quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Colocando faixas brancas nos pneus de Fusca e de outros antigos

Existem vídeos e passagens na nossa vida que nos mostram que ainda existem muitos profissionais "das antigas". O vídeo de hoje é um deles.
Muitas vezes quando se fala de carro antigo par alguém, as pessoas já imaginam inúmeros modelos, cheios de cromados e com componentes não mais vistos em carros atuais. Mas, o que define um carro como antigo? Quais são os fatores e detalhes na aparência que o caracterizam como tal?
Sim, é uma pergunta difícil. Acredito eu que o que caracterize um veículo como antigo é a sua idade. Quando um carro já tem uma "bagagem" consigo, é automaticamente transformado em uma máquina do tempo, como se aquele conjunto de peças ocupasse um espaço da nossa terra onde o tempo não passou. Isso é, sem dúvidas, muito gostoso.
Agora, respondendo na questão estética, muitos acessórios tornaram-se tão comuns que já ficaram muito característicos de carros antigos. Alguns deles existem "desde sempre", desde a época em que as joias eram novas, outros se tornaram tendências com o tempo.
Um dos acessórios mais colocados em antigos e que já apareceu diversas vezes aqui em fotos de carros de amigos são as faixas brancas nos pneu. Esse acessório instalado na parte externa do pneu sempre foi muito popular desde a época em que os Fuscas e muitos outros modelos eram produzidos. Eu particularmente acho muito bonitas aquelas faixas bem fininhas que não ficam "encostadas" ou presas na roda. Mas o modelo que aparece no vídeo tem muita tradição e claro, tem seu charme.
O vídeo que aparece ao final do post vem de um nosso velho conhecido: O Lenin Chaveiro, lá do Youtube. Este senhor a cada dia se supera nos seus vídeos recheados de muito conhecimento e principalmente simplicidade. Neste vídeo ele ensina a aplicar as faixas nos pneus do seu clássico.
Fica aqui mais uma vez a minha indicação para que vocês, meus amigos, se inscrevam no canal dele.
Veja:

 

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Fusca 1978 do Omar: De pai para filho

Esse é o tipo de post que sempre nos lembra que existem muitas histórias de família e de amizades envolvendo Fuscas. A história de hoje mostra, por mais uma vez, a capacidade que um carro antigo tem de aproximar as pessoas.
Como vocês sabem, toda vez que eu vejo um Fusca e tenho a oportunidade de abordar o dono para fotografá-lo e postar aqui, eu o faço. Dos diversos carros que já fotografei e também das muitas pessoas que já conversei, boa parte delas fala sempre que está há muitos anos com o Fusca, ou que era de algum parente, amigo, vizinho ou alguém próximo. Hoje não é diferente.
O belíssimo (e, diga-se de passagem, esse carro me agradou bastante) Fusca 1978 que aparece nas fotos ao final do post pertence ao Omar Gecler. Há algumas semanas atrás eu havia visto uma foto do carro dele em um grupo do Facebook que trata sobre VW a ar. Ao ver o potencial do carrinho, contatei o Omar e ele não hesitou em aceitar o convite para que eu pudesse postar o seu Fusca.
Esse Fusca 1978 Bege Ipanema tem mais história do que vocês podem imaginar e eu, particularmente, curto pra caramba isso. Este carro foi adquirido em 1998 pelo pai do Omar por uma necessidade um tanto especial, que era a de poder transportar o seu filho, na época um bebê, de um lado para outro. Na busca de um automóvel que atendesse todas as necessidades e que também coubesse no bolso, este Fusca foi o escolhido em virtude de uma indicação de sua tia, que um dia tinha visto esse Fusquinha a venda.
Os anos se passaram e o amor da família pelo Fusca cresceu da mesma maneira que Omar. Nesse tempo todo, esse Fusquinha encarou difíceis estradas de terra, nas mais diversas condições climáticas. A cada desafio, o carrinho se superava e sempre atendeu seu dono como ele pretendia. Anos depois, o Omar precisou fazer uma cirurgia e em virtude desse triste fato a situação financeira ficou complicada. Naquela época quase que o Fusca foi vendido, mas como o destino reservava algo muito diferente para o Omar e o Fusquinha que até então era de seu pai, o carro permaneceu com a família.
Esse Fusquinha tem muito valor sentimental para o Omar. Ao sentar no banco do motorista desse carro é possível relembrar quando aprendeu a dirigir (e claro, foi nesse Fusquinha), relembrar a infância e até mesmo as dificuldades que circundaram o carro por algumas vezes. Por esse motivo, ele recebeu o mais justo e feliz presente possível quando completou os seus 18 anos: O Fusca.
Desde então, Omar veio trabalhando na restauração do carro e chegou no resultado que aparece nas fotos. A partir de agora, é só curtir o clássico.
As primeiras fotos que aparecem no post são de antes da restauração. Elas evidenciam todas (ou quase todas) as características de um Fusca de uso, montado e focado na objetividade. Com o Omar, o carro foi restaurado e ganhou vários acessórios, o deixando com todo o típico visual dos anos 70.
Depois das fotos do antes, vem as imagens do carro pronto.
Esse Fusca me lembrou bastante o exemplar do Sr. Laurentino, do post onde mostrei as fotos do Joãozinho Marcelo no banco do motorista do Fusca do avô. O carro é, coincidentemente, da mesma cor e ano que esse.
Preparem os babadores e protejam os teclados, pois tem carro bonito chegando!
















