no passado, resolvi veicular uma propaganda de um acessório que, sem dúvidas, divide bastante opiniões.
A propaganda que vocês veem ao final do post eu encontrei no Facebook e até a compartilhei hoje pela manhã. Nela, vocês veem um acessório que foi vendido para o Fusca pela Multi Nacional SA: Um capô para o Fusca que lembrava os dos modelos Rolls Royce. Eu já vi um Fusca com um capô desses ao vivo e, confesso, sou um pouco purista com esse tipo de modificação e não curto, mas esse foi um dos acessórios que fez um sucesso positivo e, ao mesmo tempo, negativo no mercado.
Veja:



terça-feira, 11 de abril de 2017

Desenhos da realidade de muita gente

Toda essa galera que eu acabei chamando de "muita gente" no título desse post, é representada por uma grande nação antigomobilista existente no Brasil e que, felizmente, cresce a cada dia. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um novo post todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para serem somadas aos poucos vídeos que lá já estão. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele possa continuar crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Algo que eu tenho notado ultimamente é que, pela correria que estou tendo, eu acabo salvando imagens por aqui e simplesmente esqueço de postá-las no dia que tenho a ideia. Felizmente, dessa vez uma outra imagem me lembrou do conteúdo que eu tinha na mente para escrever e, além de refrescar minha memória, veio para somar no conteúdo do post de hoje.
Todos nós que somos entusiastas por automóveis, sem dúvidas, sempre gostamos de deixar nossos carros do jeito que os idealizamos, comprando peças e fazendo todos os serviços na medida do possível. Em casos mais fáceis, tem-se apoio das pessoas mais próximas a você e em outros não, mas o que também não impede que nossos sonhos sejam realizados. A grande realidade é que todos nós que somos apaixonados por essas máquinas de quatro rodas sempre buscamos a realização de nossos sonhos de alguma forma, ainda que a aprovação das pessoas próximas não se faça verdade. 
As ilustrações (que infelizmente não conheço o autor) que aparecem ao final do post foram salvas do Facebook por mim em datas diferentes. Nelas, vê-se duas casas e donos fanáticos por VW a ar consertando e buscando novas peças para o seus brinquedos.
Com certeza essas imagens retratam a vida de muita gente.
Veja:



segunda-feira, 10 de abril de 2017

Uma tampa do cárter otimizada para motores VW a ar

Um dos principais motivos de eu ter criado esse blog com certeza é para que posts como esses pudessem ser, a cada vez mais, conhecidos pelo maior número de pessoas possíveis. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir ficam aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
O mundo da mecânica é algum dos universos que com certeza você deve admirar que permite sempre que alguém possa melhorar um conjunto a fim de torná-lo mais eficiente. No mundo da engenharia, dos números e até mesmo (e talvez principalmente) dos "curiosos" que eu prefiro chamar de entusiastas sempre existe a vontade de melhorar tudo aquilo que já existe com a menor intervenção possível e com o máximo aproveitamento que consegue se ter. Se nós falarmos para qualquer pessoa que estamos pensando em melhorar a mecânica de um carro, ela pode pensar que estamos pensando somente em potência ou esportividade, mas o verbo melhorar ou até mesmo otimizar vai muito além de uma busca por maiores (e melhores) números em um conjunto mecânico, mas sim em um funcionamento mais uniforme, duradouro e suave de todo um grupo de peças que, se montadas de maneira correta, podem nos garantir a maior eficiência e diversão. O post de hoje nos permite ver uma ideia muito bacana de um grande amigo que traz o conceito de otimização para uma peça simples mas primordial para o bom funcionamento do motor do Fusca.
O vídeo que vocês veem ao final do post vem único, exclusivamente e diretamente do canal do Youtube do meu amigo Gelson. Quem acessa o blog há mais tempo sabe que eu sempre faço questão de difundir o trabalho do Gelson aqui por inúmeros fatores, como a humildade, a simplicidade e a engenhosidade (no melhor e mais puro sentido da palavra) que ele tem nos seus projetos: Nesse vídeo, o Gelson nos mostra uma nova peça que irá integrar a sua Brasília, uma tampa do cárter otimizada.
A tampa do cárter tem uma grande importância no motor de um Fusquinha: Além dela contar com uma das maiores vedações (por meio de uma junta) de óleo do motor, ela também trabalha em conjunto com a peneirinha, responsável por filtrar o óleo em um sistema original. Além disso, nela é rosqueado o bujão do cárter, utilizado para o escoamento do óleo em uma troca.
A grande realidade é que, de uns anos para cá, a nossa indústria de autopeças perdeu um pouco da qualidade, então é muito comum nós vermos tampas dessas novas com um material pouco resistente e até fora de medida. Para um melhor rendimento do componente e para evitar usar uma peça de qualidade duvidosa, o Gelson mandou fazer em um torneiro uma tampa com inúmeras otimizações, começando pela qualidade do material, o nível de usinagem e um upgrade muito bacana que eu até então não conhecia: A retirada de um ressalto presente nas tampas originais pelo lado que fica dentro do cárter.
O vídeo fala por si e é claro, eu postarei o vídeo dessa tampa instalada assim que ele for postado.
Veja:


domingo, 9 de abril de 2017

O Fusca na telinha

Antes de mais nada eu quero me desculpar a todos os amigos seguidores por não ter colocado um post ontem. Nesse sábado eu tive um compromisso a noite e não tive tempo para programar nada durante o dia para que vocês pudessem ler. No entanto, desde o início de 2017, essa foi a única vez que infelizmente não pude colocar um post no ar, então dá até para se justificar (risos). Nesse domingo você terá, de certa maneira, a possibilidade de "assistir TV" aqui no blog sobre um assunto que todos nós gostamos. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um novo post todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, também a sua direita há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde aparecerão muitas novidades em um futuro muito breve para se somar com o conteúdo que lá já existe. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
O conteúdo do post de hoje está na minha cabeça há algumas semanas, confesso. No entanto, eu não estava com tempo para escrevê-lo da maneira que eu queria. Nós brasileiros na grande maioria temos alguns hábitos que, com certeza, já vem de gerações passadas. Um deles muitas vezes é o de se assistir TV. Para boa parte da população, a televisão é uma das maiores fontes de entretenimento. A gente sabe que hoje em dia a nossa TV (principalmente a aberta) decaiu e muito a qualidade dos programas, do jornalismo e até mesmo dos temas abordados em programas, mas hoje é dia de mostrarmos um lado bom da TV.
Para exemplificar o tema do post de hoje, vou utilizar de uma situação extremamente comum de se acontecer comigo: Se meu pai está assistindo algo na TV (seja sozinho ou comigo) e aparece algum carro bacana, diferente ou mesmo um Fusca na tela, ele sempre me chama para que eu possa ver. Muito provavelmente algo nesse estilo já aconteceu com você, mesmo que a sua pessoa tenha feito o papel de observador. Então nós, entusiastas de automóveis, sempre iremos observar os carros que aparecem na tela pela nossa paixão.
As fotos que você vê ao final do post vem lá do site IMCDb.org, que você pode conhecer clicando aqui. Nele, você tem milhares de flagras de todos os carros e de todas as montadoras nas telinhas do mundo todo, seja nos programas de TV, filmes, séries, desenhos ou qualquer outro tipo de animação. Se nós buscarmos fotos dos Fuscas, nós teremos muitas páginas de imagens, então eu resolvi fazer uma breve seleção de fotos de Fuscas aparecendo na TV (inclusive no Brasil) em diversos tipos de cena.
Veja: