domingo, 30 de abril de 2017

O aniversário de um presente inusitado

Ainda que bastante atrasado em relação ao habitual, cá estou eu aqui depois de um dia muito divertido trazendo uma história que raramente nós veremos nos próximos anos ou até mesmo nos próximos séculos que envolve o carro mais amado do mundo.Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Todos nós sabemos que o nosso país é uma terra muito boa, fértil e cheia de gente do bem. Assim como os inúmeros bons frutos que nascem das árvores de todo nosso território, infelizmente nós também temos aquelas sementes que não se desenvolvem como deveriam e acabam sendo influenciadas pelas pragas, coisa que sempre existiu em todo lugar. A realidade é que vivemos em um país onde o veneno contra pragas esqueceu de ser aplicado quando do início da fertilização de nossas sementes, fazendo com que seja despertado o sentimento de prestígio para todos aqueles no momento que se deparam com um fruto bom. Pois bem, o post de hoje mostra exatamente isso: A retribuição do povo por bons frutos plantados.
A reportagem que aparece ao final do post vem lá do Portal G1 e quem me indicou foi a minha amiga (e eterna vizinha, independente da distância que existir entre nossas casas) Fernanda. Ela, sabendo que sou apaixonado por carros clássicos e em especial por VW a ar, me enviou essa reportagem que conta a história do Dr. Milton Luiz Pereira, homem que fez a diferença em uma gestão como prefeito da cidade de Campo Mourão, no Paraná e foi retribuído com um belíssimo Fusca 1967 azul real pela população. Esse fato aniversariou pela 50ª vez e, por esse motivo, terá uma comemoração especial. A reportagem fala por si e mostra toda a história do carrinho.
Clicando nesse link você pode ler a reportagem na íntegra (que você também vê abaixo) assim como assistir ao vídeo que mostra o carro.
Veja:


Cidade do Paraná comemora data em que ex-prefeito recebeu carro de presente
Há 50 anos, população de Campo Mourão deu um Fusca ao então prefeito, pelos bons serviços prestados na administração municipal.

Os moradores de Campo Mourão, no norte do Paraná, comemoram nesta sexta-feira (28) uma data histórica. Há 50 anos, o então prefeito da cidade, Milton Luiz Pereira recebeu um carro de presente. O agrado foi concedido ao político pelos próprios moradores, em reconhecimento pelos bons serviços prestados à frente da administração municipal.
O político nascido em São Paulo, morou em Curitiba, onde se formou em direito. Em 1963, candidatou-se ao cargo de prefeito e foi eleito. Nos anos em que ficou à frente da prefeitura, ele mandou abrir estradas, construiu biblioteca, rede de esgoto e deixou as contas do município em dia. A gestão foi considerada inovadora para a época.
Porém, antes do fim do mandato, ele renunciou ao cargo, para assumir uma vaga de juiz federal. Foi quando os moradores fizeram uma vaquinha e decidiram presenteá-lo com um Fusca. A escolha não foi à toa. Pereira tinha vendido o carro da família para pagar contas e andava a pé pela cidade.
"Em tom de brincadeira, falava que não podiam ter feito isso com ele. Ele sempre deixava bem claro que nunca ia aceitar nada. Mas foi um gesto de carinho. Ele entendeu isso. Foi um reconhecimento da população", lembra o filho do ex-prefeito, Marcus Vinicius Tadeu Pereira.
O presente inesperado veio acompanhado de uma situação inusitada. Na hora da entrega, o Fusca não ligou. Os moradores, então, empurraram o carro até a casa do político, com ele e a família dentro. "Quem conta essas histórias, conta que foi uma situação engraçada, serviu para quebrar o gelo também", diz Marcus.
Em um discurso gravado à época da renúncia, Milton Luiz Pereira disse que saía tranquilo do cargo. "Saio com a consciência tranquila do dever cumprido. Trabalhei o que pude. Não fiz mais porque talvez não fosse possível", disse.
Depois da renúncia, ele nunca mais voltou a atuar na política. Dedicou-se à magistratura e chegou ao cargo de ministro do Superior Tribunal de Justiça. Ele morreu em 2012, horas depois do falecimento da mulher. O casal estava internado no mesmo hospital.
O carro e as lembranças permanecem na família até hoje. O veículo, que estava com a família em Curitiba, foi levado a Campo Mourão e será exibido em frente à prefeitura a partir desta sexta-feira, em memória ao ex-prefeito que segue querido entre os moradores da cidade.