 Quero agradecer ao Omar por ceder as fotos!
Quer ver seu carro aqui no blog? Me mande um e-mail.
E antes de acabar o post: Muito obrigado a todos pelas 1.000 curtidas no Facebook! Sem vocês nada disso seria possível!

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Fusca com "rabo de peixe", você já viu?

Esse é o tipo de post que nos coloca para pensar bastante e, se o assunto interessar, nos dá um ótimo tema para pesquisas.
Nas décadas em que o Fusca foi fabricado no Brasil, apareceram muitos acessórios no mercado paralelo para os Fusquinhas e os seus derivados. Muitos deles são comuns até hoje, e até mesmo fáceis de serem encontrados por aí. No entanto, outros simplesmente apareceram por um pequeno espaço de tempo e já sumiram das prateleiras das autopeças e lojas de acessórios. O acessório que trago de uma maneira muito simples e até subjetiva é um exemplo desses. Eu mesmo nunca vi fotos efetivas de um Fusquinha usando tal acessório.
Quando se fala em "rabo de peixe" nos carros clássicos, com certeza a primeira visão que se tem são os Cadillac, que em diversos modelos no século passado tiveram tal característica no design. Essa tendência foi seguida por outros carros grandes americanos (aliás, os americanos adoram rabo de peixe) e até aqui no Brasil ela teve um pouco de espaço, um exemplo disso são os Simca Chambord, que tinham também rabo de peixe, ainda que muito menor que os percursores dessas linhas.
Mas, rabo de peixe em Fusca, você já viu?
Eu, sinceramente não. Em um dos livros sobre automóveis que tenho aqui, é mostrada uma foto de um Fusca com rabo de peixe na traseira, mas eu nunca vi um Fusca pessoalmente com isso ou até mesmo por foto aqui no Brasil (talvez, nem lá fora). Depois de muitas pesquisas sobre o assunto após achar essa foto que aparece ao final do post Googlando, descobri que nos anos 50 a Metalúrgica Neusa fabricava um kit de rabo de peixe para o Fusca. Talvez ainda exista por aí algum exemplar com esse acessório.
Ao invés de dizer se é feio ou bonito, é melhor dizer que é diferente...hehehe
Veja:

 

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Uma coleção de miniaturas para todos os gostos!

Sim, o horário comum que eu posto todos os dias já passou. Mas é claro que eu deixaria um conteúdo para vocês hoje.
Nos últimos dias alguns temas aqui no blog apareceram em uma relativa grande frequência. Um deles foi o assunto das miniaturas, que nas duas ocasiões em que tive a oportunidade de falar sobre, disse que sou um grande apaixonado por aeromodelismo e quaisquer tipos de miniaturas. Tudo isso me traz ótimas lembranças da minha infância e isso sem dúvidas é muito saudável.
As fotos que aparecem ao final do post são de uma coleção particular de miniaturas. Nelas, aparecem muitas miniaturas de Fuscas e também de outros modelos, nas mais diversas cores e escalas. O proprietário dessas pequenas joias já é nosso velho conhecido, e é nada mais nada menos que o dono da Marieta, o Wagner. Sim, o Wagner dono da Puma conversível também.
O Wagner me enviou essas fotos dias atrás, quando eu escrevi o post sobre os carrinhos "Bate Volta", da Estrela, modelos que fizeram muito sucesso expondo em miniaturas várias aplicações possíveis de um Fusquinha na época. Naquele ocorrido, ele me disse que tinha diversas miniaturas e que as fotografaria para enriquecer o material sobre o assunto aqui na página. Eu, sem dúvida alguma, não hesitei em aceitar o material que é, sem dúvidas, muito interessante.
As fotos falam por si e mostram que é sim possível ter uma coleção de carros antigos dentro de casa, o que pode mudar somente é o tamanho.
Veja:


















Quero agradecer ao Wagner por enviar as fotos!
 

domingo, 25 de setembro de 2016

Fusca 1961 do Roberto Quintanilha: O início de um novo projeto!

