sábado, 31 de dezembro de 2016

FELIZ 2017! Propaganda da linha VW a ar

Com certeza esse post torna-se especial em virtude da data da sua publicação. Se você já está me dando a honra da visita nesse dia tão especial e na véspera do ano novo, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um novo post a cada dia. Os dois botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita. Dando essa pequena força com certeza você estará prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis.
Pois bem, hoje é dia 31 de dezembro de 2016. Hoje se finda um ano que foi um tanto diferente em relação aos demais em muita coisa. Neste ano, muita coisa de ruim aconteceu, muitas dificuldades apareceram e muitas pessoas tiveram de mudar o rumo de suas vidas em virtude de tantos problemas que ocorreram nesses últimos 366 dias (2016 foi bissexto). No entanto, todas as vezes que pudermos olhar com esperança entre as pedras que rolaram esse ano, poderemos enxergar flores nascendo nos espaços que ficaram entre elas. O ano de 2016 foi mais do que positivo para esse blog, e eu só poderia agradecer por isso em um dia tão especial como hoje.
Eu entrei no ano de 2016 com o intuito de postar praticamente todos os dias e tentar trazer um conteúdo muito bacana sempre da melhor maneira possível. Sinceramente eu não sei se consegui fazer isso sempre, mas com certeza a busca pela informação foi incessante para que os resultados obtidos no dia de hoje fossem possíveis. Neste ano, o número de acessos mais do que dobrou (estamos quase nos 150.000 acessos, muito obrigado), e o número de seguidores no Facebook mais do que triplicou. Todo esse crescimento que foi possível nesse ano eu mais que devo aos amigos que sempre caem aqui por meio das redes sociais, pelo Google, pelo "boca a boca" ou até mesmo aqueles que já separaram alguns instantes do seu dia para conferir se há alguma novidade por aqui. Isso é muito gratificante.
Outro agradecimento que faço questão de fazer é com relação a todos os parceiros que ganhei nesse ano. Muitos blogs, canais e pessoas ligadas à mecânica, VW a ar e antigomobilismo de alguma maneira citaram este pequeno blog, assim como compartilharam links, recomendaram positivamente e/ou contribuíram para algum post que tenha sido publicado esse ano. E olha que foram mais de 200.
O vídeo que aparece ao final do post já era do conhecimento, mas por incrível que pareça eu não havia postado aqui ainda. Nessa semana, o meu pai me enviou esta propaganda no Whatsapp e disse que ali estava o meu post de final de ano. Eu sinceramente não sabia o que postar no dia de hoje e aderi a ideia do meu pai. O vídeo é uma propaganda da VW mostrando parte da sua linha oferecida em 1971: O Fuscão 1500, que era novidade em virtude de um motor mais potente e inúmeras alterações em relação aos modelos mais antigos, o Karmann Ghia TC, modelo que já estava em vias de substituir seu antecessor e a TL, que estava ganhando os faróis duplos ao invés dos modelos anteriores.
Quero agradecer mais uma vez a todos que acessam. Voltem SEMPRE!!
Veja:


sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O resultado das rodas BRM em um VW a ar

Com certeza você verá belíssimos carros no post de hoje. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola por aqui, visto que tem um post novo todos os dias. Os dois botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita e, dando essa pequena forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis.
Quando se inicia um projeto em um carro antigo, as dúvidas quanto a o que escolher em matéria de peças são muito constantes. Hoje em dia, felizmente a internet nos ajuda bastante nas pesquisas, dados e até mesmo com relatos de pessoas apresentando as suas experiências com as montagens que fazem. Aqui no blog, de uns tempos pra cá, eu tenho tentado escrever posts mostrando as diversas opções que você pode ter na montagem de um carro antigo (ao seu gosto, logicamente) em várias "partes" dele. Já falamos sobre carburação, escapamento, freios e outras coisas mais. Pois bem, hoje eu quero apresentar um resultado estético de um modelo de rodas muito comum no exterior (e que vem se popularizando no Brasil) nos nossos clássicos VW a ar: As BRM. Este post tem o intuito de que você possa tirar as suas próprias conclusões sobre as rodas ou até mesmo que ele seja o início de uma pesquisa sobre o assunto no Google, por exemplo.
Toda vez que me perguntam sobre rodas no Fusca, eu geralmente digo que gosto e muito das originais, e saibam: Isso não é mentira. Eu penso que as rodas originais combinam muito com o carro, mas se você quer uma estética diferenciada ou até mesmo tem um carro com um pouco mais de "veneno", um jogo de rodas de liga com pneus mais estáveis se faz praticamente obrigatório afim de "completar" todas as modificações feitas no carro.
Se eu fosse escolher entre os diversos modelos de roda de liga para Fusca vendidas aqui e no exterior, com certeza eu iria de BRM. Eu curto muito o desenho dessas rodas em virtude de colocar um pouco de esportividade em um desenho de roda que, a princípio, é bem clássico. Hoje em dia se tem BRM com várias talas (principalmente as aro 15) tanto aro 15 como aro 17, assim como modelos na furação 4x130 (a do Fusca com 4 furos) ou 5x205 (a do Fusca com 5 furos). Para que vocês possam ter uma ideia do resultado nas mais diversas aplicações dessas rodas, eu fiz uma breve pesquisa no Google e selecionei algumas fotos que mostrem as BRM. Nas pouco mais de 20 imagens, aparecem apenas Fuscas, mas eu já vi vários outros VW a ar com essas rodas, como Kombis, Karmann Ghia e a linha Type 3.
Veja:






















quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

O curioso milagre (ou fenômeno) da multiplicação de Fuscas

Sim, o título pode ter ficado um pouco estranho, mas esse "fenômeno" é um tanto difícil de ser compreendido. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola por aqui, visto que todos os dias tem um novo post publicado. os dois cliques de curtir e seguir estão aqui a sua direita e, dando essa pequena força, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis.
No post de hoje eu quero reiterar o quanto é importante o apoio familiar em algum ideal que você tenha na vida. O post de hoje só está sendo escrito em virtude dessas fotos que chegaram no meu Whatsapp há alguns dias. O remetente? Meu pai. Ele resolveu atacar novamente com fotos de Fuscas que ele vê na rua. No entanto, desta vez ele resolveu promover um flagra em dose dupla, trazendo dois clássicos de uma única vez.
Se você é alguém que gosta de automóveis, com certeza deve ter essa mesma mania que eu: Ao passar em algum lugar e ver o mesmo carro com frequência (principalmente se este for do nosso agrado ou algo bem diferente), este automóvel fica em nossa memória e chegamos até a estranhar se passarmos nesse local e não notarmos o carro ali. Pois bem, eu me lembro de ter visto os dois Fuscas que aparecem nas fotos de hoje, inclusive no mesmo local onde as fotos foram tiradas, porém, nunca estacionados simultaneamente.
As fotos que aparecem ao final do post, como disse antes, foram tiradas pelo meu pai, um dos maiores colaboradores aqui do blog. Elas foram tiradas no meio de um trajeto que ele faz com muita frequência. Ao ver os dois carros, ele não pensou duas vezes e tirou as fotos. De posse das placas (com as fotos originais e sem edição nas mãos), fiz a consulta no SINESP visto que Fusca geralmente é uma "caixinha de surpresas" quando se trata da relação aparência x ano. O Fusca branco, que aparece na frente, é 1975 e conserva toda a identidade de um Fusca "comportado" dos anos 70: Lanternas sem luz de ré, um interior muito simples com apenas os comandos necessários e com um detalhe muito bacana: Ele é um exemplar do primeiro ano que o 1300 STD ganhou rodas de quatro furos, assim como o 1500 e o 1300L. Já o verde é um carro de muita personalidade, cheio de detalhes que o tornam um Fusca mais do que diferente no melhor sentido da palavra. O que mais me surpreendeu nesse verde foi seu ano: O documento apresenta-o como um 1969. Com certeza a carroceria desse besouro (assim como diversos outros detalhes) foi trocada de modo que este pareça um exemplar dos anos 70.
É sempre muito bacana ver carros desse na ativa, servindo seus donos da melhor maneira e proporcionando, todos os dias, um grande divertimento ao se guiar.
O post de hoje prova mais uma vez que carros antigos se atraem, pois não é possível: Toda vez que se vê um Fusca, sempre há outro por perto. Aí está um fenômeno que precisa ser estudado.
Quero agradecer mais uma vez ao meu pai pela contribuição de antes, de hoje e de SEMPRE!!
Veja:







quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Uma Kombi Clipper espetacular!

