terça-feira, 31 de maio de 2016

Um pouco da esportividade dos boxer nos anos 60

Sinceramente falando, eu adoro a internet porque se acha esse tipo de coisa.
Esses dias atrás, googlando sobre VW a ar e buscando um outro assunto que será post nos próximos dias, me deparei com essa foto.
Eu resolvi salvá-la assim que a vi, pois ela mostra uma época de ouro do automobilismo. Nos anos 50, 60, 70 e até mesmo os anos 80 nós tivemos muitos carros de rua transformados em carros de pista. Isso aconteceu em diversos países e diversas categorias de corridas, e aqui no Brasil não foi diferente. Embora esta foto não seja daqui, ela retrata o que havia de melhor na preparação de um motor boxer há pelo menos 40 anos: Uma dupla carburação Weber 40 (que até hoje é fantástica e faz um belo estrago se bem acertada), um escapamento dimensionado e outros acessórios que aparecem nesse lindo Karmann Ghia que aparece nas fotos eram muito comuns em carros preparados. Como vocês podem notar, ele tinha uma capela cromada igual a dos Fuscas 1200 que tivemos no Brasil, afim de acomodar melhor as duas Weber. Além disso a tampa do distribuidor é um pouco diferente com as pontas dos cabos em seus bornes em L, como na grande maioria dos carros atuais (isso quando tem cabos de vela, hoje em dia temos muitas bobinas que são instaladas direto nas velas), e muitos detalhes que aparecem se observarmos com atenção.
O bacana é que este Karmann Ghia tem, como era de se esperar, as lanternas traseiras menores, como os modelos do exterior e também como os primeiros modelos que tivemos aqui. Além disso, ele já usa as rodas de 4 furos que só chegaram nos últimos anos de produção no Brasil.
Veja a foto e se sinta no século passado!

 

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Vídeo: Instalação de farol de milha/neblina Fusca e muitos outros carros

Eu sempre costumo dizer aqui que o que diferencia um Fusquinha do outro é a sua personalidade. Os VW a ar (assim como vários outros antigos) são tão versáteis que nos permitem uma variação praticamente infinita de combinação de acessórios.
Rodas de liga leve, tala larga, teto solar, uma modificação na suspensão, uma troca de escapamento, a adição de um friso (ou a retirada dele), a colocação de uma calota cromada, bancos diferentes, botões do painel diferentes, enfim, é possível se montar um Fusquinha hoje em dia com total liberdade de se instalar o que quiser.
Além de todos esses acessórios que falei aqui, existe um em especial que é muito utilizado pelos Fusqueiros e que na minha opinião fica muito bonito esteticamente que são os faróis auxiliares. E é exatamente deles que falaremos hoje.
Muita gente tem dúvidas quanto a instalação desse componente e principalmente quanto a dúvida de distinguir farol de neblina e farol de milha. Para isso, o Paulo Fernando, Youtuber e eletricista automotivo postou um vídeo em seu canal muito proveitoso, assim como todo o seu conteúdo. A ligação que ele ensinou é universal e é válida principalmente para quem não tem o sistema de faróis auxiliares (sejam ele neblina ou milha) no carro. Ele é válido para um Fusquinha, para o Gol BX que ele tem ou para qualquer carro que se enquadre nesta forma de instalação.
Assistindo ao vídeo que postarei abaixo, resolvi procurar algumas variações funcionais da ligação que o Paulo (um dos cariocas mais simpáticos do Youtube...hehehe) mostrou no vídeo afim de mostrar para você todas as possibilidades possíveis e mais simples de se ligar um farol auxiliar no seu carro.
O que você vai precisar:
Faróis auxiliares (obviamente)
Um relê de 4 pinos, como o mostrado no vídeo
Um porta fusíveis
Os conectores e os fios necessários

O Paulo explica melhor no vídeo. Veja:


                                                                         
Como você já viu, é fácil ligar faróis auxiliares no seu clássico e com poucas ferramentas você pode fazer em casa, que é o mais gostoso. Abaixo vou postar umas fotos roubartilhadas do Google afim de deixar o post ainda mais completo, visto que o vídeo do Paulo é muito bom.

