segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Propaganda da Variant: O motor que trabalha deitado

Esse post sem sombra de dúvidas é mais uma prova de que a Volkswagen usava de um excelente marketing para vender os seus carros no passado.
Há poucos posts atrás eu mostrei uma contribuição muito grande do meu pai para com o blog, onde postei fotos de algumas viaturas antigas, inclusive dois Fuscas. Naquele post, eu disse da versatilidade que um Fusquinha oferecia principalmente naquela época, onde o carrinho foi utilizado para as mais diversas necessidades e funções. Hoje eu pretendo ir um pouco mais além nesse papo todo, mostrando que a versatilidade do projeto do Fusca vai muito além da aplicabilidade do modelo em tudo, mas sim da versatilidade da "essência" do projeto.
Como todos nós sabemos, o Fusca surgiu pela necessidade do desenvolvimento de um veículo para guerra nos anos 30, na Alemanha. Com o passar dos anos, o projeto seguiu com a mesma linha, tendo apenas algumas alterações que traziam melhorias ao projeto. Nos anos 50, nasceu a Kombi, a perua que com certeza é a mais querida no mundo, dada a sua simplicidade e simpatia. Pois bem, a Kombi também nasceu sob o projeto de um Fusquinha, visto que existem inúmeras peças compartilhadas e toda a forma de funcionamento do carro é a mesma. Nas décadas seguintes, nós tivemos inúmeros carros que nasceram sob a plataforma do Fusca, sejam eles Volkswagen ou até mesmo de algumas outras montadoras, como os MP Lafer, as Pumas e até montadoras que utilizaram a mecânica VW a ar, como a Gurgel em alguns de seus modelos. O projeto do Fusca é tão versátil que conseguiu atender perfeitamente à inúmeros outros modelos.
Se eu fosse listar todos os modelos ou veículos que utilizam a plataforma do Fusca ou a mecânica dele aqui eu ficaria durante muito tempo escrevendo. Além disso, eu ainda poderia me esquecer de um ou outro.
A imagem que eu trago para vocês hoje é uma das propagandas de mais um derivado do Fusca, que atendia muito bem uma família que viajava e que se fosse ter um Fusquinha sofreria com o espaço: A Variant. O modelo que veio inspirado na linha Type 3 da Volkswagen ficou alguns bons anos em produção no Brasil, primeiro com o modelo "frente alta" como o da propaganda, depois o modelo que tinha uma frente muito próxima à da Brasília e por último um dos ápices da engenharia da VW em se tratando da linha a ar, a Variant II.
Algo que me agrada muito nesses carros é a sua mecânica. Embora ela seja a mesma de um Fusca, ela conta com a fantástica configuração do "motor plano", que tem um tamanho muito menor e tem um sistema de refrigeração um tanto interessante e eficiente. É claro que a VW aproveitou essa excelência no projeto e tratou de falar sobre o motor na propaganda, principalmente pelo fato de que com um motor menor e traseiro é possível ter um porta-malas dianteiro e um espaço relativamente bom para bagagens na traseira.
A propaganda fala por si e é mais um momento de nostalgia.
Veja:

 

2 comentários:

  1. E no caso da Variant, a versão antiga vendeu bem mais que a nova, embora a nova fosse mecanicamente mais moderna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até hoje em dia é mais fácil de se ver na rua uma Variant frente alta do que os modelos mais novos.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!