segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Conhecendo a bomba de combustível do Fusca com reparo

Hoje é dia de mostrar um tipo de peça que raramente se vê em algum Fusca atualmente, principalmente em carros usuais. Se você já está me dando a honra da visita, não se esqueça de deixar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todo dia. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, muito rápidos e fáceis. Clicando neles você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis.
Toda vez que eu começo a escrever um post que trate de mecânica ou de manutenção automotiva, eu sempre tento achar alguma maneira de criar um paralelo com o que havia antigamente relacionado ao assunto do post com o que temos na manutenção/mecânica automotiva nos dias de hoje. O assunto de hoje é tão interessante que não é tão difícil de intentar fazer esse paralelo, dada tanta informação que o vídeo de hoje traz assim como a internet pode auxiliar nas pesquisas.
Se nós chegássemos à uma oficina nos anos 60, 70, 80 e até mesmo nos anos 90 com um carro antigo e falássemos ao mecânico que o carro está falhando muito provavelmente ele iria sugerir um serviço que era muito comum e mais do que frequente nas oficinas: Uma limpeza de carburador. No entanto, nem sempre somente a limpeza do carburador era capaz de resolver todos os problemas, era necessária uma revisão na bomba de combustível, que antigamente era mecânica em 99% dos carros (isso só para não dizer que era em todos). Naquela época, boa parte das bombas mecânicas ofereciam a possibilidade de reparo, ou seja, se podia desmontar a bomba, trocar vários componentes internos de modo que esta voltasse a funcionar novamente. Muitas vezes as bombas apresentavam problemas por um diafragma furado, ou uma junta que apresentasse algum tipo de vazamento de combustível.
Com o passar dos anos, a indústria de autopeças acabou achando uma alternativa com menor custo para as bombas de combustível mecânicas: Fabricar bombas blindadas, ou seja, se der um defeito, se troca. Nesse período de transição, muitos carros tiveram as suas bombas trocadas, tornando raras às autopeças que tem reparos a disposição para manter um modelo mais antigo. Se a gente der uma passadinha no Mercado Livre, já de volta a 2017, nós veremos que ainda é possível achar reparos a venda, mas não nas bancadas de lojas como nas décadas passadas.
Com a chegada da injeção eletrônica (algo que eu acho simplesmente fantástico e que já está cedendo parte de seu espaço a injeção direta), todas as bombas de combustível que saíam em carros zero se tornaram elétricas e com reguladores de pressão, de modo que esta seja constante e acompanhe o "ritmo" da injeção eletrônica, que é muito mais precisa.
Um exemplo de um Fusca que ainda utiliza uma bomba dessas com reparo é o Fusca 1967 do Carlos, que foi tema do post de número 400 por aqui, além do Fusca do Leandro, autor do vídeo de hoje.
O vídeo que aparece ao final do post veio lá do canal do Leandro Coelho. Quem acessa o blog há mais tempo sabe que eu sou um grande admirador do trabalho e do Fusca 1979 que ele tem. Neste vídeo, ele mostra dois modelos de bomba de combustível com reparo, suas particularidades e também como pode ser feita uma revisão rápida.
Veja:



7 comentários:

  1. Kanduxo, se eu não me engano, foi a própria VW quem substituiu nos Fuscas as bombas de combustível com reparo pelas blindadas no início da década de 80, não sei se foi em 1983, mas sei que nesse ano os Fuscas já tinham as bombas de combustível blindadas, acontece que, infelizmente, essas foram as bombas que ficaram mais comuns no mercado de auto-peças e hoje em dia só se encontram as bombas de combustível blindadas, as com reparo só no ML e a preços extorsivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu cheguei a ver bombas blindadas em alguns 1985, 1986 e após isso nos Itamar...Sinceramente eu não sabia que já em 1983 já era o modelo blindado. O modelo blindado é mais simples para a produção e a troca fica ainda mais simples. as bombas com reparo hoje em dia custam pequenas fortunas, infelizmente.

      Excluir
    2. E o pior é que cobram caro por uma bomba cujo reparo é difícil de achar.

      Excluir
  2. Caro amigo Jordan. Obrigado pela honrosa menção, em seu blog, sobre meu fusca 67. Fico muito feliz. Em breve, outro FUSCA meu, terá essa mesma bomba, com reparo. Eu simplesmente acho incrível, essa volta aos bons tempos. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  3. Caro amigo Jordan. Obrigado pela honrosa menção, em seu blog, sobre meu fusca 67. Fico muito feliz. Em breve, outro FUSCA meu, terá essa mesma bomba, com reparo. Eu simplesmente acho incrível, essa volta aos bons tempos. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. Caro amigo Jordan. Obrigado pela honrosa menção, em seu blog, sobre meu fusca 67. Fico muito feliz. Em breve, outro FUSCA meu, terá essa mesma bomba, com reparo. Eu simplesmente acho incrível, essa volta aos bons tempos. Parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fico muito feliz de poder ter carros como o seu como parâmetro para escrever um post desses. Queremos ver seu Ocre por aqui em breve!

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!