sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Acelerando forte os esportivos de época VW a ar!

Sinceramente falando, quando assisti a esse vídeo no Youtube e metade dele na televisão, lembrei que os programas televisivos voltados ao automobilismo ainda se lembravam do alicerce da nossa indústria automobilística, que são os clássicos nacionais.
O bacana de se estudar uma história ou até mesmo falar sobre ela é que a partir do momento que os fatos são narrados, nós podemos "ligar os pontos" e imaginar como eram as coisas na respectiva época. Hoje em dia, a pessoa que tem um bom poder aquisitivo e busca ter um carro com classe, requinte e uma pegada de esportividade, geralmente vai optar em adquirir um carro premium, como uma Mercedes, BMW, Audi e algumas outras montadoras que se encaixam na categoria. Nos anos 60 e 70, esse nicho de mercado com pessoas de poder aquisitivo melhor tinham opções um pouco diferentes das de hoje, e geralmente elas eram produzidas aqui mesmo. Infelizmente hoje a grande maioria dos carros nacionais não trazem tanta coisa inovadora, fazendo com que o segmento dos importados siga em pé (Eu particularmente adoro importados).
Há pelo menos 40 anos atrás, essa pessoa que tinha um pouco mais de grana e queria ter um bom desempenho e esportividade, muitas vezes optava pelos modelos que a própria VW oferecia com a sua receita mais do que conhecida: A plataforma do Fusca. Dessa maneira, tivemos Karmann Ghia, Karmann Ghia TC e SP2 (Junto do raríssimo SP1) como esportivos de época. Os dois últimos listados ainda usavam a fantástica receita do motor plano. Quem ainda tinha mais dinheiro, poderia optar por um Alfa Romeo ou Mercedes, mas aí realmente era para quem tinha muito dinheiro.
Tudo bem, é claro que os números desses esportivos de época hoje jamais chegariam perto às estatísticas de um esportivo, mas em um universo onde as pessoas mal tinham estradas pavimentadas longe dos grandes centros urbanos e mesmo naquelas onde a condição de rodagem era boa, as pessoas andavam em uma velocidade menor. Dessa maneira, a relação peso x potência conferia um bom desempenho aos carros. Além desses três, ainda tivemos as Pumas, que nasceram da plataforma do Fusca e foram, nos anos seguintes, uma alternativa à proibição das importações.
Com certeza em algum domingo desses últimos meses você ligou a sua TV no SBT pela manhã e já viu o programa "Acelerados" ser veiculado. O programa que substituiu o "Vrum" (que aliás, também era um excelente programa) veio de um local onde o nível dos canais vem subindo à cada dia: O Youtube. A vantagem desse programa é exatamente essa: A abordagem intimista que se tem entre um Youtuber e seus inscritos se manteve quando o programa foi transferido para o SBT, e essa filosofia foi mantida, mas agora para com os telespectadores.
Algo que sempre me chamou a atenção nesse programa foi o seguinte: Mesmo que fossem mostrados lançamentos, dicas técnicas e notícias do mundo automotivo a nível mundial, eles nunca se esqueceram dos clássicos, que recebem comparativos entre concorrentes de época como se fosse antigamente, mas assessorados de toda a tecnologia para a execução dos testes.
O Acelerados dessa vez se superou e me fez esperar por muitas semanas para assistir esse vídeo e é claro, escrever esse post. O comparativo que se iniciou na semana passada e que termina pela TV nesse domingo já está disponível no Youtube. Nesse vídeo, são comparados Karmann Ghia, Karmann Ghia TC e SP2, esportivos de época com motores próximos e com muitos fatores em comum.
O TC e o SP2 foram regulados pelo Tonella há algum tempo atrás. Esses dois juntamente ao Karmann Ghia amarelo formaram um belo trio e tornaram por algumas horas o Vello Cittá uma pista de corrida dos anos 70. Como em todos os programas, Rubens Barrichello é o responsável por pilotar os carros na obtenção dos tempos.
O vídeo fala por si e é super divertido.
Veja:



 

5 comentários:

  1. Sem dúvida a iniciativa de fazer esse comparativo foi legal demais e botar eles pra andar, mais ainda, só não gostei do modo como eles trataram os carros, pois sempre quando a parada envolve o Fusca ou seus derivados, os caras tratam como "carros velhos" que dão problema e que sempre vivem quebrando, quando na verdade são os caras que não sabem dirigir.

    P.S: O Rubinho Barrichello continua ruim pra caralho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade muitas vezes o povo espera de um carro clássico a mesma dirigibilidade (inclusive em uma pista) de um carro atual. Aquele vazamento que apareceu no TC, por exemplo, foi no tubo de abastecimento do óleo, coisa que poderia acontecer com qualquer outro VW a ar com motor plano.

      Excluir
    2. É que como eu já vi esses tipos de comentário em matérias que envolvem Fuscas e derivados mais de uma vez, então a gente já fica desconfiado.

      Excluir
    3. Na verdade essa fala que pode vir até em tom pejorativo acaba passando a impressão para quem assiste que as limitações de um antigo fazem dele um carro ruim.
      Na realidade, as limitações de um antigo só refletem como funcionavam as coisas na época em que ele foi produzido...hehehe

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!