Com toda a certeza esse post deixou até mesmo quem o escreve com um gostinho de "quero mais" mas, calma, novidades virão com certeza.
A cada dia que se passa nós ganhamos um pouquinho mais de conhecimento e experiência da vida, uma escola em que você não escolhe o curso, a disciplina e muito menos o professor. Em algumas das inúmeras aulas da vida que tive (e ainda faltam a mim muitas para ser uma pessoa melhor), aprendi que nunca será tarde para se realizar um sonho, iniciar novos projetos, traçar novas retas e até mesmo atribuir novos rumos para a nossa vida. Esse post é mais uma prova de que se temos um sonho, a sua realização pode estar muito mais próxima do que você é capaz de imaginar.
Há poucas semanas eu trouxe para vocês fotos de um AirCooled que, ainda que seja muito popular aqui no Brasil, dificilmente aparece um exemplar por aqui, a Brasília. Naquela ocasião, eu postava o exemplar branco do Roberto Quintanilha, um carro muito original e bem cuidado. Tempos depois, ele me atualizou quanto ao estado do carro e me mandou novas fotos do carro com alguns acessórios instalados, dentre eles as faixas brancas nos pneus. Sem sombra de dúvidas, aquele carro trouxe um bom retorno para o blog com um número bacana de acessos exclusivamente naquele post. Antes, durante e até mesmo depois dos fatos de que postei o carro do Roberto, nós continuamos conversando sobre carros clássicos e durante uma dessas conversas ele disse ter muita vontade de adquirir um Fusca 1961 em especial que ele já conhecia, e que estava passando por um processo de restauração. Pois bem, eu disse a ele naquela ocasião (como já disse diversas vezes aqui) que sou apaixonado pelos Fuscas 1200, assim como por todos os modelos dos anos 60, em especial.
Depois daquele papo se passaram alguns dias. No início dessa semana, o Roberto me contatou e me trouxe duas notícias: A primeira é que ele havia vendido a Brasília tão bonita pertencera à ele até então, mas que havia comprado o seu Fusquinha dos sonhos, carro que havia acabado de sair do processo de funilaria, esperando a pintura.
Este Fusca que aparece nas fotos é o 1961 que ele comprou. A ideia dele é desmontá-lo por completo e fazer uma restauração bem minuciosa. Eu não tenho dúvidas de que esse carro vai ficar tão inteiro ou até mesmo mais do que sua antiga Brasília.
Para quem acompanha o blog há mais tempo, deve se recordar do Fusca 1961 (coincidentemente do mesmo ano) do Paulinho que passa também por um fantástico projeto de restauração, que até recebeu fotos aqui no blog. Para quem quer ver o atual estado do projeto, é só clicar no link do blog do Paulinho nos parceiros, aqui no canto direito da página.
Este 1961 é, sem dúvidas, um carro de potencial. São apenas quatro fotos, mas com certeza outras imagens virão no decorrer da restauração.
Veja:




Quero agradecer ao Roberto por enviar as fotos! Estaremos ligados nesse projeto!
Quer ver seu carro aqui no blog? Me mande um e-mail. 
 

sábado, 24 de setembro de 2016

Uma Kombi Safari de tirar o chapéu!