sábado, 29 de abril de 2017

Fusca 1976 do José Silveira: O requinte nos detalhes

Eu confesso a vocês que já fazia um bom tempo que eu não postava algum carro de um seguidor por pura falta de tempo, mas o clássico a ser mostrado hoje merece o tapete vermelho pelo capricho que foi montado. Bom, vocês irão ver e eu não preciso dizer mais nada. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Para começar o post de hoje eu quero utilizar uma frase do meu pai que bate exatamente com a história de hoje: Tudo na vida são contatos. Sem se comunicar, dificilmente iremos conseguir o que buscamos. O post de hoje só está acontecendo pelo fato de eu ter recebido um honroso contato que fez com que eu conhecesse esse simpático e caprichado carrinho.
As fotos que vocês veem ao final do post foram enviadas pelo José Silveira Neto. Há alguns dias atrás, o José me enviou uma mensagem por meio da página do Facebook com fotos do seu Fusca. Assim que eu as vi, não tive dúvida: Logo perguntei se poderíamos escrever um post do carro dele. Prontamente, o José me enviou mais fotos e contou toda a história do carro que, por sinal, é muito interessante.
A aquisição desse carro por parte do José com certeza é parecida com muitas que á ocorreram com Fuscas ou outros carros clássicos: Ele encontrou esse carro encostado em uma loja de carros usados em Botucatu, aqui no interior de São Paulo e, após uma negociação, ele conseguiu comprar o carro. Após isso, esse simpático Fusca ficou parado por mais uns dois anos, até que o seu processo de restauração ser iniciado. O resultado final é exatamente esse que você está vendo: Um magnífico Fusca 1976 cheio de modificações e montado com muito capricho.
O projeto desse carro ao meu ver ficou muito bom: O carro foi montado totalmente ao gosto do dono e com vários acessórios que harmonizaram a proposta de seu proprietário, como as rodas, o interior (que eu adorei, diga-se de passagem), o volante esportivo e vários outros detalhes que originalmente são dos Fuscas mexicanos.
Pois bem, o carro fala por si e dispensa quaisquer apresentações. Apreciem sem moderação.
Veja:















Quero agradecer ao José por ter enviado as fotos!
Quer ver seu carro aqui no blog? Me mande um e-mail.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Corrigindo a folga da caixa de direção do Fusca e de outros VW a ar