 Esta ligação é para você que quer que um dos parâmetros para que seus auxiliares acendam seja alguma iluminação original do carro (lanterna, farol baixo ou algo do gênero). Ou seja, você mantendo o botão acionado, assim que você acender os faróis o relê automaticamente será atracado e seus faróis acenderão.


Este daqui é exatamente igual ao que o Paulo Fernando mostrou. O sistema é totalmente separado do chicote elétrico do carro e os faróis só permanecem ligados quando o botão estiver acionado.

Este daqui eu peguei de uma miniatura do Youtube. Ele é válido para você que quer que seus faróis auxiliares acendam juntamente com a iluminação original do carro. Este é meu caso: No Classe A eu instalei faróis de milha e eles acendem junto com a neblina original, existente no farol. Uma alternativa nessa ligação é aterrar o pino 86 (negativo do relê).

Outra observação importante: Independente da ligação que for feita, sempre a faça com capricho e utilize um porta fusíveis após o positivo da bateria afim de proteger a sua instalação. Caso você for instalar lâmpadas com potência acima de 55W, possivelmente dois relês serão necessários, assim como uma possível mudança na bitola dos fios, amperagem do fusível no início do circuito como outras coisas.
Espero que este post ajude você que pretende instalar um acessório desse no seu carro!
Tem alguma sugestão ou correção neste post? Comente, toda troca de informação é válida!

domingo, 29 de maio de 2016

Fusca 1300L 1976 - Fábio Gobbi

Pelo andamento que os posts estão tendo, parece até que estou intercalando os estilos dos carros a serem postados. Ontem nós tivemos aqui um 1968, do Pedro todo modificado, rebaixado e tudo mais. Hoje já é diferente, é dia de mostrar um carro original e pouco rodado.
Este simpático Fusca 1300L (para quem ainda tem dúvida, o L é de "luxo" e não muda nada na questão de mecânica do carro. Os Fuscas 1300L tinham toda a mecânica de um Fusca Standard, com a única diferença de um melhor acabamento e a suspensão de pivôs no lugar de embuchamento) que aparece nas fotos pertence ao Fábio Gobbi, que é colecionador de clássicos. Este carro tem um histórico muito bacana com ele.
Há 20 anos atrás, o pai do Fábio comprava este belo 1976 de único dono e em muito bom estado de conservação. O pai do Fábio comprou esse carro de um senhor que apresentava problemas de saúde que levaram a venda do carrinho. O mais interessante de tudo isso é que este carro tinha uma baixíssima KM e foi muito pouco usado nestas duas décadas entre o pai de Fábio e o próprio Fábio, que hoje é dono do carro. Este Fusquinha que tem vários acessórios de época e também algumas particularidades que ganhou com o tempo (como as calotas do Fuscão cromadas) conta com apenas 12.065 km rodados, tanto que seus pneus, por exemplo, ainda são originais.
O Fábio me disse que sai com ele as vezes para curtir o ar de clássico e ainda diz que o Fusquinha entre os outros carros (Como Corcel, Del Rey, Brasília e outros) que ele tem sem sombra de dúvidas é o "xodó" da coleção.
Preparem os babadores e protejam os teclados!!




Quero agradecer ao Fábio por enviar as fotos!
Quer ver seu carro aqui? Me mande um e-mail. 