Esse post é mais uma prova de que é possível se viver em uma grande simplicidade sem abrir mão de muitos prazeres da vida.
Boa parte das pessoas que eu conheço tem um gosto muito parecido com o meu, que é de curtir muito viajar para algum lugar, não importando o destino. Para isso, cada pessoa viaja da maneira que pode ou que melhor lhe convém: Algumas pessoas vão de carro, outros de moto (como a galera dos diversos motoclubes), de ônibus, de caminhão, de trem (por que não?) e até mesmo de bicicleta, à cavalo ou a pé. Penso eu que mais importante do que o seu meio de transporte para a viagem, sempre estará o destino e a sua realização de ter tornado realidade um desejo seu. No entanto, é claro que os meios de transportes em um caso desse são mais do que importantes, principalmente na escolha deles.
Viajar em um carro por uma longa distância com certeza é muito bacana, e o legal é que cada modelo vai lhe proporcionar uma forma de satisfação diferente: Alguns, o conforto, outros, o desempenho, se for um clássico, o desejo de passear em uma máquina do tempo e assim por diante...Mas, como é viajar em uma Kombi?
Sim, você já viu diversas vezes aqui na internet (e até mesmo aqui no blog) algum conteúdo que conta a história de alguém que fez ou está fazendo alguma viagem longa à bordo de uma Kombinha. Pois bem, hoje, ao invés da viagem, eu quero lhes mostrar um belo meio de transporte que é destinado exatamente para este fim: As viagens.
Há algum tempo atrás eu postei aqui parte do material (sim, ele ainda não acabou) que o Fuynha gentilmente me enviou. Naquele material, haviam propagandas e fotos das Kombis Mobil, nos modelos Touring e Safari. Por inúmeras vezes eu já disse aqui que sou um grande apaixonado por esses modelos fabricados pela Karmann Ghia em virtude da engenhosidade aplicada no projeto, que foi de "encaixar" um casa em cima da plataforma de uma Kombi, que pode ao menos parecer pequena para uma aplicação dessas. Depois dos mais de 20 anos que essas maravilhas produzidas, houveram muitas variações de projetos de longas viagens envolvendo Kombis no mundo inteiro.
O vídeo que aparece ao final do post foi publicado pelo Webmotors, e é da mesma série de vídeos que a Kombi 1958 que também postei aqui, uma das antigas no Brasil. O proprietário dessa Safari (se você não conhece o modelo, existem alguns posts aqui e o Santo Google que lhe mostram um vasto material sobre essas Kombis) é José Barazal. Eu já tinha visto essa Safari em um programa do Discovery Turbo, mas não achei o vídeo para também colocá-lo aqui.
As imagens falam por si e retratam a emoção que um carrinho desses pode proporcionar.
Veja:


 

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Revestindo o painel do Fusca com couro

Não, eu não me esqueci dos amigos que acessam o blog todos os dias. Ontem meu dia foi tão corrido e complicado que nem tempo para postar tive. No entanto, trago hoje para vocês um conteúdo bem diferente daquilo que geralmente trago.
Todas as vezes que eu mostro o Classe A para alguém, uma das primeiras coisas que a pessoa observa são os bancos de couro. Bancos e outros acabamentos internos revestidos com esse tecido tão bonito (independente da cor) sempre chamam a atenção pelo seu requinte e elegância.
Por diversas vezes aqui eu disse algo que, com certeza, tem sido uma grande realidade para muitos internautas: A cada dia, eu substituo, cada vez mais, a televisão comum pelo Youtube. E isso se deve à um motivo muito simples: No Youtube se escolhe tudo aquilo que se quer ver e diversos canais tem, a cada dia, se superado na produção dos conteúdos e vídeos postados.
Um dos canais que eu tenho uma grande honra de seguir é o do tapeceiro Jean Pierre. O relativamente jovem Youtuber que antigamente fabricava, na grande maioria dos seus serviços, selas para cavalos, resolveu inovar trazendo inúmeras novidades no ramo dos revestimentos automotivos. Aliás, já fica aqui a minha recomendação para que você, meu amigo, se inscreva no canal dele.
O vídeo que aparece ao final do post, como disse, é do canal do Jean. Nele, ele mostra uma modificação estética que ele fez no seu Fusca 1973 (quanto ao debate do volante, o original é o modelo "cálice", mas nada que inferiorize o carro, o importante é o clássico ter personalidade), que foi o revestimento do painel em couro. Durante os minutos de vídeo, o Jean ensina como você pode aplicar e cortar o couro. O bacana é que dá para você fazer em casa e revestir na cor que quiser.
Eu vejo esse revestimento como uma ótima alternativa para os amigos que tem o painel do Fusca preto (como em parte dos anos 70 e 80) e não pretendem manter mais aquele revestimento em plástico original.
O serviço é de primeira linha e fala totalmente por si. Com certeza esse revestimento disputa no meu gosto com o painel na cor do carro e também no painel dos Fuscão revestidos com a imitação de jacarandá.
O bacana também é que a ideia pode ser copiada em qualquer carro, principalmente nos clássicos que tem o painel na cor da lataria.
Veja:


 

