segunda-feira, 11 de julho de 2016

Padrão de originalidade: Tampa do motor do Fusca

Quem acessa o blog há mais tempo deve se lembrar que o Bruno Big Bat (Ou Farcas Pancho) me mandou um material fantástico sobre a originalidade do Fusca, principalmente na estética e dando ênfase aos modelos dos anos 60. Hoje trago a vocês mais uma parte desse interessante material que não termina no post de hoje, visto que ainda tem bastante coisa a ser postada nos próximos dias.
O ponto que é explicado pelo material do Bruno é a tampa do motor do Fusca. Durante tantos anos de produção, o Fusquinha sofreu muitas alterações em diversos detalhes, mas sem perder a essência do projeto e a identidade inicial do carro. Paralamas, volantes, rodas, lanternas, faróis, dimensões de vidros, bancos, forrações e muitos outros detalhes sofreram diversas alterações ao longo do tempo. E com a tampa do motor não é diferente.
A tampa do motor do Fusca teve diversos modelos durante a produção do carro: Houve o modelo fechado (utilizado nos modelos mais antigos e nos 1300 durante muito tempo), o modelo com 10 aletas (como dos Fuscão 1500 do início dos anos 70), o modelo com 24 aletas, que foi utilizado por muitos modelos e muitos outros, além da infinita combinação de tampas e lanternas traseiras. Com os anos, muitos Fuscas tiveram suas tampas trocadas, e como todas servem em qualquer modelo, apareceram combinações um tanto distintas do que as já conhecidas aplicadas pela fábrica.
Outro modelo que não aparece nas fotos até pelo fato de nunca ter saído em nenhum Fusca aqui no Brasil, é o modelo aplicado no Fusca Mexicano (VW Vocho), ela tem 24 aletas porém sem o espaço que há no meio como no modelo nacional.
Se você procura saber se a tampa do seu carro original, a informação está exatamente nesse post. Com certeza ele pode ser muito válido para quem está restaurando um Fusquinha e quer manter a originalidade, já que este post (e outros do marcador que esse integra) pode ser o parâmetro inicial para você saber o que é ou não original do seu exemplar.
Além das tampas, existiu a variação dos suportes das luzes de placa, peças que influem diretamente na aparência da traseira do Fusquinha. 
Algo que me chamou a atenção foi o fato de muitas fotos antigas (com carros ainda com placas amarelas) terem sido utilizadas nesse material, que o torna além de informativo muito nostálgico.
Se você tem dúvidas quanto a cor para pintar a tampa (assim como o carro todo), no mesmo marcador há o catálogo de cores de 1959 a 1996.
Veja:

Clique na imagem para vê-la em tamanho maior.
Quero agradecer ao Bruno por mais essa contribuição!
 

7 comentários:

  1. Eu gosto da tampa lisa. Um Fafá 1300 L 80 Branco não seria mal não, ganharia logo um Terminator e um 4x2.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficaria muito bacana. Eu sou apaixonado pelos modelos dos anos 60, a aparência deles me agrada muito.
      O Terminator é fantástico por sua simplicidade e pelo notório ganho no desempenho, já o 4x2 tem um ronco único e muito bacana!

      Excluir
  2. De 1959 a 1964 não houve nenhuma alteração na tampa do motor. Ao contrário do que sugere a foto. Em 1965 a tampa ganha nova luz de placa e a gravata da tampa perde seus prolongamentos laterais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo, as fotos das tampas mostram apenas a diferença nas lanternas. A tampa do motor, de fato é a mesma.

      Excluir
  3. De 1959 a 1964 não houve nenhuma alteração na tampa do motor. Ao contrário do que sugere a foto. Em 1965 a tampa ganha nova luz de placa e a gravata da tampa perde seus prolongamentos laterais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo, as fotos das tampas mostram apenas a diferença nas lanternas. A tampa do motor, de fato é a mesma.

      Excluir
  4. Faltou citar os Fuscas 83 que TODOS tinham a tampa lisa (sem aletas) e só motor 1300 (a álcool ou a gasolina)

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito bem vindo!