sábado, 8 de outubro de 2016

Um táxi de antigamente

Esse é o típico post que nos coloca para pensar como eram as coisas nas décadas passadas. Uma imagem pode refletir muita coisa e gerar as mais diversas interpretações possíveis.
Hoje em dia nós podemos dizer que, ao olharmos para o mundo de forma geral, temos uma grande tecnologia aplicada nos mais diversos tipos de transportes. Para se ir de um lugar para o outro, existem diversas alternativas para todos os gostos, necessidades e bolsos.
Se você quiser praticar uma atividade física e ainda ir ao local desejado, pode ir a pé ou de bicicleta. Se for muito longe, pode pegar um trem (ainda que as ferrovias aqui no nosso país voltaram a engatinhar de uns anos pra cá), ônibus, carro ou até mesmo uma carona. Se nenhum desses meios te serve, você pode chamar um táxi ou até mesmo um Uber para que te leve com exclusividade até o local.
Nas décadas passadas, praticamente todos esses meios de transporte existiam. Mas é claro, todos eles eram muito diferentes. Os trens eram as simpáticas "Maria Fumaça", as bicicletas clássicas da Caloi ou Monark, os ônibus geralmente aqueles Mercedes mais antigos e os táxis, na grande maioria dos pontos e cidades, Fuscas.
Porém, além dos Fusquinhas existiram diversos divertidos carrinhos produzidos na mesma época que ganharam muitas vagas de praça: Opalas, Corcel e até mesmo alguns DKW nos anos 60 levaram muitos passageiros aos seus respectivos destinos. No entanto, existiu um modelo que, pelo menos na quantidade de veículos táxi, superou estes com certeza depois do Fusca: O VW 1600, ou "Zé do Caixão" foi um carro muito bem recebido pelos taxistas da época por ter todo o conjunto mecânico do Fusca (e mais potente, pois os Fuscas da época eram 1300 e o Zé era 1600) e ainda contar com duas portas a mais. Uma característica praticamente peculiar desse carro é que a grande maioria tinha o motor 1600 aliado à uma carburação simples. Acredito que seja praticamente a totalidade.
A imagem que aparece ao final do post é um retrato de como frota de táxis antigamente. Não espere um monte de carros novos, brancos e iguais, mas sim um retrato do início dos anos 60 da maneira com que eram constituídas as frotas de táxis naquela época.
Veja:

 
 

2 comentários:

  1. Mas parece que o "Zé" fez mais sucesso no Rio que aqui em São Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu, pelo menos em fotos de época, os vejo mais como táxis amarelos do RJ do que em Sampa. Faz sentido.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!