No post de hoje vocês verão um carro muito bonito e, acima de tudo, com muita história ser contada, mantida e reconhecida. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que tem post novo todos os dias. Os dois botões de seguir e curtir estão aqui a sua direita. Tudo muito rápido e fácil.
Quando alguém que gosta de carros é proprietário de algum veículo, este alguém está sempre preocupado com o estado do carro, da maneira com que é cuidado, é uma pessoa precavida no seu uso e acaba tendo uma relação muito próxima entre homem e máquina. Se este automóvel é um carro novo, geralmente a busca é de manter o carro o mais atual possível, utilizando (e instalando as inovações) de toda a tecnologia que a máquina pode proporcionar. Em virtude de muitas vezes esse carro ter uma idade curta, dificilmente este vai colecionar diversas histórias bacanas à bordo. Um carro clássico, quando na mão de um entusiasta ou até mesmo sob os cuidados de alguém que tenha algum tipo de admiração geralmente consegue demonstrar ou até mesmo permitir que seu dono conte muitas histórias que ocorreram durante seus tantos anos de vida. O carro que aparece ao final desse post é a prova viva disso, que carros clássicos são capazes de conservar inúmeras histórias que são, geralmente, muito gostosas de se ouvir.
Esta belíssima Kombi 1976 que aparece ao final do vídeo pertencia ao Andrew Bergamo, que também o postou no Youtube. Esta Kombi que é do modelo de luxo e do início da produção das Kombis Clipper (modelo sucessor às "Corujinhas", que eu simplesmente adoro) pertenceu ao seu avô e se manteve na família por muitos anos. Após esse tempo, este clássico foi vendido demandando de uma restauração, o que foi feito pelo atual proprietário. Depois desta linda Kombi restaurada (e com um resultado excepcional), seu proprietário atual levou o carro até o Andrew para mostrar o resultado.
Veja:


terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Se liga aí que é hora da revisão!

Se você que está lendo esse post agora já assistiu a algum Telecurso, com certeza deve ter se lembrado dele no título desse post. Pois bem, o post de hoje não traz um vídeo do Telecurso não, mas com certeza mostra a hora da revisão. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que há um post novo a cada dia. Os cliques de curtir e seguir estão aqui a sua direita.
Quem realmente gosta e/ou se preocupa com o carro que tem sempre está ligado na questão da manutenção de seu veículo. Além de sempre fazer as revisões preventivas como manda o figurino, a pessoa que se preocupa está sempre muito ligada nos barulhos e no comportamento que o carro apresenta, buscando atestar se está realmente tudo certo. Para quem tira carros zero quilômetro, em diversas montadoras as revisões nas concessionárias se fazem praticamente obrigatórias, onde se tem (ou pelo menos se espera) uma mão de obra qualificada para a manutenção do veículo em questão. Já para quem tem carros usados que já passaram do período de garantia da montadora, geralmente busca oficinas de confiança para que as manutenções sejam feitas, independente se esta é preventiva, preditiva ou corretiva.
Mas, como funcionava esse ramo da manutenção antigamente ou, pelo menos há 30 anos atrás?
Pois bem, a partir dos anos 50, onde o número de automóveis cresceu muito no Brasil, muitos profissionais da época migraram para a área mecânica, afim de fazer as manutenções que os carros demandassem. O Fusca foi com certeza um dos primeiros contatos de muitos profissionais com a mecânica, dada a sua simplicidade de manutenção. No entanto, além das oficinas que se tinha na rua, a VW também oferecia o seu serviço de oficina, como o de hoje nas concessionárias. A foto que aparece ao final do post foi encontrada por mim esses dias atrás "perdida" no Google, onde aparecem alguns VW a ar ainda quando novos tendo as suas revisões feitas.
Veja:


segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

O clique no momento certo

Se você realmente gosta de carros, possivelmente você já passou por um momento bem parecido com esse que relato para vocês hoje. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também, desta maneira você fica sabendo de tudo o que rola por aqui, visto que sempre se tem um novo post a cada dia. Os dois botões para curtir e seguir estão aqui a sua direita.
A cada dia que passa todos nós acabamos tendo um pouco mais de certeza com algo que acontece na vida da gente, no entanto, muitas vezes aparecem dúvidas em nossa cabeça que também tornam-se maiores a cada dia que passa. Hoje em dia eu não sei mais qual tipo de post é mais prazeroso fazer, se é mostrar o carro de alguém, apresentar uma contribuição, trazer uma foto antiga, algum post sobre mecânica ou qualquer outro. Todo o tipo de contribuição que esse blog recebe é simplesmente muito especial, tornando cada post sempre muito importante em virtude de sempre haver alguém nos "bastidores".
As duas fotos que aparecem ao final do post nos foram enviadas por alguém que já nos é um velho conhecido aqui no blog: O Josiel. O Josiel, há algum tempo atrás, me permitiu que fosse feito um post do seu Fusca 1968 bege, que fez bastante sucesso por aqui. Após um tempo, eu tive a oportunidade de ver o carro dele pessoalmente e de fato é um exemplar muito íntegro e dotado de uma grande personalidade. Há alguns dias, o Josiel me enviou essas fotos e, por mais que eu tive imaginado que fossem, não são do seu belo Fusquinha. Ele viu esse Fusca passando próximo a sua casa e, em virtude de ser muito parecido com o seu carro, o fotografou e mandou para mim, também permitindo que eu postasse assim que possível.
Com certeza essa foto foi tirada no momento certo, onde dá para se ver bem o Fusca entre os demais carros no trânsito. Quero agradecer mais uma vez ao Josiel pela contribuição!
Veja:



domingo, 25 de dezembro de 2016

Um Karmann Ghia espetacular!

Com certeza agora é a hora de você terminar a sua janta do dia de natal e vir aqui apreciar um belíssimo VW a ar que abrilhanta o blog no dia de hoje. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também, desta maneira você fica sabendo de tudo o que rola por aqui, visto que se tem posts novos todos os dias. É tudo rápido, fácil e descomplicado: Os dois botões para seguir e curtir estão aqui a sua direita.
Por algumas vezes no passado, eu tive a oportunidade de mostrar para vocês alguns esportivos VW a ar. Em alguns encontros, eu já pude fotografar algumas Pumas muito simpáticas, um SP2 e em pouquíssimas vezes, alguns Karmann Ghia, sejam eles dos modelos mais antigos como o TC. Hoje é dia de mostrar um exemplar desse modelo tão importante para o antigomobilismo brasileiro em um estado ímpar.
Se você realmente gosta e/ou aprecia carros antigos e VW a ar, com certeza deve admirar muito o projeto desenvolvido por Ferdinand Porsche. Quando eu escrevo isso, não é exatamente (e somente) por este projeto ter gerado um dos carros mais amados do mundo, mas sim pela criação de uma plataforma que foi capaz de "receber" carros nas mais diversas propostas.
O projeto do Dr. Porsche, com o passar dos anos, conseguiu ir muito além de atender somente aos Fuscas, isso se deu no momento em que apareceu, primeiramente, a Kombi e depois inúmeros derivados. Tivemos utilitários (a Kombi), carros populares (Fusca, Brasília), carros que atendessem famílias maiores (como Variant, TL, "Zé do Caixão") e até mesmo carros esportivos, como o Karmann Ghia, TC e SP2, além daqueles que não eram fabricados pela VW e utilizavam a mesma mecânica, como Puma, MP Lafer, Gurgel e tantos outros.
O vídeo que aparece ao final do post foi postado há um bom tempo pelo Bellote, que com certeza vocês conhecem. O Bellote é um Youtuber que mostra belíssimos carros juntamente com seus dados técnicos, um bate papo sadio e uma volta bacana. Há alguns anos, eu o vi no carro ao lado do meu na Rodovia Castello Branco, onde ele passeava com um belíssimo Porsche que eu pude admirar por alguns instantes. O carro mostrado no vídeo é um Karmann Ghia 1962, modelo que é considerado um dos VW a ar mais bonitos, dado seu desenho refinado e tantos detalhes que o tornam um esportivo único.
Como esse exemplar ainda é do início da produção do modelo, ele ainda conserva o comportado motor 1200 (que eu já disse algumas vezes aqui que gosto bastante) e algumas outras características.
Ainda que com um motor pequeno, o desempenho dele é bem interessante em virtude da potência. Em um trecho do vídeo, ele dá até uma leve saidinha de traseira.
Veja:


sábado, 24 de dezembro de 2016

FELIZ NATAL! Como foi o seu 2016?

