domingo, 26 de fevereiro de 2017

600 posts! Algumas maneiras de se equalizar uma dupla carburação

No post de ontem eu disse que estava escrevendo uma das publicações que antecedem ao post de número 600. Pois bem, eu nem me toquei que o 600º post sairia no dia seguinte. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todos tem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e que mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui. Tudo o que aparece nesse blog é destinado sempre para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo.
Quem diria que um dia eu estaria escrevendo o post de número 600 por aqui. Nesses cinco anos, o botão "publicar" da plataforma do Blogger já foi clicado 600 vezes sempre para expor por aqui algo sobre carros antigos. Alcançar esse número não é e nunca será um mérito meu, mas sim de todos os amigos seguidores que prestigiam essa página sempre demostrando gostar de tudo o que é postado aqui e me incentivando a continuar com essa página. Por esse motivo é que existem (até então) os 600 posts que integram esse blog. O meu desejo é que esse número sempre venha crescendo a cada dia e que as visitas se multipliquem (atualmente são 164.632 segundo o contador) para que mais pessoas possam curtir o conteúdo. Eu só tenho a agradecer por todos os amigos que curtem, contribuem e compartilham a informação para que este blog seja mais uma das inúmeras ferramentas para difundir a cultura VW a ar.
Para um dia como hoje, eu trago algo um pouco diferente e que, ao meu ver, estava faltando aqui no blog: Falaremos de carburação novamente, mas não de um modelo específico, e sim de um princípio de regulagem que pode ser utilizado em qualquer dupla.
A mecânica VW a ar foi, sem dúvidas, um dos conjuntos mecânicos mais importantes e influentes para o início e a história da nossa indústria automobilística. Ela proporcionou a muitas pessoas o conhecimento em mecânica e também provou para milhões de proprietários a sua durabilidade conjugada à sua simplicidade de operação e manutenção. Com o passar dos anos, o motor boxer VW contou com algumas alterações a fim de melhorar a sua eficiência e/ou até mesmo utilizar de novas tecnologias em relação ao projeto original. Uma das coisas que apareceram como novidades nesse motor e que o fizeram andar bem mais foi a dupla carburação, que apareceu em suas primeiras vezes nas configurações de motor plano (Variant, TL, SP1, SP2 e Karmann Ghia TC). Com o passar dos anos, essa carburação foi ganhando espaço na linha VW a ar até estar em todos os modelos, como nos Fuscas dos anos 80 e Kombis e em toda a era do Fusca Itamar, substituída somente pela injeção eletrônica no finalzinho dos anos 90 onde a Kombi era o único modelo que contava com o motor boxer.
Ainda que a dupla carburação tenha sido um grande upgrade para a mecânica VW a ar, ela também tinha seus contras que, de certa forma, poderiam ser contornados. Um deles era dificuldade na regulagem no seu início, visto que os mecânicos não eram muito familiarizados com o sistema e encontravam algumas barreiras para deixar um motor "redondinho". Desta feita, a dupla acabou tendo uma má fama por parte de muita gente que não tinha êxito na sua regulagem, utilização e manutenção rotineira.
O post de hoje é exatamente para você que tem um VW a ar com dupla carburação ou tem planos de instalar uma, pois nos vídeos que você verá abaixo existem várias maneiras de você equalizar uma dupla carburação e ter um bom desempenho no seu carro. Para quem não sabe, a equalização numa dupla carburação é o procedimento que faz com que os dois carburadores funcionem em um perfeito sincronismo, para que a marcha lenta seja a melhor possível e que a mistura também seja a ideal. A equalização, por via de regra, é feita tomando como parâmetro o fluxo de ar que existe nos coletores de admissão. Quando este for igual e a mistura estiver 100% ajustada, teoricamente a dupla está equalizada. A partir de agora, você verá três maneiras de equalização nos mais diversos níveis de acessibilidade.

