terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Instalação de polia graduada e correia poly V no motor VW a ar

Esse é o tipo de post que não atende somente a um tipo de interesse um aplicação no motor dos VW a ar, mas sim para várias aplicações. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar o like na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog. É tudo rápido, fácil e os cliques ficam aqui a sua direita.
Anteontem eu escrevi um post que contém um vídeo comparando três motores montados magnificamente bem com a proposta voltada á performance. No entanto, com certeza é válido buscar ainda mais conhecimento e informações para que sejam feitas escolhas mais do que acertadas quando se monta o motor dos sonhos. E isso não é válido somente para motores com o objetivo voltado ao desempenho, mas em qualquer motor que se deseja montar independente da aplicação. O mais importante é sempre se atingir o objetivo e o desejo do dono do carro.
Hoje eu trago para vocês uma modificação que tem se tornado muito comum nos motores que estão sendo montados atualmente: A mudança no sistema de correias. Confesso: Eu sou um grande admirador do sistema original da correia do Fusca, visto a facilidade da manutenção que pode ser feita em qualquer lugar e com uma única ferramenta. Além disso, qualquer autopeças tem uma correia de Fusca para vender por um preço bem baixo, o que justifica até andar com uma de reserva no carro.
No entanto, muitas pessoas tem migrado para um novo sistema de correias: O sistema Poly V. O sistema Poly V é mais do que conhecido nos carros atuais, que consiste em uma correia que opera em conjunto com um tensionador que adequa a posição (tensão) correta da mesma. Este sistema é uma alternativa para as montadoras ao sistema de correia "esticada".
Com o passar dos anos, esse tipo de correia Poly V com tensionador (ou tensor) também chegou aos motores VW a ar por meio de vários kits dos mais diversos fabricantes ou até mesmo aqueles que são fabricados de maneira artesanal: O Pedrinho, dono do Fusca 1973 Germann Look que eu fotografei há algum tempo e postei aqui, fabricou (ele mesmo) o kit Poly V para o seu Fusca.
O vídeo que aparece ao final do post foi postado pelo Tonella há alguns dias. Nele, ele mostra o funcionamento e instalação do sistema no Fuskatia, um Fusquinha bem nervoso da sua esposa. A instalação consiste na retirada da "capela" (ou capa da ventoinha) assim como do suporte do dínamo ou alternador, para a troca dos prisioneiros que irão sustentar o suporte do rolamento tensor.
Veja:


9 comentários:

  1. Ver o Tonella andar de Fusca, deu saudade de quando eu andava no meu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ainda com o sistema de freios a tambor original das rodas de 5 furos, não sei como eles seguram o Fusca.

      Excluir
    2. Na realidade esse Fusca já recebeu melhorias nos freios. na traseira foi montado todo o conjunto de freios a tambor do modelo quatro furos (espelho e tambor) e na frente ele recebeu mangas de eixo deslocadas para embuchamento e freio a disco, o que já dá um pouco mais de segurança.

      Excluir
    3. Mas parece que eu vi os parafusos originais das rodas de 5 furos no vídeo???, estranho...

      Excluir
    4. Talvez os parafusos tenham casado com as roscas dos tambores de freio novos, de quatro furos. Tanto que as rodas BRM do Fusquinha tem apenas quatro raios, as BRM de 5 furos tem 5 raios para que dê para "encaixar" a furação 5x205 no desenho da roda (que por sinal me agrada muito).

      Excluir
    5. Agora olhando o vídeo com pausa, parece que as rodas tem furação 4 x 130 mesmo.

      Excluir
    6. As rodas BRM não tem a furação tão perceptível, então quando se "bate o olho" pode se enganar mesmo quanto a furação.

      Excluir
    7. Realmente, ontem assistindo o canal do Tonella, vi um vídeo antigo da troca de buchas do facão do Fuskátia e ele estava equipado naquela ocasião com rodas mexicanas de 4 furos mesmo.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!