quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Um pedacinho colorido de um mundo preto e branco

Mas eu não tinha a menor dúvida de que essas fotos viriam parar aqui o quanto antes. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todo dia. os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, fáceis e descomplicados. Dando essa pequena forcinha, você está exercendo uma das melhores formas de prestígio aqui com o blog.
Se nós pararmos para observar o nosso trânsito de hoje, com certeza teremos a oportunidade de ver tudo: Motoristas bons, motoristas ruins, carros de muitas épocas em diversos estados de conservação, pedestres bem e mal educados, enfim. O trânsito de hoje conta com uma enorme diversidade em vários aspectos, porém um deles está, a cada dia, mais monótono: As cores dos carros. O post de hoje pode dar uma breve pincelada nisso.
De alguns dias para cá, eu estou tendo a leve impressão de que os VW a ar estão me perseguindo, dada a frequência que eu estou vendo tantos exemplares interessantes e tendo a oportunidade de fotografar. Quando eu digo exemplares "interessantes", não é necessariamente um carro todo original ou num estado fantástico de conservação, mas sim um antigo que carregue consigo as suas características que demonstrem a sua história, assim como algumas marcas do tempo que os carrinhos possam ter.
Há alguns dias atrás, eu tive a oportunidade de postar aqui os dois Fuscas fotografados pelo meu pai, carros que deram um retorno muito bacana para o blog e geraram um post bacana. Pois bem, no dia 30 de dezembro de 2016 eu passava por esse local e, de longe, notei uma frente que me chamou a atenção. Chegando perto, tratava-se de uma Variant frente alta bege, bem do ladinho do escritório. Ao vê-la, logo saquei o telefone e tirei as rápidas fotos que vocês veem no final desse post. Fazendo a consulta da placa, vi que o nada foi além do que esperava, trata-se de uma Variant 1970, exemplar da metade da produção do modelo frente alta (que eu particularmente acho muito bonito, assim como os outros modelos que compartilham dessa frente).
Este carro em particular tinha placas de uma cidade vizinha e tinha vários detalhes que me chamaram a atenção: Ela ainda tem aquela janela basculante na lateral, algo bem difícil de se ver em uma Variant hoje em dia. Outro detalhe foi a colocação do parachoque do modelo mais novo na dianteira. Possivelmente ao longo desses 46 anos de vida, esse carro deu alguma esbarradinha em alguma coisa e houve a necessidade de troca do parachoque. Em um serviço rápido, provavelmente foi montado o parachoque dos modelos mais novos. A tapeçaria, pelo que vi rapidamente, ainda era original, assim como o painel jacarandá.
Algo bacana é que essas fotos da Variant foram tiradas no mesmo local em que meu pai fotografou os dois Fusquinhas, sendo apenas um pouco para frente. O Fusca verde daquele post passado estava estacionado mais ou menos onde está estacionado um Prisma na primeira foto desse post. Será mais um lugar que está concentrando clássicos, como o cruzamento que já mostrei por aqui?
Depois de passar pelo carro, passo pelo mesmo lugar que já mostrei a vocês em um post recente e adivinhem que carro está lá novamente, no mesmo lugar...Vejam na última foto.
Veja:








5 comentários:

  1. Show essa Variant frente alta e esse quebra-vento do vidro traseiro foi opcional nas Variants até 1972.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já posso lhe adiantar que essa Variant vai aparecer mais vezes por aqui muito em breve...hehehe

      Excluir
  2. Aliás, essas fotos de traseira da Variant me lembraram Cunha, no interior de São Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas fotos foram tiradas próximo ao centro. É uma praça bem tranquila, tanto que já deixei o carro ali várias vezes por todo o dia.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!