sábado, 28 de maio de 2016

Fusca 1968 1300 - Pedro Barreto

Ultimamente eu tenho notado algo que tem sido muito sadio para a página: Além dos internautas que já se tornaram amigos pelas contribuições dadas ao blog, muitos amigos meus próximos sempre me mandam ou indicam algum material muito bacana. Ontem mesmo o Haron me enviou fotos do Fusca 1974 que ele flagrou, e hoje outro colega da faculdade, o Pablo, que por sinal também tem um Fusquinha me indicou esse carro muito bacana a ser postado aqui.
O carro que eu trago hoje para vocês é um Fusca 1968, um Fusca clássico, de uma época maravilhosa da indústria automobilística nacional e, particularmente a minha década preferida de produção dos Fusquinhas. Este carro que aparece nas fotos é do Pedro Barreto, amigo do Pablo e praticamente vizinho aqui de Sorocaba por morar em Pilar do Sul, aqui no interior. Eu conversei com o Pedro exatamente pelo fato dele ser amigo do Pablo.
Este Fusca tem uma história bem bacana: Antes deste carro ser dele, era era propriedade do pai de um amigo próximo que adorava o carro. Pelo tempo que já estava com o carro, o antigo proprietário resolveu restaurá-lo por completo, afim de manter o carro em bom estado. Após um tempo, com o carro já concluído, o antigo proprietário transferiu o carro para nome do filho, dando liberdade a ele para fazer o que quisesse com o carro.
Em virtude dele morar na região metropolitana de São Paulo, o amigo do Pedro tinha receio de rodar com o carro e fazer a utilização que todo Fusquinha merece pela violência, propensão a assaltos e outras coisas do gênero, até pelo fato do carro chamar muita atenção por sua integridade. Tempos depois, o amigo do Pedro se mudou para o interior e começou a utilizar seu clássico com mais frequência em relação ao passado, porém as vias em que ele rodava não tinham as melhores condições, o que fazia ter dó de colocá-lo nos eventuais buracos.
Visto isso e também o fato do Pedro sempre despertar interesse pelo carro, seu amigo lhe ofereceu a venda pelo preço que gastou para restaurá-lo, e claro, Pedro não pensou duas vezes e o adquiriu.
Desde então, o Pedro sempre está fazendo algum upgrade no carro: Ele fez um trabalho na suspensão afim de rebaixá-lo, montou um som ao seu gosto, pintou as rodas de azul turquesa (aliás, vejam a combinação de rodas fechadas na dianteira e de Karmann Ghia na traseira) junto com faixas brancas nos pneus. Além disso, ele também fez a instalação de um kit xênon e colocou um flash trim, acessório na lateral do veículo.
O Pedro é apaixonado por seu carro, e é isso que o torna ainda mais um Fusquinha especial.
As fotos são fantásticas!!
Preparem os babadores e protejam os teclados!!





















Quero agradecer ao Pedro por ceder as fotos!
Quer ver seu carro aqui? Me mande um e-mail. 
 

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Um Placa Preta por aí...

Hoje pela manhã meu telefone vibrou pelas mensagens que chegavam no Whatsapp. Dentre muitos "bom dia" nos grupos, mensagens de outros contatos e tudo mais, haviam três fotos que me foram enviadas que eu achei muito bacanas.
Quem me enviava essas fotos era meu amigo e colega de faculdade Haron, também fanático pelo automobilismo e que está montando um AP em seu Gol bem nervoso. Hoje, pela manhã ele fotografou este Fusca 1300 azul 1974 (graças ao Sinesp eu tive a confirmação do ano), com placas pretas. Pelas características do carro eu sabia que ele era 1973 ou 1974, até pelos paralamas e rodas 5 furos. Nas fotos dá para notar que o carro tem alguns detalhes que não são originais, mas nada que comprometa a integridade e postura clássica do veículo.
Eu mesmo acredito que já tenha visto esse Fusquinha, pois o local onde ele foi flagrado eu passo constantemente. O bacana é que está muito bonito.
O Haron ainda comentou comigo que este carro ligado tem um ronco lindo, principalmente na marcha lenta, devido ao escapamento original com as ponteiras finas.
Carros como esse é que nos provam que ainda tem muito Fusquinha íntegro rodando por aí.
Preparem os babadores e protejam os teclados!!




Quero agradecer ao Haron por ceder as fotos!
 

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Um Fusca Ultima Edicion 2003/2004 com apenas 24km rodados!