Esse post de hoje não deixa de ser especial, visto que para esse humilde blog o ano de 2016 foi muito produtivo. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana (aliás, hoje é um like natalino) na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que tem post novo todos os dias (até no natal!). É tudo rápido, fácil e descomplicado: Os dois cliques estão aqui a sua direita.
Pois bem, hoje é dia 24 de dezembro de 2016, a véspera do natal. É sinal de que mais um ano está chegando ao seu final e que estamos ganhando uma nova chance de nos tornarmos pessoas melhores. Eu estou escrevendo esse post hoje exatamente para que nós possamos parar um pouquinho para pensar nesse dia tão especial e fazer desse pequeno tempo um momento de reflexão sobre o nosso ano.
A gente sabe que de muitos anos pra cá esta data do natal tornou-se totalmente comercial. Todos pensam na quantidade de presentes dados, nos enfeites, na ceia, nas festas, nas farras, mas se esquecem do real espírito dessa data, que consiste no amor, no perdão, no carinho, na proximidade, no "fazer o bem" e tantas outras coisas boas. Que neste natal nós possamos prometer (e cumprir!) a nós mesmos que iremos buscar o caminho da melhoria de nossas personalidades. Acredito eu que a virada do ano seja muito tarde para fazermos isso.
Esse blog, como vocês sabem, trata sobre VW a ar e carros antigos. Então, vamos tentar mesclar os temas nesse post tão especial. Com certeza o meu maior presente de natal desse ano foi o crescimento desse blog. Foram praticamente 70.000 visitas nesse ano e mais de 1.000 curtidas na página do Facebook,  além de muitas parcerias produtivas que foram validadas no ano de 2016. Ainda que este ano não tenha sido dos melhores para nosso país, para o mundo e para muita gente, o universo dos carros clássicos fecha este ano com muitos trabalhos feitos por diversos veículos de comunicação desenvolvidos com muita maestria.
Para quem quer a visita do bom velhinho em casa, que coloque a calotinha do seu Fusca ou derivado na janela que presentes virão.
Conto com vocês no próximo ano como prestígio desses simples posts que escrevo aqui todos os dias. Muito obrigado!


sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

O tradicional "assobio" do escapamento original do Fusca

Antes de começar a ler esse post, prepare-se para ouvir belíssimos roncos de motores VW a ar, com certeza é um mais bonito que o outro. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que tem post novo todos os dias.Com certeza essa é uma das melhores maneiras de você prestigiar o blog juntamente com a sua visita, que é sempre muito importante.
É sempre muito gostoso escrever algum post que englobe mecânica aqui. Todas as vezes que consigo postar alguma coisa bacana que seja voltada a manutenção, modificações, tutoriais e outras coisas do gênero, sempre o faço. A vantagem da mecânica VW a ar é que ela nos permite fazer várias modificações, serviços e outras "artes" que deixam o funcionamento e desempenho do motor ao nosso gosto. O post de hoje trata, mais uma vez, sobre escapamentos, mas dessa vez não é exatamente sobre um escapamento em si, mas sim sobre um acessório para os escapamentos: As ponteiras.
Já faz algum tempo que eu venho escrevendo algo sobre escapamentos. O primeiro post que eu fiz foi sobre o escapamento de inox EMPI GT, onde eu trouxe um vídeo de instalação do conjunto assim como o seu resultado. Após isso, escrevi sobre o escapamento 4x2, o "Capetinha", onde tinha um comparativo entre os modelos e os roncos que poderiam ser obtidos. Algum tempo depois, escrevi um que tratava sobre o escapamento do Puma, exatamente com a mesma pegada, que mostrava o resultado do escapamento em várias configurações diferentes.
Em todos esses posts, muito provavelmente eu disse que gosto do escapamentos dimensionados e tudo mais, mas a minha paixão é realmente pelo escapamento original do Fusca, principalmente pelo ronco que ele gera. É sabido por mim e por boa parte das pessoas que o escapamento original do Fusca é bastante restritivo, ou seja, seu carro pode andar muito melhor com qualquer escapamento dimensionado. No entanto, o ronco do escapamento original me encanta, principalmente com as ponteiras finas que trazem aquele "assobio" ao se acelerar. Nesse post, eu quero mostrar para vocês o resultado das ponteiras finas (muito similares às originais) no escapamento original do Fusca, o que gera o assobio.
O "assobio" é provocado pelas ponteiras de escapamento. O escapamento com abafador trata de diminuir o volume do barulho do motor assim como restringir parte dos gases resultantes da queima do combustível. Procurando na internet, eu achei algumas ponteiras que são voltadas para fazer esse assobio, bem fininhas como as originais de época. Pelo que vi, elas são fabricadas pela Aman, mas eu acredito que outras empresas também as fabriquem. Inclusive eu vi essas ponteiras a venda no Mercado Livre nas configurações de ponteiras longas ou curtas.
Para que você tenha um ronco como esse no seu Fusquinha, basta ter o motor bem regulado, um escapamento originais e ponteiras equivalentes a essas que aparecem nos vídeos que estão ao final do post. Eu particularmente sou um apaixonado por esse ronco e seria capaz de assistir esses vídeo inúmeras vezes.
Veja:









quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Fusca charmoso do Leandro: Aqui está ele de novo

Se preparem pois hoje mais uma vez vai aparecer um belíssimo carro que eu já pude postar outra vez, no entanto, cheio de novidades e ainda mais requinte. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like básico na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que tem um post novo a cada dia. Os dois cliques de seguir e de curtir estão aqui a sua direita e, com seu like, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras de fazê-lo.
É sempre muito gratificante postar o carro de alguém aqui. Todas as vezes que eu posso convidar alguém para ter seu carro exibido aqui ou alguém me contata com o desejo de que eu poste seu carro, eu sempre fico muito feliz. É muito bacana conhecer pessoas e carros com histórias tão bacanas, diferentes e sempre muito interessantes. Aqui já apareceram carros muito originais, carros em fase de restauro, carros muito modificados, Ratlooks, além de carros que contavam com inúmeras peculiaridades. Dentre todos esses, eu também pude postar há algum tempo um Fusca 1968 diferente, requintado e muito, mas muito bonito. Esse carro é o Fusca 1968 do Leandro. Naquela ocasião, eu contei um pouco da história do carro e também das modificações que ele tem.
Esses dias atrás, o Leandro me contatou novamente me enviando essas maravilhosas fotos que aparecem ao final do post. Ele fez alguns serviços e modificações no interior de seu Fusca, tornando-o ainda mais bonito com a forração interna vermelha (lembra muito o vermelho turim) combinada a um tom marcante de preto na pintura externa. No instante do contato, eu prometi ao Leandro que postaria as fotos assim que possível no cronograma de posts que entram aqui, e é exatamente o que estou fazendo. Com certeza esse é um dos carros mais bonitos que apareceram no blog, principalmente em virtude de ser um carro modificado mas com todo o ar clássico que um antigo pode ter.
Além disso, ainda há uma foto do Fusca na porta de uma concessionária Volkswagen, onde o clássico esbanjava beleza bem próximo dos modelos atuais.
Veja:










Quero agradecer ao Leandro por enviar as fotos!
Quer ver seu carro aqui no blog? Me mande um e-mail.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Propaganda do Karmann Ghia

Com certeza eu seria capaz de ficar assistindo essas propagandas por horas e horas, somente admirando os carros e aproveitando o "passeio no passado". Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que tem post novo todos os dias. Os cliques são rápidos, fáceis e estão todos aqui, a sua direita.
Há alguns dias atrás eu escrevi no post que mostra aquele Fusca Itamar maravilhoso que existem alguns carros que raramente aparecem por aqui. Pois bem, aquele post infelizmente não vai tornar aquele modelo e alguns outros comuns no blog, pelo menos por esses dias. O carro a ser mostrado hoje (ainda que por meio de uma propaganda) também é bem difícil de aparecer por aqui, mas eu sou um grande admirador de todo o projeto.
Nesse tempo que o blog existe, eu já tive a oportunidade de postar diversas propagandas de carros, acessórios ou de qualquer outra coisa ligada à VW a ar. No entanto, essa talvez seja a primeira vez que estou postando a propaganda de um Karmann Ghia. O Karmann Ghia foi um dos primeiros esportivos nacionais que tivemos por aqui. Com a sua produção iniciada no começo dos anos 60, esse carrinho foi o sonho de muita gente que buscava esportividade. A princípio, o Karmann Ghia tinha o comportado motor 1200 de 36 cavalos (aliás, é bem raro achar um exemplar 1200 por aí), mas com o passar dos anos, a cilindrada foi subindo até chegar no motor 1600 nos anos 70. O Karmann Ghia foi produzido até 1972, quando fui substituído por seu sucessor, o Karmann Ghia TC, que aliás já apareceu algumas vezes por aqui.
A propaganda que aparece ao final do post é muito provavelmente da época do lançamento do Karmann Ghia, ou seja, do início dos anos 60. Os pouco mais de 30 segundos mostram o carro de uma maneira objetiva, mas suficiente para conquistar todos aqueles que queriam a confiabilidade do Fusca com uma outra "cara".
Veja:




terça-feira, 20 de dezembro de 2016

5 anos de blog! Uma Kombi, duas mulheres e muitas paisagens

Pois bem, chegou um dia muito especial na história desse blog. Sinceramente, nem eu imaginava que poderíamos chegar até aqui. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que tem post novo todos os dias. Com certeza essa é uma das melhores maneiras de você prestigiar o blog. Os dois cliques estão aqui a sua direita.
Hoje é dia 20 de dezembro de 2016. Nessa data, há exatos cinco anos, eu estava criando esse blog com o propósito de falar sobre VW a ar e antigomobilismo e, quando possível, fazer a fusão desse assunto com uma boa música. No decorrer desse tempo, tive o prazer de escrever mais de 500 posts (e que venham mais 500, mais 1000, mais 10000, quantos eu puder) que, de alguma maneira, pôde chegar aos olhos de vocês. Nesses cinco anos, o blog ficou parado e, admito, até um pouco abandonado por pelo menos metade desse tempo, até o momento que eu me vi na necessidade de voltar a postar e de estar mais próximo desse universo tão bacana que é o dos automóveis. Há mais ou menos um ano é que voltei a postar com mais frequência, e para minha surpresa o retorno para com os posts cresceu de uma maneira que eu também não imaginava. Naquela ocasião que "reativei" o blog, nosso contador de visitas marcava 69.000 acessos. Hoje, estamos bem próximos aos 150.000, ou seja, em um ano o número mais do que dobrou. É claro, eu serei eternamente grato a todos que acessam, que seguem, que deixam o like, que compartilham, que mandam contribuições e que de alguma maneira tem alguma ligação positiva com esse blog. Sem vocês, esta página não estaria aniversariando hoje.
Durante cinco anos, esse blog me ajudou a rodar por muitos quilômetros na estrada do conhecimento em mecânica, carros antigos e também na estrada das amizades. Para que esse dia pudesse ter um post à altura, trago a história de duas mulheres que estão na estrada à bordo de um VW a ar.
Essa matéria que aparece ao final do post foi publicada há alguns dias atrás na Folha de São Paulo (cuja fonte, como de costume, está ao final desse post) e eu "a guardei" para hoje. Quem me enviou o link dela pelo Skype foi o meu pai, que como digo sempre, é uma das pessoas que mais contribuem com esse blog. Ingrid e Huened são duas moças que estão viajando até o México de Kombi. Elas estão há oito meses na estrada e durante esses milhares de quilômetros já rodados já tiveram a oportunidade de conhecer muitas pessoas interessantes e coisas diferentes. Eu já cheguei a postar aqui vários viajantes de Kombi e, com certeza já está mais do que provado que esse tipo de aventura é muito bacana, mas duas mulheres certamente é a primeira vez.
A matéria é muito bacana. Ela começa com a descrição e ao final vão as fotos com as respectivas legendas.
Veja:

Há 8 meses na estrada, irmãs viajam em Kombi rumo ao México

Por Carolina Muniz - 12/12/2016 as 16:14.

Duas irmãs, uma Kombi e milhares de quilômetros pela frente. Há quase oito meses, Ingrid, 30, e Huened Coelho, 24, deixaram Curitiba e partiram para a viagem dos seus sonhos, rumo ao México.
"O que nos motivou foi o desejo de ver o mundo com os próprios olhos. Nosso anseio não era de um pequeno passeio de férias, mas de uma experiência única, baseada em vivência, apropriação de culturas, autoconhecimento, quebra de preconceitos e de medos", conta Ingrid.
A bordo de Lucy, uma Kombi Clipper 1996, já percorreram o litoral paulista, Paraty (RJ) e cidades mineiras, como Ouro Preto, Passa Quatro e São Thomé das Letras. Há dois meses, estão em Belo Horizonte para refazer o caixa e, assim, dar continuidade à viagem.
O dinheiro que juntaram nos dez meses que antecederam a saída de Curitiba, onde moravam, serviu para comprar e adaptar a Kombi –o que custou cerca de R$ 11 mil. Com o que restou, conseguiram viajar por seis meses, a um gasto mensal de R$ 800 cada uma.
Por onde passam, pegam no batente: vendem doces e trabalham como garçonetes em festas, bares e restaurantes. "Também já fizemos faxina. Não temos muita frescura com relação a isso", diz Huened.

LUCY NA ESTRADA
No início, Lucy não estava nos planos das irmãs Coelho. Primeiro, elas pensavam em sair apenas com as mochilas nas costas. Depois, cogitaram usar duas motos.
"Estudamos vários meios de gastar o menos possível", afirma Ingrid. "No fim, optamos pela Kombi, por ser um carro barato, de fácil manutenção, e, o melhor de tudo, funcionar como uma 'casa'."
Lucy –uma homenagem à música "Lucy in the Sky With Diamonds", dos Beatles– tem banco que vira cama de casal, cortinas estampadas, guardadores nas portas e bagageiro com escada. Carrega ainda mesa portátil, fogareiro a álcool, utensílios de cozinha e barraca de acampar.
"Gostaríamos de ter outras adaptações que facilitariam nossa vida na estrada, mas, como nosso orçamento é enxuto, o desapego foi maior, e optamos pelo estritamente básico", conta Ingrid.
Na maioria dos lugares, as duas dormem dentro da Kombi – só de vez em quando fazem "couchsurfing" (hospedam-se na casa de moradores locais). Para tomar banho, usam postos de gasolinas e casas de amigos que fazem pelo caminho. Quando não há outra opção, tomam um "banho de gato" mesmo, com baldes, panos e lenços umedecidos.
Preocupadas com a segurança, procuram estacionar perto de postos policiais ou locais que sejam monitorados por câmeras. Nem sempre funciona. Em Belo Horizonte, foram assaltadas e, em Paraty e São Thomé das Letras, sofreram tentativas de roubo.
Mesmo assim, não pensam em desistir. "Já sabemos que estamos sujeitas a isso a qualquer momento da viagem, mas nos serviu de experiência pra tentarmos nos precaver mais", diz Huened.

MACHISMO
Segundo elas, o fato de serem mulheres, ao mesmo tempo, ajuda e atrapalha a seguirem na estrada. "A sociedade nos coloca como mais frágeis, o que faz com que as pessoas queiram nos proteger e ajudar", conta Huened.
"Também passamos por situações de machismo e assédio. Temos que ouvir ironias e piadinhas sobre mecânica, direção e até mesmo em relação à nossa vida sexual na viagem."
Com a experiência própria, Ingrid e Huened querem mostrar que não existe sexo frágil. Para relatar suas histórias, criaram uma página no Facebook, que conta com mais de 16 mil curtidas.
Depois de Belo Horizonte, as irmãs pretendem ir para Diamantina (MG), costear todo o litoral do Nordeste até São Luís do Maranhão, cruzar o Amazonas e sair do país pelo Acre. A ideia é passar ainda por Peru, Equador e Colômbia e atravessar o canal do Panamá para percorrer a América Central até a Cidade do México –não quiseram ir adiante para evitar a burocracia de entrada nos Estados Unidos.
Não há um tempo limite para a conclusão da viagem, mas elas esperam chegar à capital mexicana em dois anos. A volta ainda não foi traçada.
"Existem vários motivos pelos quais as pessoas têm esse sonho, mas não o realizam. Para quem quer viajar com pouca grana, é preciso desapego, coragem e muita vontade. Medos, todos temos, inclusive nós", afirma Ingrid. 

Ingrid e Huened na trilha para a Pedra da Mina, em Passa Quatro (MG).

Lucy, a Kombi de Ingrid e Huened, na praia do Pontal, em Paraty (RJ).

Jantar em frente à Kombi em Passa Quatro (MG).

Huened na saída de São Thomé das Letras (MG).

Chachoeira das Borboletas, em São Thomé das Letras (MG).

Cama montada dentro da Lucy, Kombi de Ingrid e Huened.

Vista de cima da praia do Bonete, em Ilhabela (SP).

Ingrid e Huened vendendo cookies em Paraty (RJ).

Huened e Ingrid na serra da Mantiqueira (MG).

Ingrid e Huened dentro da Lucy em um posto de gasolina em Cunha (SP).

Fonte: Clique aqui!