quinta-feira, 4 de agosto de 2016

O lado "diferente" do trânsito

Hoje eu tinha um outro conteúdo para postar, mas achei esse tão interessante e especial que acabei antecipando-o para hoje, data em que recebi as fotos.
Quando nós temos um sonho, objetivo ou desejo, além de muita Fé, perseverança, trabalho e claro, fazer por onde, nós precisamos de algo que nem sempre é presente dependendo de nossos ideais: O apoio, principalmente quando familiar. Quando se tem um sonho de ter um antigo, ou se demonstra uma certa afinidade com carros clássicos, muitas pessoas sofrem com uma "torcida contra" ou até mesmo uma rejeição por parte da própria família, muitas vezes porque essa interpreta que ter uma preferência dessa é fugir de um padrão comum, que nos é intitulado e quase que obrigado pela sociedade.
Embora essa questão não seja um tema que traga os mais felizes resultados, visto que muitos sofrem com esse tipo de coisa, eu o escrevo com muita alegria e gratidão. Todos os meus amigos e familiares, por mais que possam não simpatizar ou ter as mesmas preferências que eu, sempre me apoiam de modo que a minha felicidade e minha realização estejam sempre presentes ou ao menos, muito próximas. E claro, isso é recíproco de minha parte, pois o que importa é sempre o bem estar das pessoas.
Bem, eu falei de tudo isso pois hoje recebi mais uma prova do apoio que tenho quando falo para as pessoas que gosto de carros antigos, e hoje esse apoio (e a contribuição com as fotos) vem dos meus dois melhores amigos, que são meus pais. Meu pai já é habilitado há pelo menos três décadas, e nunca teve Fusca, minha mãe nem sabe dirigir. Quando digo de carros clássicos para meu pai, ele sempre diz de seu gosto pelo Fiat 147, que foi o modelo de seus três primeiros carros.
Hoje meu pai estava no trânsito quando se deparou com esse Fusquinha de muita personalidade e que com certeza é muito diferente daquilo que vemos rotineiramente no trânsito. Ele pediu a minha mãe para que fotografasse o Fusca, mas ela não conseguiu, com isso, ele mesmo pegou o celular e tirou a foto dirigindo mesmo. A partir da esquina que aparece nas fotos, meu pai e o Fusquinha seguiram caminhos diferentes.
O exemplar é um 1970 primeira série, aparentemente azul real. Os detalhes além das rodas vermelhas que já se tornaram uma referência entre Fusquinhas modificados, tornam o exemplar único. O suporte para bicicletas na traseira lembra, de longe, aqueles maleiros muito comuns como acessórios dos Fusquinhas do exterior.
Veja as fotos, ainda que tiradas de "bate pronto":




Meu agradecimento aos meus pais vão além de me presentear com essa contribuição (que vai muito além dessas quatro fotos), mas também por todo o apoio que sempre me deram nos meus ideais. Muito obrigado!
 

2 comentários:

  1. Olha meu Filho Amado, você desde a notícia de que estaria sendo gerado no ventre de sua,Mãe, eu passei a ter uma outra concepção das coisas bekas da Vida e de nossas Responsabilidades... Notei que com aquela notícia, Deus estava a né conceder uma das maiores bênçãos que já recebi...sua vinda, só me fez ver, entender e descobrir que somos movidos por emoções, que em nossas Vidas, temos ou havemos de ter nossas especiais razões para viver, bem viver, sentir e bem sentir o quanto é importante ser chamado de Pai, mas também para que isso aconteça é óbvio o que digo, mas tenho de dizer, é imprescindível que tenha um Filho...Filho assim como você, que só enche a mim e sua Mãe de orgulho...me sinto honrado por sua existência, és minha maior Razão de Vida... Te amo Filho, obrigado por suas sempre sábias palavras que emergem de sua alma...sucesso SEMPRE... Conte comigo...bjs Te Amo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada disso teria sido possível se não fosse a criação que me deu juntamente com minha mãe. O amor é recíproco, SEMPRE! Beeeijo!

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!