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

A miniatura de um brinquedo de gente grande

Não, esse post não é sobre o mini Fusca fabricado pela Fapinha que falamos há alguns dias, e o título é exatamente esse que vocês leram.
Como vocês sabem, de vez em quando uma das coisas que eu gosto bastante de postar são propagandas de época. Nesses quase cinco anos de blog eu já tive a oportunidade de postar diversos tipos de propagandas que abrangessem o mundo dos Fuscas e dos carros antigos: Por diversas vezes, eu postei propagandas antigas do Fusca, dos seus derivados, de alguns outros modelos e até mesmo de peças e acessórios. Esse tipo de conteúdo nos faz voltar no tempo com uma enorme facilidade.
Quando eu me deparei com essa propaganda que trago para vocês hoje, minha infância me veio logo a cabeça. Desde pequeno, eu sempre colecionei miniaturas e hoje, depois de anos, não é diferente. Eu me lembro que quando muito pequeno eu ganhei uma miniatura de um Fusca 1955 de um amigo do meu pai. Aquele carrinho "sofreu" muito nas minhas brincadeiras, mas é guardado até hoje com muito carinho e apreço.
A propaganda que aparece ao final do post era de um brinquedo da fábrica Estrela (sim, possivelmente você vai se lembrar de algum brinquedo dela que você teve na infância), que aliás existe até hoje. Na época em que essa propaganda foi veiculada, um dos produtos oferecidos pela Estrela era o "Volks Bate a Volta" que eram miniaturas do Fusquinha vindas quatro combinações diferentes de cores e aplicações, como se pode ver na foto.
Com certeza nessa propaganda nós temos a miniatura de um brinquedo de gente grande, visto que todo carro antigo nos proporciona alegrias semelhantes às de crianças em dia de Natal.
Veja:

 

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Uma voltinha rápida com um Fusca muito simpático

Quando eu me deparei com esse vídeo, não tive dúvidas que o postaria assim que fosse possível.
Há algum tempo atrás, eu trouxe para vocês um vídeo do Fusca 1979 do Leandro Coelho, um belíssimo exemplar que era mostrado em alguns minutos em virtude de sua integridade e também para mostrar o serviço de retífica de motor que houvera sido feito naquela época. Não faz muito tempo, esse post está nos marcadores dos vídeos.
Algo que eu sempre costumo dizer por aqui é do poder que qualquer carro antigo carrega consigo, que é de trazer um passado distante todas as vezes que admiramos um modelo ou até mesmo quando andamos com ele. Esse Fusquinha super simpático é mais uma prova viva de que qualquer clássico tem esse poder de envolver o dono e todos ali próximos de observar como eram os meios de transportes da respectiva época em que foi fabricado.
Esse carro em especial me agrada bastante, isso desde a primeira vez que tive a oportunidade de vê-lo pelo Youtube. Todo esse visual presente nos Fuscas 1300 e também nos exemplares dos anos 60 de maneira geral me encanta, que é aquela impressão de Fusca "comportado", com a simplicidade capaz de oferecer somente tudo aquilo que é necessário para se passear em um Fusquinha. Além disso, o motor 1300 que, ainda que não seja o mais rápido ou potente, nos mostra que um Fusca desse estilo foi fabricado exatamente para curtirmos o passeio.
O carro é muito inteiro e vale a pena "entrar virtualmente" nesse carro para dar essa volta rápida.
Veja:

 

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Encontro de antigos no Pátio Cianê, Sorocaba - Setembro de 2016