Este vídeo vem lá do canal do Luciano Simões, que por sinal eu admiro muito pelos seus vídeos didáticos. Nele, aparece a primeira maneira de equalização desse post, que é por meio dos copos d'água que funciona da seguinte maneira: Você coloca dois copos d'água sobre a capela (conforme o vídeo) com a mesma quantidade. Ao ligar o carro, você vai buscar a marcha lenta ideal de maneira que a oscilação da água dentro do copo seja a menor possível, indicando uma abertura de borboleta e um fluxo de ar no coletor muito próximo entre "um lado e outro". Essa é a maneira mais barata, sem dúvidas, mas funciona bem e cumpre o que se pede desde que você esteja ligado em todos os detalhes.


Esse vídeo vem diretamente do canal do Tonella, que como vocês já sabem eu sou um grande admirador do trabalho dele. Neste vídeo, ele mostra a regulagem do "Fusca Espetacular" (Se você já leu o post sobre a bomba de óleo de circulação externa aqui no blog, deve se lembrar desse Fusca), um Fusca de um cliente dele que de fato é muito bonito. Dentre os serviços prestados, está a regulagem e equalização de uma dupla Solex 40 pelo método da "mangueirinha" que funciona da seguinte maneira: Pega-se uma mangueirinha e se conecta as tomadas de vácuo dos coletores, abaixo dos carburadores. Nessa mangueira, coloca-se um líquido (geralmente se usa fluído de freio, mas não é uma regra) e se faz uma "barriga" com a mangueira na traseira do Fusca, conforme aparece no vídeo. O indicativo de que os carburadores estão equalizados é quando o líquido que estiver na mangueira estiver exatamente no meio do perímetro dela. Se essa explicação estiver confusa, imagine o seguinte: Está acontecendo aquela brincadeira de "cabo de guerra", onde as pessoas pegam uma corda e a puxam para lados opostos. Onde houver a maior força, a corda será puxada. A equalização é a mesma coisa, o lado que o fluído estiver tendendo é onde o carburador está mais acelerado. A ideia é ajustar a marcha lenta de modo que a força entre um carburador e outro seja nula, ou seja, o fluido fique no meio da mangueira.


Com certeza você também riu da miniatura desse vídeo assim como eu. Pois bem, esse vídeo também vem lá do canal do Tonella, da série do Fuskatia, o Fusca de sua esposa. Nesse vídeo, ele mostra a equalização de uma dupla Solex 32 com borboletas de 34mm com o equalizador. Com certeza essa é a maneira mais fácil de equalizar, visto que usa-se uma ferramenta própria que te mostra qual é o fluxo de ar em cada "lado" do motor, facilitando o trabalho. Ainda que o valor de um equalizador seja relativamente alto, é um investimento bem bacana para quem tem um carro com dupla e sempre faz as regulagens e limpezas. O procedimento é o mesmo, porém mais fácil em virtude de ter apenas de igualar os valores entre os carburadores.
Espero que conhecendo todas essas técnicas fique mais fácil para você ajustar a sua dupla.
Obrigado por ler o post até aqui!

7 comentários:

  1. Vídeo bem explicativo e o Fusca azul anda muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As Solex 40 e o comando com maior graduação contribuem muito para o desempenho bacana!

      Excluir
    2. O dono desse Fusca deve ter tirado esse kit de um Puma.

      Excluir
    3. Até onde eu ouvi dizer essa dupla 40 já veio no Fusca quando ele comprou. O Gol BX do Paulo Fernando (que eu já postei vários vídeos por aqui) tem uma dupla dessas com borboletas de 44mm e um comando W110. O carrinho anda muito!

      Excluir
    4. Então, mas normalmente essa Solex 40 era usada nos Pumas do início dos anos 70, quando a fábrica aceitava encomendas de motores mais potentes.

      Excluir
    5. Sim, com certeza essa dupla veio de algum Puma, mas ainda na mão de algum dono anterior...hehehe
      Essas encomendas atendidas pela Puma eram verdadeiras maravilhas.

      Excluir
    6. O Puma é o Karmann são os únicos esportivos que não tem o desempenho de uma Ferrari, mas que são altamente desejados.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!