O post de hoje vai em especial para você que tem como queixa em seu Fusca ou derivado a indesejada folga na direção, tornando a direção um pouco imprecisa. Mas antes de entrar no tema proposto para hoje, eu não posso deixar de agradecer a todos os amigos seguidores por mais uma marca no número de acessos atingida nesta manhã. No início dessa sexta feira, o blog completou 180.000 acessos, mérito que eu devo totalmente a todos os amigos que sempre prestigiam o conteúdo e compartilham tudo aquilo que é postado aqui para que cada vez mais pessoas possam estar lendo posts como o de hoje. Mais uma vez, muito obrigado! Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Nos dias de hoje muitas vezes nós ouvimos de alguns mecânicos ou até mesmo pessoas que não são tão familiarizadas com a manutenção de automóveis que o volante de um carro está "torto". Saibam meus amigos, no fundo essa expressão tem até sentido, mas é muito relativa. O volante estar "torto" pode ser um erro na geometria da suspensão ou uma folga na caixa de direção, tema a ser tratado no post de hoje.
Para quem não sabe, folga na caixa de direção é um problema que geralmente aparece nas caixas depois de muitos anos de uso, onde os componentes internos já apresentam um desgaste e tudo lá dentro não se encontra mais "justinho" como se deve. Quando isso acontece, geralmente você não consegue manter o volante no ângulo correto ao dirigir para compensar essa folga, dessa maneira, o volante geralmente fica um pouco "torto", o que gerou a expressão popular que citei acima. Essa folga geralmente é bem chata pois se perde um pouco da precisão da direção que, principalmente em casos de desgaste acentuado, podem comprometer a segurança do automóvel.
Depois de ler tudo isso você pode estar se perguntando como essa folga na caixa de direção pode ser corrigida. Pois bem, a resposta é simples: Geralmente as caixas de direção (isso tratando de maneira bem genérica mas que abrange perfeitamente os casos dos Fuscas e derivados) apresentam um folga indesejada entre o setor (componente interno) e o "sem fim", componente que tem um contato direto com o setor. Quando a folga tem o "sem fim" como a raiz do problema, geralmente não há muito o que fazer se não desmontar toda a caixa e fazer um reparo maior, trocando rolamentos e outros componentes ou até mesmo substituindo todo o conjunto da caixa por uma nova (que ainda existe, pois ainda se fabrica) ou uma caixa recondicionada, bastante comum de se achar no mercado. A única incógnita que geralmente se tem em uma caixa recondicionada é que dificilmente se sabe como o reparo foi feito, então é necessária uma busca criteriosa ao comprar uma caixa dessas. No entanto, se a caixa recondicionada comprada tiver sido bem reparada, ela durará muitos anos sem problemas.
Além da folga que o "sem fim" pode adquirir durante os anos, existe um problema que é mais comum nas caixas e que é, de fato, o tema do post de hoje: A folga no setor. A "vantagem" (se é que se pode dizer assim) desde defeito em relação ao anterior é que geralmente consegue se corrigir sem abrir a caixa por um motivo muito simples: A Volkswagen em alguma ocasião deve ter levado em consideração no projeto do carro mais amado do mundo que problemas como esses aconteceriam, e como o Fusca é um carro que tem na maioria de seus reparos a possibilidade de fazê-los de maneira objetiva, criou-se uma maneira, na caixa de direção do Fusca, para que essa folga seja compensada.
Para se saber de onde vem a folga da sua caixa de direção não existe um método mais simples que o da exclusão. Se você conseguiu corrigir a folga ajustando o setor, ali estava a raiz de seu problema. Caso não, você realmente precisará abrir a caixa ou trocá-la.
As imagens que aparecem ao final do post vem diretamente daquele manual do Fusca 1965 que tenho digitalizado aqui e que já falei algumas vezes. Nelas, são dadas algumas instruções acerca da caixa de direção. A primeira delas é com relação à lubrificação do conjunto, que nos Fuscas mais antigos (até o final da década de 60 mais ou menos) tinham a caixa lubrificada com óleo e nos modelos posteriores, lubrificadas com graxa. A realidade é que se você fizer uma manutenção na caixa, o mais sensato nos dias de hoje é montar o conjunto com graxa. O procedimento para lubrificar ou ajustar a folga é simples: Abra o porta-malas e tire o estepe. Depois disso você verá uma tampinha preta (que pode variar de formato de acordo com o ano de seu Fusca ou derivado) que é parafusada. Tirando-a, você verá a parte superior da caixa. Nela, haverá o parafuso para a lubrificação (de funcionamento similar a um bujão de cárter, por exemplo) e um parafuso de fenda com uma contra-porca. Para regular a folga, você deve deixar as rodas do carro voltadas totalmente para frente, após isso, solte a contra-porca e encoste (sim, só encoste, não é necessário apertar o parafuso com a força do incrível Hulk) o parafuso a fim de compensar a folga do setor da caixa de direção. Após isso, mantenha a regulagem do parafuso e reaperte a contra-porca de modo que tudo fique justinho novamente.
Esse é um procedimento simples e existem vários vídeos do Tonella que os mostram, não há muito mistério e é super fácil de fazer.
Abaixo vão algumas imagens que podem facilitar o entendimento.
Veja:




quinta-feira, 27 de abril de 2017

Uma Kombi cheia de detalhes

O conteúdo do post de hoje realmente está fino. Talvez nesses mais de 600 posts publicados eu nunca mostrei um clássico dos anos 50 tão íntegro e cheio de detalhes originais como esse. Vídeos como o de hoje também nos mostram que lá no exterior existe um grande universo VW a ar que pode ir além de nossas expectativas.  Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Eu sempre costumo dizer aqui que algo muito sadio presente no antigomobilismo é o vasto campo para diálogo entre amantes dessa arte. Carros antigos nos permitem papos muito bacanas e em algumas ocasiões é até possível conversar sobre um carro clássico com alguém que não os conheça bem ou que entenda de mecânica. Um exemplo disso são os diálogos que tenho com o meu pai sobre automóveis. Ele, particularmente, não tem os automóveis como uma paixão, mas os admira bastante. Todas as vezes que ele me fala de suas lembranças de carros na infância e adolescência, as Kombis são citadas nas frases dele. Hora que um parente teve uma, ou um conhecido, um vizinho e assim por diante. Um ponto interessante é que, todas as vezes que ele pontua essas Kombis, eu imagino corujinhas do final dos anos 50 (um pouco mais novas que o modelo a ser mostrado hoje) ou as tradicionais dos anos 60.
O vídeo que vocês veem ao final do post eu encontrei sem querer no Youtube e, após assisti-lo, logo vim escrever esse post para compartilhar essa joia com vocês. Nele, vocês veem uma Kombi Barndoor 1953 muito original, conservando a mecânica original 1200cc com a partida a manivela funcionando 100%. Além disso, vê-se também o funcionamento das "bananinhas" de seta e outros componentes presentes em Kombis dessa época. Algo bem bacana nesse vídeo é que dá para notar quantas mudanças a velha senhora teve durante suas décadas de produção.
Veja:


quarta-feira, 26 de abril de 2017

É dia de Fuchs!

Quem me conhece e principalmente todos os amigos que eu já tive o privilégio de conversar sobre antigomobilismo e automóveis de maneira geral sabe que eu sou bastante conservador com relação à modificações na estética de um carro. No entanto, as rodas a serem mostradas hoje estão, sem dúvidas, entre as minhas preferidas naquelas que são usadas nos Volkswagen refrigerados a ar. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Quando se pretende montar um carro (principalmente antigo) que faz parte da realização de um sonho de alguém, é muito comum que as pessoas busquem a perfeição na montagem do carro e na escolha das peças. Um ponto que geralmente é muito importante para todos nesse tipo de processo é a aparência do carro: Alguns optam por manter uma estética original (algo que eu adoro), outros por leves modificações (o que eu também acho bacana) e alguns apostam na simplicidade e na baixa intervenção na aparência. Um acessório muito comum de ser trocado nessas situações são as rodas, tema que aborda o post de hoje.
Nessa noite de quarta feira eu separei para vocês algumas fotos de alguns VW a ar com rodas Fuchs, as usadas nos Porsche 911. Essas rodas sempre foram muito populares nos Fuscas, mas com a tendência dos German Look essas rodas tem sido ainda mais populares. Há algum tempo atrás eu inclusive tive o grande prazer de postar um Fusca que conta com rodas dessas legítimas, vindas de um Porsche.
Os modelos de tala larga para mim são os mais charmosos. Apreciem sem moderação.
Veja:


