Como todo mundo sabe, o Fusquinha é um dos carros que conquistaram o mundo e que foi vendido em diversos países. A figura do Fusca é única, não existe carro igual em suas linhas, essa virtude que o carro tem toda peculiar, é só dele.
Hoje eu trago para vocês um flagra do Reginaldo de Campinas. Sim, é o Reginaldo de Campinas que flagra carros antigos ou raridades com baixíssima quilometragem e um tremendo estado de conservação. Ele e a Pastore Car Collection acham carros que parecem vir de outro planeta quanto a raridade ou a quilometragem, que é o caso deste.
Além de nós brasileiros, existem muitos amigos de outros países que curtem muito o Fusca e VW a ar de uma maneira geral, os mexicanos sem dúvidas são, junto conosco, os mais apaixonados por Fusca. Lá até hoje, como no Brasil, se veem muitos Fuscas andando nas ruas e até mesmo sendo veículos de serviço, como táxis. Porém, nossos amigos mexicanos tem uma vantagem em relação a nós: Eles tiveram o Fusa produzido por mais tempo: Enquanto nós paralisamos a produção do Fusquinha com o modelo Itamar Série Ouro em 1996 (sem contar a paralisação de 1986 à 1993), eles mantiveram a linha até 2003, tendo Fusquinhas com muito mais opcionais e otimizações.
Como dito no vídeo, vieram pouquíssimos Fuscas Ultima Edicion (como são chamados) para o Brasil, algo como 15 ou 30, nas cores bege e azul. Hoje esses carros tem um valor elevadíssimo a nível mundial pela raridade.
Eu serei sincero com vocês: Eu assisti o vídeo desse carro algumas vezes e analisei as fotos antes de postar: Este Fusca que tem apenas 24 km rodados (como era a média de quando eles chegavam aqui, segundo o Reginaldo) tem inúmeras melhorias em relação aos modelos que tivemos aqui, que tentarei descrever conforme as fotos.
É a primeira vez que posto um carro sem uso aqui.
Preparem os babadores e protejam os teclados!!

Repare que este Fusca tem o brasão no capô, assim como os Fuscas aqui no Brasil até 1965. Obviamente o brasão não é mesmo, mas olhando de longe se associa. Além disso, outros detalhes que chamam a atenção são os retrovisores (que tem várias réplicas vendidas por aqui, que na minha opinião são retrovisores lindos) e os piscas quadrados embutidos no parachoque.

Outro detalhe bacana é a tampa traseira, característica do modelo mexicano. Ele tem 4 entradas de ar com aletas na tampa, assim como no Brasil, porém uma ao lado da outra, diferente daqui que temos aquele espaço onde vai o logo da VW no modelo Itamar, por exemplo.

 O forro de porta é um tom diferente do Brasil, porém muito bonito, reparem no selo com o ano do carro, algo que nunca aparaceu por aqui. Outra coisa bacana é o "passa fio" da porta para a carroceria que é bem discreto e que conduz todo o chicote da trava elétrica, já que este Fusca tem alarme de fábrica.
Detalhe do volante: Ele lembra muito o da linha Gol que também foi utilizado no Fusca Itamar, porém aqui os volantes tinham o logo da VW no meio.

 O velocímetro lembra muito as réplicas que nós vemos por aí, ele marca até 160 km/h e tem o marcador de combustível integrado. Em razão disso, o indicador de luz alta mudou de lugar.

Os botões do painel são bem diferentes, assim como o indicador das marchas e o rádio, que já é um CD Player.

 O motor é super interessante: Como vocês podem notar, ele é injetado, assim como as ultimas Kombis com motor boxer, aliás as semelhanças são muitas. O bacana é que o ar quente foi mantido como nos modelos mais antigos.


Como vocês podem notar, o escapamento também lembra muito o da Kombi com injeção eletrônica. Além disso, ele tem de fábrica uma bomba de óleo com suporte para filtro integrado, igual ao modelo fabricado pela EMPI hoje em dia, que aumenta a vida útil do motor através de uma melhora na lubrificação e também na filtragem do óleo.

Interessante é que esse motor não tem o bujão de escoamento na tampa do cárter. Um tanto diferente.



Assistam a um vídeo da jóia:
 
    
É, não aparece um carro desse todo dia!

terça-feira, 24 de maio de 2016

Vídeo: Fabricação de um emblema de latão para o Fusca

Esse é o tipo de post que dificilmente aparece por aqui. Você já parou para pensar como algum tipo de produto é fabricado? Eu desde pequeno tive esse hábito. Eu sempre perguntava a meu pai como as coisas eram produzidas, que tipo de material era utilizado e essas coisas.
Com o tempo e com o avanço da industrialização, os produtos feitos artesanalmente foram se tornando escassos no mercado. Hoje tudo o que se compra vem de alguma fábrica com uma linha de montagem ininterrupta com produtos muitas vezes exatamente iguais. Mas, e se voltarmos algumas décadas no tempo?
Há muito tempo, poucas coisas eram industrializadas, para se ter um móvel em casa, por exemplo, era necessário um marceneiro para fabricar, se você precisasse de uma roupa, uma costureira (como minha falecida avó materna) se fazia necessária para tirar suas medidas e fazer a confecção, poucas coisas eram compradas prontas, havia acesso a matéria prima e o consumidor final é que construia aquilo que desejava. Com os tempos tudo se tornou mais prático e mudou, e justamente por esse motivo é muito difícil ver algo fabricado artesanalmente hoje em dia.
O vídeo que eu trago hoje para vocês é do chaveiro Lenin. Ele é um verdadeiro artesão que está começando no Youtube, ele faz cópias de chaves (inclusive vende uma maquininha que copia chaves), fabrica peças em madeira como manoplas de câmbio, alavanca de freio e mão e outras coisas, além de confeccionar emblemas em latão como esse que aparece no vídeo.
Este post não é necessariamente uma propaganda, mas o trabalho dele é muito bacana. O principal objetivo do post é mostrar que ainda existem peças feitas artesanalmente, aliás, muito bem feitas. Ao invés de um equipamento CNC, por exemplo, o Lenin faz o corte na raça e o acabamento na lima. Nenhuma linha de montagem conseguirá fazer peças com tanto capricho quanto as mãos de quem realmente sabe e tem amor pelo que faz.
Quando cito "capricho", não falo de acabamento (que no CNC é perfeito), mas sim pelo afinco e amor na construção da peça.
Quem se interessar, é só se inscrever no canal dele.
Veja:

 

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Padrão de originalidade: Piscas dos Fuscas anos 60 e 70

Quem acessa o blog desde o seu princípio ou até mesmo de uns tempos pra cá, deve se recordar que eu postei há algum tempo parte do material que o Farcas Pancho (Ou Bruno Big Bat) sobre padrões de originalidade dos Fuscas, principalmente dos modelos dos anos 60. Esse material e muito rico em detalhes e aos poucos eu fui postando. Com novos conteúdos a serem postados, eu acabei dando uma pausa com esse material e estarei voltando a postar aos poucos. Essas fotos estavam "guardadas" no meu e-mail desde aquela época.
Hoje a contribuição do Bruno diz sobre os piscas dianteiros dos Fuscas. Como se sabe, nos primeiros modelos da década de 60 nós tínhamos piscas menores e levemente deslocados da posição que nos é familiar na maioria dos Fuscas. Além disso nós também tivemos as "bananinhas" de seta, ultimamente raríssimas de serem vistas. O material fala por si e esclarece muitas dúvidas. Ele é muito válido para você que está restaurando seu clássico visando a originalidade.
Veja:



Quero agradecer ao Bruno por ceder o material!
 

domingo, 22 de maio de 2016

Um "velho novo" parceiro: Blog Fusca, Derivados e outras coisas antigas

Domingão também é dia de postar...hehehe
Sim, o título desse post pode parecer estranho, mas ele faz sentido. Se você acessa o blog há algum tempo, possivelmente você já leu algum post com as fotos do parceiro Eduardo Duartte, que já contribuiu com muitas fotos por aqui, principalmente dos eventos do Sampa Kombi Clube.
Bem, o Eduardo Duartte começou com um blog muito bacana tratando exatamente do mesmo assunto que eu: VW a ar. O bacana é que agora ele pode postar seus conteúdos em uma página própria e totalmente ao seu gosto.
Algo muito bacana no blog dele, que tem o nome de "Fusca, derivados e outras coisas antigas" é o dinamismo da página. Ao entrar no endereço, você tem a opção de visualizar qualquer post através dos banners que são espalhados organizadamente por toda a página. Embora eu use o método "convencional", onde um post vem seguido do outro, essa interação da página para com o internauta é muito bacana.
Com toda a certeza vale a visita ao blog do "velho novo" parceiro aqui no blog.
Clique aqui e divirta-se, pois tem muita coisa bacana por lá!


Acessa lá!
 

quinta-feira, 19 de maio de 2016

O passado, o Fusca e o mundo de duas rodas!

Esta é mais uma foto que meu amigo Fuynha me enviou.
Eu, particularmente achei essa foto muito bonita, pois em meio a tantos detalhes mostra a simplicidade do automobilismo e motociclismo juntos.
A grande maioria das pessoas que são apaixonadas por carros (sejam elas antigomobilistas ou não) tem também uma paixão pelas motos. Embora o motociclismo não seja a minha praia e eu não conheça absolutamente nada sobre, admiro muito a união dos motociclistas nas suas mais diversas preferências, assim como os antigomobilistas.
Essa foto mostra um Fusquinha sendo usado exatamente para o que ele foi projetado pelo Dr. Porsche: No batente. Além de rodas sob condições severas, ele ainda leva duas motos na traseira.
Por essa e por outras que eu gosto tanto desse carrinho. É incrível a sua durabilidade e versatilidade de uso.
Se prepare, pois você voltará ao passado ao ver essa foto!


Quero agradecer mais uma vez ao Fuynha pela contribuição!

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Fusca 1973 1300 - Elder Matheus: E vem um bebê por aí!

Antes de mais nada eu só posso agradecer a todos vocês que acessam o blog pelas 90.000 visitas atingidas. Eu quando comecei a página em 2010 jamais imaginei que chegaria a esses números e muito menos que as pessoas trouxessem um feedback tão positivo quando aos conteúdos postados.
Muito obrigado!!
Em virtude dessa marca de visitas, o dia de hoje merece um post especial, e é exatamente por isso que eu estou antecipando esse post (era para ele ir ao ar lá para o final desta semana) por ele SER especial e TER algo especial em seu contexto.
Há um ano e meio, o Elder Matheus adquiriu esse Fusca 1973, 1300 azul. Ele poderia ser igual a qualquer Fusqueiro (embora nenhum Fusqueiro seja igual mesmo tendo a mesma paixão), mas ele concretizou um projeto de ter um carro diferente. Como vocês podem notar, este é um Fusca de muita personalidade sem perder a identidade de um carro clássico.
Como disse anteriormente, este é um modelo 1973, ano marcado pela troca dos paralamas "Olho de Boi" por aqueles que os Fusquinhas mais novos utilizam. Para trazer um resultado estético diferente e muito comum nos anos 70, o Elder usa lentes amareladas nos faróis. As rodas 5 furos, originais do modelo usam faixas brancas nos pneus, aliada a uma suspensão mais baixa que a original conforme o seu gosto. O Elder ainda me disse que pretende baixar o carro mais. Esse vai ficar colado no chão!!
Outros acessórios que chamam a atenção no carro são o bagageiro de teto e os piscas dianteiros que não são laranja, como o "convencional" que geralmente vemos nos Fusquinhas por aí.
Mas, onde está o "bebê" do início do post? Você deve estar se perguntando.
Bom, esse post também é muito especial pois ele mostra um de muitos momentos que esse Fusquinha presenciou em seus 43 anos de vida. O Elder será pai em breve e fez uma ótima escolha ao fazer um ensaio fotográfico junto a sua esposa: Foi de colocar o Fusquinha nas fotos!
Filhos são dádivas de Deus, e o momento da chegada sem sombra de dúvidas é de muita alegria, desta forma o Elder resolveu colocar seu clássico dentro da história e das lembranças materialmente falando.
Desejo tudo de bom ao bebê, Elder! Que venha com muita saúde!
Abaixo fotos do Fusquinha e também do ensaio fotográfico.
Preparem os babadores, protejam os teclados pois tem Fusca bonito e um bebê mais lindo ainda chegando!!







Quero agradecer ao Elder por ceder as fotos!!
Quer ver seu carro aqui? Me mande um e-mail.