É, sem sombra de dúvidas esse é o post em que eu mais tirei fotos em todo o tempo que tenho esse blog, mas com certeza o trabalho valeu muito a pena.
Ontem, dia 18 de setembro, era o terceiro domingo do mês. como já é tradicional, houve o encontro de antigos no Pátio Cianê, aqui em Sorocaba, denominado "Clássicos das ruas", onde os antigomobilistas levam os seus clássicos para expor ao público. E é claro: Eu estava lá mais uma vez fotografando tudo e conversando com os amigos constituídos no local.
Quando eu acordei pela manhã, logo notei que o dia estava lindo e estava muito propenso para o sucesso no evento. Chegando lá, eu já notei um monte de carros colorindo o estacionamento, momento que nos alerta e nos faz lembrar que o trânsito não é somente formado de carros iguais e com cores neutras, mas que ainda existem muitos antigos muito bacanas circulando por aí. Nessa brincadeira do encontro acabei tirando mais de 160 fotos, então imaginem o trabalho para editar todas, ocultando placas e afins. Por esse motivo, passei boa parte do domingo e também da manhã desta segunda terminando de editar todo o material para vocês. Desta maneira, infelizmente não deixei nada de conteúdo para vocês nesse domingo. Em compensação, hoje vocês verão carros maravilhosos que abrilhantavam o evento de hoje.
Desta vez eu quero fazer um pouco diferente na composição das fotos: Ao invés de atribuir uma ordem, vou deixá-las na ordem que tirei, de modo que você, que está bem longe e de, certa forma, participar do evento ainda que admirando os carros, tenham a mesma visão que eu tive naquele quente domingo que foi ontem.
Ontem o evento, sem sombra de dúvidas, registrou o número máximo de carros desde o início. Inclusive faltaram vagas no estacionamento do Shopping. Haviam muitos Fuscas, Kombis, Variant, Brasílias, muitas Pumas nos mais diversos modelos e diversos exemplares de outras marcas, como muitos Opalas, Mavericks, Fiat 147, DKW e muitos outros modelos que aparecem nas fotos.
Apreciem as fotos e eu as descrevo caso necessário:




 Esse Fusca vermelho montana (juntamente com um praticamente igual) sempre está nos encontros. É impossível não gostar de uma cor tão bonita como essa.

Ontem nós tínhamos um DKW Belcar prestigiando o evento. O simpático carrinho alemão com motor dois tempos ficou pouco tempo exposto, mas foi possível ouvir o inconfundível ronco do motor DKW.








 Com certeza vocês devem se lembrar desse Fusquinha, é o 1973 do Carlos, dono também do 1967 publicado no post de número 400 aqui do blog. Este clássico segue a venda como na outra ocasião, mas é por uma boa causa. O Carlos já se tornou um grande contribuinte com o blog, visto que já permitiu que seus carros aparecessem aqui, além de outros conteúdos que foram postados aqui que foram vindos dele.



Este aqui já apareceu diversas vezes também. É a Puma do Wagner, dono também da Variant (que até então eu não sabia que tinha o carinhoso apelido de "Marieta"). Essa jóia de fibra, mais uma vez estava exposta com a capota aberta, como todo conversível.




Esta é a Puma do Giba, que também já apareceu algumas vezes aqui. O Giba, além dessa Puma, também tem outros carros que já foram mostrados por aqui. Esta talvez seja a única Puma que eu já tenha visto com faixas sob o capô e teto, uma alusão aos esportivos americanos.









Eu sinceramente fiquei encantado com esse Karmann Ghia. Esse esportivo lendário dos anos 60 era representado por esse belíssimo exemplar no encontro, que tem um alto nível de originalidade. No decorrer das fotos, ele aparece novamente.






Esse é o Fusca Itamar do Caco, que também já é nosso velho conhecido. Esse Fusca foi comprado com uma quilometragem baixíssima e seu dono o caracterizou conforme seu estilo. É mais um exemplar único.





Simca do Leo, que também já apareceu outras vezes por aqui.



































Adesivo da lendária concessionária Dacon, que produziu e modificou alguns modelos bem exóticos.












Esse Fusca Itamar está absurdamente íntegro e estava também a venda. Em algumas fotos abaixo é mostrado o motor, também muito bonito.

























Aí está o motor do Itamar. Algo que me chamou bastante a atenção nesse motor foram as válvulas Thermac que, na sua grande maioria, foram desativadas.







Esse Fusca vocês já conhecem desde o primeiro encontro. É o 1965 do David. Esse é um carro bem diferente e charmoso, montado totalmente ao gosto do dono.



Esse Fusca 1973 também é do David. Ele comprou esse carro recentemente e já tem um projeto para ele. Com certeza eu mostrarei esse carro pronto para vocês. Desde o início já é um carro bem diferente e de muita personalidade.
















BMW 323Ti do Zeca, que também já apareceu aqui. Eu já comentei várias vezes da minha admiração por carros premium da década de 90, e este está muito bem conservado.




























Como eu disse ao início do post, esse encontro é mais uma prova de que o trânsito muitas vezes é colorido, mas o nosso olhar se adaptou à um preto e branco que apareceu de uns anos pra cá. Este evento mais uma vez foi muito bacana pelo número de carros e pelas amizades constituídas a cada nova edição.
Se você é proprietário de algum dos carros que aparecem na foto, não deixe de falar para que sejam dados os devidos créditos.
Mais uma vez, muito obrigado!