terça-feira, 25 de abril de 2017

O resultado da tampa do cárter otimizada

Quando eu bato na tecla que abrange o conceito da otimização, é exatamente disso que eu estou falando. O post de hoje com certeza pode trazer uma ideia para muita gente e, logicamente, vem como um complemento à aquele que escrevi há alguns dias tratando desse componente refinado pela primeira vez. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Há algumas semanas atrás eu ouvi de um professor da faculdade em uma matéria que abrange todos os conceitos de motores uma célebre frase que se adequa perfeitamente ao tema de hoje. O professor disse que nós precisamos ter sempre muito respeito pelo projeto original de um carro, por exemplo, mas nós também podemos ter um olhar crítico e que nos aguce a mostrar melhorias. Todos nós sabemos das várias qualidades que o motor VW a ar tem, mas se nós enxergarmos o projeto como algo plausível de melhorias, podemos alcançar resultados em regulagens e eficiência dos clássicos bem mais interessantes.
O vídeo que aparece ao final do post vem lá do canal do meu amigo Gelson. Como prometido, cá estou eu postando o vídeo do resultado da tampa do cárter otimizada que ele mandou fazer para a sua Brasília e eu simplesmente achei genial. Essa solução (que você pode conferir no outro post que fala dessa tampa que conta com inúmeras melhorias em relação à original) adotada pelo Gelson pode ser aplicada em qualquer VW a ar, mas eu particularmente a considero importantíssima em veículos que rodem em estradas de terra ou terrenos difíceis em virtude da construção mais robusta e das "bordas" da tampa serem maiores. No universo desses motores que tanto gostamos, a aplicação em buggys ou gaiolas é muito bem vinda.
Ainda nesses minutos, o Gelson mostra e enfatiza a necessidade da troca dos prisioneiros originais por modelos mais longos para a instalação da tampa e ainda nos mostra os resultados das regulagens de sua Brasília. Além disso, é mostrado o resultado prático de um óleo que cai muito bem aos motores VW a ar.
Fica aqui mais uma vez a minha recomendação para que vocês se inscrevam no canal do Gelson. O link e está e sempre estará aqui a sua direita.
Veja:



segunda-feira, 24 de abril de 2017

Um flash no meio do trânsito

Confesso a vocês que, se eu pudesse, postaria esse tipo de contribuição todos os dias, pois além de mostrar toda a força que os clássicos tem no trânsito, sei que elas chegam sempre com muito carinho até aqui. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Nesses mais de 650 posts escritos aqui eu já tive a oportunidade de trazer Fuscas e derivados dos mais diversos estilos, mas, a cada novo post de flagra que escrevo, sempre tenho a sensação de estar mostrando um clássico pela primeira vez e isso se dá por um motivo muito simples: O antigomobilismo sempre nos reserva uma grande diversidade entre os carros, o que nos passa a sensação de novidade todas as vezes que vemos um carro antigo.
As fotos que você vê ao final do vídeo vem de um colaborador aqui do blog que todo mundo já conhece: O meu pai. Juntamente com as fotos que integraram o post de anteontem do Fusca 1982, ele também me enviou essas fotos. Nelas, vocês veem um simpático Fusca dos anos 60 (não sei o ano ao certo, dessa vez não deu para checar a placa) cheio de personalidade e marcas do tempo. Além disso, este é um clássico que segue uma tendência que tem se tornado a cada dia mais comum em Fuscas dessa época: A montagem de rodas ao estilo Porsche. Esse carro foi visto na semana passada no trajeto diário do meu pai.
Quero agradecer mais uma vez meu pai pela parceria de hoje e sempre.
Veja:




domingo, 23 de abril de 2017

A segurança na decolagem e nos pousos do passado

Antes de mais nada eu preciso me desculpar diante de todos os amigos seguidores por minha ausência. Nesse último feriado fiz uma breve viagem e lá no interior sempre é difícil de postar pela falta de tempo e conexão que oscila. Por pura falta de tempo não tive como deixar posts programados, mas "segue o jogo" e estou continuando com os posts como sempre. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Toda vez que eu publico alguma propaganda de algum derivado do Fusca, sempre faço questão de enfatizar a versatilidade do projeto de Ferdinand Porsche pelo fato de uma mesma plataforma de conjunto mecânico terem conseguido se adequar a veículos das mais diversas características e necessidades. No entanto, algo que é bem bacana de se dizer é o incrível número de funções que o Fusca, veículo "doador" de toda a engenharia que deu certo teve durante todos esses anos. Existe uma propaganda da VW do Brasil nos anos 60 que fala exatamente sobre isso. Mas, no post de hoje, quero mostrar a vocês uma outra função (bastante incomum no Brasil se tratando de Fuscas) que o besouro cumpriu no exterior.
A foto que vocês veem ao final do post foi salva por mim esses dias atrás. Eu a vi no Facebook e não pensei duas vezes em postá-la. Nela, há um Fusca dos anos 50 trabalhando no serviço aéreo. Aliás, essa imagem é bem bacana e, sinceramente, eu nunca tinha visto.
Veja:


quinta-feira, 20 de abril de 2017

Um ponto azul no meio da metrópole

Posts como o de hoje é que mostram que muitos clássicos ainda rodam firmemente dentro das grandes cidades e das regiões metropolitanas. São carros como este que será mostrado hoje é que, mesmo depois de muitas décadas, nós tenhamos um trânsito um pouco mais colorido. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
No post de ontem que tratava sobre rádios de época eu atingi os 650 posts já publicados. Se nós pararmos para ler tudo o que já foi postado aqui, tem-se um conteúdo muito vasto e que abrange vários tópicos do universo do antigomobilismo. Mas, como vocês sabem, um dos tipos de posts que eu mais curto escrever são esses dos flagras por inúmeros motivos, mas um deles é exatamente pela interrogação que nos é colocada na mente para saber a história de um carro clássico que, mesmo após tantos anos, segue servindo seus donos nas mais diversas necessidades.
As fotos que você vê ao final do post foram tiradas ontem por alguém que vocês não só conhecem mas sabem que é um dos maiores colaboradores do blog: Meu pai. Nessa quarta feira, meus pais fizeram uma rápida viagem até a Capital Paulista e o relato daquele dia por parte de meu pai para mim era de que ele havia visto muitos Fuscas circulando por lá. O que eu não esperava é que ele conseguiu fotografar um deles para mim. Quando meus pais já estavam no ônibus voltando para casa, ele logo viu esse maravilhoso Fusca 1982 (aparentemente azul laguna, principalmente se a cor for a original) circulando pela Marginal Tietê e, logo em seguida, pelo início da Rodovia Castello Branco até a cidade de Jandira. Nesse meio tempo, meu pai logo pegou o telefone e tirou essas fotos. Esse carro me parece um clássico muito íntegro e, pelo que indicam as placas, deve estar com o mesmo dono há alguns bons anos.
Fotos como a de hoje é que mostram que ainda existem muitos carros antigos rodando nas grandes cidades, simplesmente basta que tenhamos sorte para ver alguns deles em dias que estes "saíram da toca".
Quero agradecer novamente ao meu pai pela parceria de sempre!
Veja:






quarta-feira, 19 de abril de 2017

Dando um toque de modernidade em rádios antigos

Muito provavelmente esse post pode interessar a todos os amigos que tem todos aqueles rádios de época maravilhosos em seus carros clássicos e desejam um pedacinho do século atual na sonorização de seus antigos. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Todo mundo que me conhece sabe que a palavra música não está por um motivo qualquer no título desse blog. Música é um dos maiores combustíveis para que eu conduza a minha vida de bom humor, é algo que permite que eu possa fazer algo que gosto muito que é cantar e tocar e claro, é uma arte que permite uma interação incrível e que nos propicia uma grande diversidade, assim como no antigomobilismo. Por esse motivo, a música faz parte de meu cotidiano e eu sempre estou ouvindo alguma coisa, seja em casa, no carro ou em qualquer lugar.
Se alguém aqui me perguntasse quais foram os primórdios do mundo musical eu com certeza não saberia responder, mas mesmo sem ter essa informação que pesquisarei assim que terminar de escrever esse post eu sei que todos aqueles que conviveram com os nossos carros antigos quando eram novos já tinham essa paixão que eu e a grande maioria das pessoas tem pela música. Por esse motivo, era muito comum a procura por rádios automotivos que, lá no início, só sintonizam rádios AM, depois AM/FM até chegarem nos poderosos toca-fitas, objetos de desejo nas décadas passadas no meio automotivo.
Algo que eu com certeza farei questão de manter no meu futuro Fusquinha é um rádio de época. Para mim, aquele acessório carrega consigo uma grande nostalgia, mostrando como era a sonorização no passado. 
No entanto, como tudo na vida, esses rádios clássicos contam com uma limitação diante dos dias atuais: Todos eles contam com uma qualidade de som muito inferior à atual e não tem nenhuma função auxiliar como os rádios modernos. Se você é um pouco "purista" como eu e não quer trocar o seu rádio antigo e também gostaria de um toque de modernidade, esse post vai para você.
O vídeo que aparece ao final do post vem lá do canal do Cairo Augusto, no Youtube. Nele, você verá como é feita uma adaptação em rádios antigos para que se possa ter uma entrada auxiliar e, com esse recurso, ouvir músicas que estejam em um celular, por exemplo. O bacana é que a intervenção no aparelho eletronicamente falando é pequena e relativamente simples para quem tem um pequeno conhecimento em eletrônica. Eu conhecia um vídeo muito bacana sobre isso também, mas infelizmente não o encontrei para juntar ao post.
A ideia é muito bacana.
Veja:


terça-feira, 18 de abril de 2017

Um encontro de amigos no Sul do país!

Incrivelmente esse post veio totalmente a calhar para compensar a vocês esse tempo todo que eu não estou conseguindo ir ao eventos por pura falta de tempo. Ainda que as fotos de hoje não tenham sido tiradas por mim, são realmente como se fossem por tão especiais que são. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Toda a galera que acessa o blog há mais tempo sabe que uma dos estilos de post que eu mais curto escrever são aqueles que relatam os eventos. Estar em eventos onde as pessoas estão unidas num mesmo propósito que você é sempre muito saudável, visto que todo mundo ali fala a mesma língua e, por esse maravilhoso motivo, incríveis palavras fluem formando diálogos super produtivos e divertidos. No post de hoje você verá alguns flashs provenientes de um evento que conta exatamente com as boas características que citei.
As fotos que vocês veem hoje ao final do post integram uma contribuição especial que gentilmente me foi cedida pelo meu amigo Gelson. O Gelson, como vocês sabem, é um grande amigo antigomobilista que sempre que pode está gravando vídeos sobre VW a ar para ajudar as pessoas e difundir as suas bacanas ideias. Desta vez, o Gelson não está trazendo a sua contribuição através de um vídeo como habitualmente, mas sim com algumas fotos bem legais de um encontro que aconteceu em Concórdia e que o amigo teve a oportunidade de participar.
Fica aqui novamente a minha recomendação para que todos os amigos se inscrevam no canal do Gelson, o link do seu canal está no link de parceiros, aqui a sua direita.
Veja:





segunda-feira, 17 de abril de 2017

O Fusca do Filipe Arce no foco de outras câmeras

Eu escrevo o post de hoje com muito prestígio e um grande sentimento de honra, visto que foi um prazer ter postado esse carro no passado e esse mesmo clássico ter sido visto por milhares de antigomobilistas por um meio de comunicação tão bacana como vocês poderão ver. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Uma das coisas que eu mais gosto de postar aqui no blog, como vocês já sabem, são os carros dos seguidores. Mostrar clássicos de pessoas que prestigiam o blog todos os dias é sempre uma honra e o sentimento de gratidão é muito grande todas as vezes que sou agradecido pelo proprietário por um simples post. Por esse motivo, é que eu sempre irei postar clássicos de todas as idades, estilos e estados, de modo que esse blog continue arrancando sorrisos e levantando a bandeira da diversidade no antigomobilismo.
O maravilhoso Fusca que vocês vem ao final desse post já é conhecido de todos aqueles que acessam o blog sempre. Este clássico é o Fusca 1971 do meu amigo e parceiro do blog Filipe Arce, Youtuber de mão cheia e gente boníssima. Além disso, o Filipe é um cara que a cada dia se mostra mais forte diante das dificuldades a que infelizmente foi submetido. Bom, ele já sabe que toda a nação antigomobilista manda todos os dias a ele as mais positivas energias. Há algumas semanas atrás, ele teve o privilégio de levar o seu Fusquinha para ter os cuidados do Tonella, também Youtuber conceituado na manutenção automotiva e em conceitos de eletrônica. Nessa visita, o Fusca teve uma manutenção nos freios (inclusive a troca do cano mestre, manutenção que não é tão comum e deveria ser feita em todos os Fuscas em virtude da idade) e uma regulagem completa no esperto motor 1300.
Eu não poderia deixar de postar essa série aqui visto que tem tanta gente boa envolvida num único propósito.
Veja:







domingo, 16 de abril de 2017

Conhecendo a Weber 40 em detalhes

Todas as vezes que nós iremos executar um procedimento, algo primordial é saber um pouco da teoria que o circunda para que o resultado prático sempre seja o melhor possível. No post de hoje, você verá como é montada uma Weber 40 assim como alguns parâmetros de regulagem que podem ser bem úteis para quem quer instalar ou fazer uma limpeza em um carburador maravilhoso como esse. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Quando alguém pretende melhorar o desempenho de um carro antigo geralmente surge em sua cabeça inúmeras ideias de aplicações de peças que possam atender o seu objetivo. A grande realidade é que a junção do juízo para não gastar demais com o raciocínio no acerto podem lhe trazer um grande prazer ao dirigir. No entanto, muitas vezes nós não encontramos na internet informações centralizadas e objetivas sobre um determinado tipo de componente. O post de hoje pode te ajudar bastante se a sua ideia de performance gira em torno da instalação de uma maravilhosa Weber 40.
A Weber 40 com certeza está entre os carburadores mais cobiçados hoje em dia. O carburador que foi utilizado por vários carros importados e largamente aplicado nos carros de pista no passado ganhou também a admiração dos brasileiros por sua versatilidade. Eu mesmo já vi inúmeras Webers montadas em Fuscas (tanto em configuração simples como dupla), Opalas, carros com motor AP, Alfa Romeo e em inúmeros motores trazendo uma tocada muito bacana se bem acertada. Certa vez eu cheguei até a ver uma Weber 40 rodando no álcool, o que achei bem diferente. Como esse carburador é um projeto e um produto de procedência 100% estrangeira, dificilmente será possível de se achar um manual em português que trate dessas obras de arte. Todo mundo sabe da existência de um manual em inglês que trata sobre, mas algo totalmente traduzido infelizmente não é comum. Desta feita, hoje eu trago para vocês algumas imagens que são, na realidade, diagramas que mostram como todas as peças são montadas e, além disso, todos os códigos para que você possa procurar componentes internos desse carburador em sites estrangeiros, como giclês, venturis, canetas e outros detalhes.
Aqui no blog já existe um post que trata sobre a Weber central em motores a ar com todo o procedimento de instalação, e para os próximos dias estou preparando um post que fala da dupla.
Veja:






sexta-feira, 14 de abril de 2017

Um Fuscoelho da Páscoa?

A realidade é que o quanto mais eu vivo nesse mundo, mas as coisas me surpreendem e eu tenho (a cada vez mais) a certeza de que não verei tudo nessa vida. Mesmo assim, nós podemos ficar surpresos, vislumbrados, alegres, tristes ou com qualquer expressão ao vermos coisas, no mínimo, peculiares como a de hoje. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Pois bem, hoje eu estou escrevendo o post que entrará, ainda que atrasado, em uma data muito especial: A Sexta feira Santa. Essa data que é celebrada de forma diferente em relação aos outros dias por muita gente (inclusive por mim) com certeza movimenta muitos mercados, pessoas, dizeres e pensamentos. Mas, além de toda a manifestação religiosa que circunda essa data, também há todo o lado comercial da Páscoa, onde as pessoas geralmente presenteiam umas às outras com ovos de chocolate. Ainda que este presente esteja sendo um dos principais alvos das explorações por parte dos fabricantes, ainda existe toda essa tradição com o chocolate.
Em virtude da data, eu resolvi buscar algo que conseguisse traçar um paralelo entre todo esse clima de Páscoa ao nosso universo antigomobilista e fiquei pasmo com o que encontrei: Trata-se de um Fusca carinhosamente chamado de "Coelho Móvel" que eu encontrei em um artigo que está nesse link, onde toda a história desse Fusca americano é contada. Na época que o artigo foi publicado, ele inclusive estava a venda.
Recomendo a todos a leitura do artigo pela curiosidade.
Veja: